29 de setembro de 2022

Sextou


Por Maria Luiza Busse, diretora de Cultura da ABI

O Sextou de hoje é dedicado à saudável participação na militância política. Em todas as frentes.

“No dia 22 de setembro começa a primavera.  É quando as rosas exalam o mais importante perfume. Vamos florir este país, com esperança!”. “Vamos depositar na urna a esperança”. “Vamos falar de forma simples, chegar ao coração das pessoas, falando das coisas que as atingem, que são importantes para elas”. “É importante falar dos candidatos a deputados, a senador, a governador. Esta não é uma campanha de um homem contra outro homem. É para um país, e precisamos de todos”.

Esse foi um trecho da fala do candidato presidente Lula, do PT, para os 7.800 presentes no encontro virtual de comunicadores e comunicadoras dos partidos aliados, centrais sindicais, Comitês Populares e movimentos sociais reunidos com o objetivo de unificar a comunicação, organizar as ações e discutir a mobilização de ruas e redes para fazer a diferença no primeiro turno da eleição presidencial.

Veja o Manual de comunicação

E ouça a marcha-rancho Estão voltando as flores. Um brinde do Sextou para embalar a leitura.

 

 

Rio de Janeiro

Sexta-feira, dia 16

Artenegríndias

Às 18h, lançamento do estandarte do Coletivo de docentes negras e negros da UFRJ. A atividade faz parte da Temporadas Artenegríndias 2022. Na Casa Omolukum, rua Argemiro Bulcão 51, Saúde, Centro.

 Vai rolar a festa

Às 20h, Tati Quebra Barraco leva o balanço do seu funk e comanda a festa na quadra da escola de samba Gato de Bonsucesso. A noite comemora o aniversário da deputada estadual e candidata à reeleição Renata Souza. A jornalista e militante política faz 40 anos. Também não vai faltar pagode. Rua São Jorge s/n Esquina com a Rua Principal, comunidade Nova Holanda, complexo da Maré.

100 anos nos 200  

     

Seminário 100 anos de Rádio nos 200 anos da Independência. O assunto de hoje, último dia, é Nossas canções cruzando o espaço azul: a identidade nacional pela música nos cem anos de rádio no Brasil. Com Rubem Confete, jornalista, compositor, radialista e griot, porta-voz da cultura afro-brasileira no rádio; Adelzon Alves, radialista e produtor musical com mais de 50 anos de experiência no rádio; e Osmar Frazão, ator, radialista, pesquisador e contador de histórias sobre a música popular brasileira e seus personagens. Mediação da jornalista Lena Benzecry, autora do livro O samba do rádio – do Rio para o Brasil. O encontro de bambas se encerra com show de outra turma não menos de bambas: Mariana Baltar, voz; Jayme Vignoli, cavaquinho; Marcilio Lopes, bandolim; e Josimar Carneiro, violão 7 cordas. Das 17h às 19h.Tudo gratuito no auditório da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, ALERJ. Rua da Ajuda 5, Centro, 21º andar.

Pensar não custa nada

Às 19h, o curso Pensadores do Brasil encerra a série de palestras deste ano com o tema Desenvolvimento e estratégias para a reconstrução do Brasil. Com a palavra, Márcio Pochmann. Economista, professor da Unicamp, ex-presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada e autor de vários livros, todos voltados a pensar as melhores estratégias para o desenvolvimento nacional ativo e altivo.  No auditório 11 da UERJ, 1º andar. Rua São Francisco Xavier 524, Maracanã. Entrada gratuita. Metrô Maracanã.

Sábado, dia 17

Reta final, hora de agir

O Comitê Popular de Luta Copa Leme convoca para grande encontro que tem por objetivo organizar e fortalecer a campanha progressista de Lula para presidente, Freixo governador, e André Ceciliano para senador. A partir das 16h, na praça Manoel Campos da Paz, rua Barata Ribeiro esquina com rua Inhangá, Copacabana.

Resistências e levantes

Exposição Atos de revolta – Outros imaginários sobre Independência  reúne trabalhos de jovens artista que permitem repensar a Independência do Brasil pela perspectiva de  levantes, motins e insurreições que antecederam o acontecimento ou ocorreram nas décadas subsequentes dos Primeiro e o Segundo Reinados e no período regencial. A mostra aborda os imaginários expressos na Guerra Guaranítica (1753-56), Inconfidência Mineira (1789), Revolução Pernambucana (1817), Independência da Bahia (1822), Cabanagem (1835-40), Revolução Farroupilha (1835-45), Revolta de Vassouras (1839) e Balaiada (1838-41), entre outras manifestações relegadas ao silêncio sobre as lutas de resistência e disputa. Também podem ser vistos pórticos, colunas, maçanetas, frisos, e outros objetos e fragmentos dos séculos 18 e 19 do acervo do Museu da Inconfidência, do Museu Histórico Nacional e do Convento Santo Antônio, no Rio de Janeiro. Oportunidade, ainda, de apreciar oito pinturas de Glauco Rodrigues. De quinta a sábado, das 10h às 18h; domingo, em dois horários: das 10h às 11h, exclusivo para pessoas com deficiência intelectual, autistas, ou algum tipo de hipersensibilidade a estímulos visuais ou sonoros, e das 11h às 18h para público em geral. Entrada gratuita. Até 26 de fevereiro de 2023, no Museu de Arte Moderna, MAM. Av. Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo.

Domingo, dia 18

Faça chuva ou sol

Não importa o tempo que fizer, os comitês Alegria, Ipanema Leblon e Vidigal já decretaram que Vai dar Praia, nome da atividade que começa às 9h30 com concentração no Posto 12 da orla do Leblon e sai em caminhada até o Arpoador, na ponta divisa de Ipanema com Copacabana. O objetivo é o que já se sabe: turbinar a campanha para eleger Lula presidente, Freixo governador e André Ceciliano, senador.

A luta continua

Às 14h, o Comitê Popular de Luta das Comunidades e o Núcleo Construção promovem roda de conversa com as comunidades do Cantagalo, Pavão e Pavãozinho sobre o tema A importância da participação popular nas eleições. A atividade é aberta a toda militância e será realizada na quadra do Campinho. Ao final, a reunião será celebrada com lanche comunitário e participativo estreitando ainda mais a integração entre morro e asfalto. Pede-se levar um prato de salgado ou doce, e bebida. O ponto de encontro para subida em grupo é na esquina da rua Sá Ferreira com ladeira San Roman, às 13h45.

Segunda, dia 1 9- On line  em rede

Mulheres em cena no ABI Teatro

Às 20h, a peça é Insubmissas- Mulheres nas Ciências. Vida, descobertas, sucessos e dores de quatro mulheres que deixaram seus nomes na história apesar do apagamento. Hipácia de Alexandria, matemática e filosofa grega morreu barbarizada por cristãos acusada de bruxaria. A física e química polonesa, Marie Curie, descobriu as propriedades do rádio e mesmo assim seguiu discriminada por seu gênero e por ser uma estrangeira em Paris. A brasileira Bertha Lutz, ativista feminista responsável pelo direito de voto da mulher no Brasil, e Rosalind Franklin, cientista inglesa pioneira na pesquisa da biologia molecular,  base para a descoberta da estrutura do DNA. Após o espetáculo, debate ao vivo com o autor Oswaldo Mendes, o diretor Carlos Palma e as atrizes. Apresentação e mediação de Maurini de Souza.

Filme disponível a partir das 10h

O salto no vazio, longa documentário-ficção, que é o assunto do debate do ABI Cineclube Macunaíma desta terça-feira, está disponível a partir das 10h desta segunda-feira no canal ABI TV no Youtube. O filme é um ensaio sobre as memórias da viagem feita pelo casal de artistas Cavi Borges e Patricia Niedermeier por diversos países que serviram de cenário para coreografias e performances criadas pelos dois. O salto no vazio fica em cartaz até o final do dia de terça. Assista e participe do debate.

Terça-feira, dia 20On line em rede

Sessão no ABI Cineclube Macunaíma                                                       

Às 19h30, o debate no ABI Cineclube Macunaíma é com Patrícia Niedermeier, diretora de O Salto no Vazio. Os críticos Mariza Gualano e Rodrigo Fonseca conduzem a conversa. Ao vivo, no canal ABI TV no Youtube. Participe.

Quarta-feira, dia 21

A Arnaldo, com carinho

Em Macaé, lançamento do filme Assim Vencemos que trata da inclusão de pessoas com deficiência no específico e qualificado mercado de trabalho do setor de petrolífero.  Os atores são os próprios PCDs – pessoas com deficiência, os primeiros do mundo a fazer e passar num curso obrigatório de segurança para trabalhadores embarcados em plataformas de petróleo. A iniciativa foi possível por meio de acordo firmado entre empresas de óleo e gás da localidade e o Ministério Público do Trabalho. De posse dessa informação, o jornalista Arnaldo César Ricci Jacob concebeu o documentário, mas faleceu antes da produção. O colega Ricardo Porto, então convidado para dirigir, assumiu a execução do projeto e agora entrega o último trabalho de Arnaldo. Exibição virtual às 11h30, no evento Reconecta do MPT, e presencial às 14h no Hotel Royal Atlântico.

Encontro no Circo

Às 19h, Gilberto Gil, Juca Ferreira, e Marcelo Freixo, candidato a governador do Rio de Janeiro, estarão no Circo Voador no Encontro da Cultura e Economia Criativa conversando sobre estratégicas para possibilidades culturais amplas, gerais e irrestritas. É só chegar.

 Quinta-feira, dia 22

 Verdade incomodas

Às 18h, debate sobre o uso político da Justiça seguindo do lançamento do livro Verdades incomodas – o caso Pizzolato. Com Cleide Martins, coordenadora do projeto Lawfare Nunca Mais, Gisele Citadino e Luciano Tolla, membros da ABJD, e Álvaro Quintão e Aderson Bussinger, ambos da AOB. Henrique Pizzolato estará presente autografando. No auditório da OAB-RJ. Rua Marechal Câmara 150, 4º andar, Centro.

 Se fosse outro governo

Estreia de Eles Poderiam Estar Vivos, documentário sobre a responsabilidade do governo Bolsonaro por mais da metade das 700 mil mortes por Covid-19 e como poderiam ter sido diferentes as consequências da pandemia no Brasil se não fosse o descaso da administração pública em relação ao problema. O diretor Gabriel Mesquita entrevistou epidemiologistas, médicos, biólogos e pesquisadores especialistas no assunto, familiares de pessoas falecidas, e também políticos. Entre eles o então presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz, que declarou que “ao apostar na estratégia da imunidade de rebanho por contaminação, o presidente da República condenou centenas de milhares de brasileiros à morte”. Acesso gratuito no Youtube.

Coimbra, Portugal

Domingo, dia 18

Lula Lá 

Brasileiros e simpatizantes convocam para o grande comício pela eleição de Lula presidente. Será às 11 da manhã, horário local, na praça 8 de Maio, uma das principais da cidade, conhecida pela famosa universidade.  O ex-ministro da Saúde do governo Dilma, Arthur Chioro, confirmou presença.

São Paulo

Sábado, dia 17

 Sobe o som 

Estreia, em Bragança Paulista, o documentário Latino America Horns que conta a história do projeto que uniu mais de mil músicos da América Latina formando o primeiro coletivo de trompas do continente. Emocionante história de tempo de pandemia que obrigava ao isolamento, mas os sons acabaram se encontrando em encontros virtuais por iniciativa do paulista Israel Oliveira, o que rendeu a ele o Prêmio Internacional Giovanni Punto, considerado o Oscar da Trompa. Além de músico profissional, o trompetista Israel Oliveira é professor da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (OSPA). As lives chamaram a atenção da documentarista Sandra Porciúncula, do editor João Sauer e da comunicadora Claudia Antonini, e agora o filme será exibido numa sessão deste sábado durante o  7º Simpósio Brasileiro de Trompistas que  termina domingo.

Veja o clipe do documentário aqui.

 

Brasilia

Sábado, dia 17

Está valendo

Espetáculo poético-musical Falando de Amor. Proposta de arte em movimento no palco do Espaço Cultural Renato Russo, no Distrito Federal. Música, poesia, e audiovisual para falar de amor por meio do repertório da cantora Dhi Ribeiro, versos da escritora Gisele Gama e distribuição de seu livro Falando de Amor. Às 19h neste sábado e às 18h no domingo. Entrada gratuita. Retirada de ingressos no Sympla.

 Pelo Brasil

Nos cinemas

A viagem de Pedro

Rodrigo Fonseca*

O olhar particularíssimo da premiada diretora Laís Bodanzky sobre as relações familiares e seu quinhão (anti)épico, delineiam o drama histórico sobre Pedro I e fazem precisa autópsia em corpo vivo da família como usina de neuroses. No caso da realeza lusa, aportada no Brasil a partir de 1808, a neurose é coletiva e perene. Premiado com o troféu Redentor de melhor direção no Festival do Rio 2021, a aula de narrativa intimista A Viagem de Pedro é uma reinvenção simbólica de Dom Pedro I (1798-1834) pelo cinema. O Pedro de Laís é acossado e oprimido, mais ou menos como o Gérard Depardieu de Danton – O Preço da Revolução (1983), de Andrzej Wajda (1926–2016) – longa que mais e melhor estabelece parentela com o novo trabalho de Laís. Ambos são contos da Política, derivados de um projeto de liberdade.

Pedro é vivido por um Cauã Reymond passado num moedor de carne, compondo um personagem emasculado, alquebrado, impotente, sem dignidade, maculado por uma derrota no xadrez da governança do pacto colonial, mesmo na consolidação do Brasil como Império. Estamos em 1831, durante uma travessia do Atlântico, em uma fragata inglesa rumo à Europa. Ali, Pedro busca forças físicas e emocionais para enfrentar seu irmão, Dom Miguel (Isac Graça), que usurpou seu reino em Portugal. Pedro se vê doente e inseguro, massacrado por dilemas morais. Ele entra na embarcação em busca de um lugar, de uma pátria, de si mesmo, numa engenharia dramatúrgica de introspecção. Vai ser ajudado por um tripulante que conhece a força dos orixás, interpretado por Sérgio Laurentino, que recebeu o Redentor de melhor Ator Coadjuvante no Festival do Rio. Mas há pouco que seu personagem possa fazer em prol de Pedro, que traiu-se a si mesmo em sua soberba.

Por isso, a aventura dessa “viagem” não se dá sobre as ondas e, sim, na cabeça de Pedro, no conflito com seu fracasso como estadista, na certeza de que lhe faltou um projeto de país. Um projeto que fosse maior do que a Coroa Portuguesa. A fotografia de Pedro J. Márquez é um primor no domínio dos códigos do chiaroscuro, da sombra.

*crítico de cinema e ancora do ABI Cineclube Macunaima

Ingresso a R$10,00

Até 21 de setembro, diversas redes de cinema em todo o Brasil, dentre as quais Cineart, Cinépolis e Cinemark , participam da campanha Semana do Cinema que tem por objetivo celebrar a volta do público. Com ingressos a R$ 10,00, a promoção vale para todas as sessões tanto nas salas tradicionais como nas de  3D. Além do ingresso a preço popular, os combos com duas pipocas e refrigerante têm preço especial de R$ 29,00.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012