10 de agosto de 2022


Saúde pública é foco
no blog do Berta


04/06/2020


Crédito: Veja

O Rio de Janeiro passou a China em mortes por Covid-19.    Enquanto isso, denúncias de corrupção na saúde pública do estado escancaram a profundidade da crise no sistema, com fraudes em compras de equipamentos hospitalares, na instalação de hospitais de campanha, em repasses de recursos orçamentários.  Até o fechamento desta matéria, eram registrados no estado do Rio mais de 5,4 mil óbitos, com total superior a 54,5 mil pessoas contaminadas. No Brasil, o total subiu para mais de 587 casos confirmados, superando 32,6 mil mortes.

Em meio ao avanço da doença, as estatísticas de registros de casos no município do Rio desapareceram do sistema, obstruindo qualquer possibilidade de transparência nas informações oficiais.  Mas após uma semana do sumiço e diante das críticas e da pressão da imprensa, a Prefeitura do Rio voltou a divulgar as informações. Já o Ministério da Saúde cancelou as coletivas diárias com informes sobre a evolução do coronavírus.

“No mínimo estranho os dados terem sumido no momento em que o prefeito do Rio assume posição de se aproximar da cada vez mais da postura negacionista do presidente da República. Só com transparência se pode fiscalizar”, destaca o jornalista Ruben Berta, do Blog do Berta, especializado na cobertura dos meandros do setor público no Rio de Janeiro. Com a pandemia, as pautas sobre gestão e gastos na saúde ganharam importância ainda maior no blog, levantando diferentes casos de irregularidades.

Com o mesmo nome e espírito empreendedor de seu avô – que foi funcionário número um da Varig e depois presidente da companhia aérea  em 1942 -,  o jornalista Ruben Berta  criou o blog há pouco mais de um ano, inspirado na experiência com o jornalismo  investigativo,  adquirida ao longo da carreira. Nos últimos 60 dias, mais de 20 reportagens exclusivas foram publicadas no Blog do Berta, deixando à mostra a violência do estado contra a saúde pública num dos momentos mais cruciais.

O blog posta cerca de três matérias exclusivas por semana, num trabalho de apuração detalhada, baseada na busca e leitura de documentos públicos, cruzamento de informações, muita checagem de dados. “Jornalismo artesanal”, define Berta com pautas cavadas uma por uma, que abriram caminho até mesmo para a entrada da grande imprensa no assunto.

Matérias levantadas pelo blog, com denúncias de fraudes e malversação de gastos públicos, contribuíram para abertura de  investigações, inquéritos e prisões preventivas.  “Na saúde do estado fluminense já foram instaurados três inquéritos pelo Ministério Público com base em matérias postadas.  Tudo começou no fim de março, quando o blog foi o primeiro a revelar quem era o então subsecretário executivo da Secretaria Estadual de Saúde, Gabriell Neves, responsável pelas contas do setor”, diz ele.   Berta descobriu que Neves, quando exercia a função de advogado, no passado, teria lesado uma cliente numa ação. O caso fez acender uma luz amarela no repórter:  “Essa pessoa que faz isso é a mesma que está cuidando da saúde do nosso estado”. Foi o alerta necessário para levar o jornalista a investigar contratos de compras e serviços realizados pelo então subsecretário. A pista levou a descoberta de fraudes em contratos de hospitais de campanha e compra de respiradores.

De lá para cá, estão em curso operações da Polícia Federal (PF), que investigam irregularidades na aplicação dos recursos destinados ao estado de emergência de saúde pública decorrente do novo coronavírus. Um dos focos é o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSL), que teve sua residência oficial, o Palácio Laranjeiras, alvo de buscas e apreensões.

Além de Gabriell Neves, a PF prendeu outro  ex-subsecretário executivo de Saúde:  Gustavo Borges. A suspeita é de fraudes na compra de respiradores, que teriam sido adquiridos com superfaturamento, segundo o Ministério Público. O escândalo levou o governador a exonerar o ex-secretário de Saúde, Edmar Santos – que, porém, foi nomeado logo depois para comandar outra pasta, voltada para o acompanhamento de ações de combate à Covid-19.

Segundo o jornalista, as apurações levaram à constatação de “processos de compra de equipamentos hospitalares totalmente equivocados, sem rigor de seleção. Revelaram também graves problemas de gestão . Enquanto isso, o número de vítimas do coronavírus continua subindo no estado e no país”.

Como bom repórter, Berta recorre também a assessorias de imprensa do governo em busca da posição e explicação oficiais. “Mas no início da cobertura da saúde, fui, em boa parte, ignorado pelas assessorias; enviava questionamentos quase sempre sem respostas.  Passaram a me responder mais quando o assunto caiu na grande imprensa”, relata ele. Hoje, porém, matérias publicadas no blog são referência até mesmo para os ministérios públicos federal e estadual e Tribunal de Contas do Estado. Este último acaba de rejeitar as contas do governador referentes a 2019, seu primeiro ano de gestão, concentradas basicamente nas áreas de Saúde e Educação.

A lei de acesso à informação, instrumento de apoio ao cidadão, também é alternativa buscada para o trabalho jornalístico. Berta conta, porém, que os retornos às demandas são demorados e ficaram mais morosos com o advento do coronavírus. “O governo do estado estendeu todos os prazos, alegando dificuldades por causa da pandemia”, diz, indagando: “O que se espera de um governo na pademia?” Ele mesmo responde: “que oriente e cuide da população corretamente e zele pelo dinheiro da saúde”.

 

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012