28 de novembro de 2022


Sem acordo, jornalistas da RAC seguem em greve


21/02/2018


A greve dos jornalistas, administrativos e gráficos do Grupo RAC (Rede Anhanguera de Comunicação), de Campinas, que começou no dia 14, entrou em sua segunda semana.

Sem receber há três meses, os trabalhadores ainda não ouvirem nenhuma manifestação por parte da empresa. A audiência de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho deve ocorrer nos próximos dias.

O Grupo vem atrasando constantemente os salários há dois anos. Na última quinta-feira (15), a empresa depositou o equivalente a um oitavo no salário de novembro e os salários de dezembro, janeiro mais o adiantamento de fevereiro continuam em aberto, além do 13º de 2017 e do adicional de um terço que também não está sendo pago aos que saem de férias. Há ainda, seis meses de vales refeição e alimentação devidos pela empresa.

Pelo acordo, conquistado após greve dos trabalhadores em junho de 2017, o Grupo RAC deveria realizar pagamentos semanais de 25% do salário mensal até quitar os valores em atraso. Porém, quando os depósitos são feitos, equivalem a um oitavo do salário mensal e não a um quarto do valor, como determinou na sentença o 15º Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região.

O Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo possui um um fundo de greve onde é possível colaborar depositando qualquer quantia. Criado em outubro passado, apoiou os jornalistas do Diário de S.Paulo e da Folha de Araçatuba, que  também cruzaram os braços por falta de salários.

Os dados para depósito são os seguintes:

Caixa Econômica Federal

Agência 4070

Conta corrente 1143-3

(caso o depósito ou transferência seja entre contas da Caixa, o código da operação é 003)

Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo

CNPJ 62.584.230.0001-00

 

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012