19 de agosto de 2022


Príncipe é suspeito na morte de Jamal Khashoggi


13/11/2018


Uma gravação ligada ao assassinato do jornalista Jamal Khashoggi está sendo vista como uma indicação de que o príncipe saudita Mohammed Bin Salman teria envolvimento direto no caso, de acordo com matéria desta segunda-feira (12) do “New York Times”.

Três pessoas que ouviram o conteúdo da gravação, coletada pela inteligência turca, disseram ao jornal que ela contém a voz de Abdulaziz Mutreb, um dos 15 acusados pela morte, conversando com um superior por telefone, pedindo a este que “avise ao seu chefe” que o trabalho havia sido feito.

Mutreb é um agente de segurança que viajava com frequência para acompanhar o príncipe Mohammed, ainda conforme o “NY Times”. E, segundo a inteligência turca, o telefonema gravado teria sido feito para um dos assessores do príncipe.

No entanto, o jornal também deixa claro que o nome de Mohammed Bin Salman não é citado em nenhum momento, e diz que Mutreb poderia estar mal informado sobre a origem da ordem.

Jornalista Jamal Khashoggi

Consulado

O jornalista saudita Jamal Khashoggi – um forte crítico do governo de Riad que morava nos EUA e colaborava com o jornal “Washington Post” – foi morto dentro do consulado de seu país em Istambul, quando foi ao local para buscar um documento. Inicialmente, Riad anunciou que Khashoggi havia deixado o local pouco depois de entrar.

Depois, o governo saudita afirmou que ele morreu durante uma briga e, mais tarde, finalmente reconheceu que o ato foi uma “operação não autorizada” pelo regime saudita, negando qualquer envolvimento do príncipe herdeiro Mohammed bin Salman.

No sábado, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan disse que seu país compartilhou gravações do assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi com Arábia Saudita, Estados Unidos, Reino Unido, França e Alemanha.

“Demos os registros. Eles estão escutados as conversas. Eles sabem, com certeza, quem é ou quem são os assassinos”, disse Erdogan, sem dar mais detalhes.

Segundo informações divulgadas anteriormente pela imprensa turca e americana, as autoridades da Turquia recuperaram uma gravação de áudio que mostraria como Khashoggi foi interrogado, agredido e morto no consulado.

O arquivo de áudio teria sido gravado pelo Apple Watch de Khashoggi e recuperado pelo seu iPhone, que tinha ficado com a sua namorada fora do consulado, e pela sua conta no iCloud.

 

 

Fonte: G1

 

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012