Protestos na Ucrânia registram ao menos 35 jornalistas feridos


Por Igor Waltz*

23/01/2014


Protestos pró-Europa na Ucrânia se acirraram depois que o governo aprovou uma série de sanções contra os manifestantes. (Crédito: Reuters)

Protestos pró-Europa na Ucrânia se acirraram depois que o governo aprovou uma série de sanções contra os manifestantes. (Crédito: Reuters)

Pelo menos 35 jornalistas foram feridos durante confrontos entre manifestantes e as forças de segurança no centro de Kiev, capital da Ucrânia, desde o último domingo, 19 de janeiro, de acordo com um levantamento do Instituto dos Meios de Comunicação de Massa, divulgado nesta terça-feira, 21.

A maioria dos feridos são jornalistas ucranianos, mas há também um correspondente do canal de televisão russo REN TV, que foi atingido na perna por uma granada de efeito moral.

Desde o início dos protestos contra o governo pró-Rússia, em novembro de 2013, cinco pessoas morreram e mais de 200 ficaram feridas. O confronto entre os manifestantes e as forças de segurança se acirrou nesta quarta-feira, 22 de janeiro.

Detenções

No domingo, 19 de janeiro, dois jornalistas da Radio Svoboda, filial local da norte-americana Radio Free Europe/Radio Liberty, foram detidos por várias horas. Eles relataram terem sido espancados pela polícia, de acordo com o Instituto, que atua na defesa da liberdade de imprensa.

“Eles me jogaram no chão brutalmente, arrancaram o meu capacete em que estava escrito imprensa, me acertaram pelo menos duas vezes com cassetetes na cabeça, torceram meus braços e me arrastaram para um veículo da polícia”, declarou o jornalista Dmytro Barkar em um vídeo postado no site da rádio.

“Disse várias vezes a eles que não estava participando nos confrontos”, afirmou o jornalista, com os olhos inchados.

O cinegrafista Igor Iskhanov contou por sua vez ter sido espancado por vários policiais, um dos quais lhe deu um chute no rosto.

Mais repressão

O Diário Oficial da Ucrânia publicou na terça-feira uma série de leis que reforçam as sanções contra os manifestantes e cuja adoção voltou a provocar violentos confrontos em Kiev.

O jornal do Parlamento, “Golos Ukrainy” (“A Voz da Ucrânia”), trouxe na edição os textos que punirão, a partir de agora, com penas de até cinco anos de prisão os manifestantes.

A determinação pode ser aplicada aos opositores que, há dois meses, protestam em Kiev contra o presidente Viktor Yanukovich, após sua recusa de assinar um acordo de associação com a União Européia

* Com informações da AFP e jornal Estado de S. Paulo.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012