6 de julho de 2022


Por que fomos tão negligentes com nosso destino?


16/06/2022


Por Regina Zappa em Brasil 247

Chegamos ao fundo de um poço do qual só sairemos puxando uns aos outros pelas mãos, pelas ruas, gritando nossa indignação e dor tão alto que nos transformaremos em um exército de consciência e revolta contra os bárbaros em livre trânsito pelo Brasil. O massacre de Bruno Pereira e Dom Phillips, mártires em uma terra sem lei que tentavam salvar, expõe a realidade atual de um país em carne viva, que executa cidadãos em câmaras de gás improvisadas, que metralha homens pretos nas favelas do Rio e São Paulo, que estraçalha defensores da Amazônia e indígenas anônimos, que passa o trator por cima de gente de movimentos sociais no campo. Tantos e tantos mártires sem face e sem nome. É preciso caçar os mandantes desses crimes. Quem mandou matar Marielle?

Assistimos atônitos ao sadismo e à crueldade, ao desprezo pela vida, ao deboche escancarado pela morte de milhares de brasileiros. Quem somos que deixamos nosso país ser tragado pelo que há de pior no canto mais escuro da alma humana? Humana? Onde estávamos que não conseguimos barrar um defensor explícito da tortura? Quando culparemos os mandantes? Por que fomos tão negligentes com nosso destino?

Não bastará agora, quando muitos ainda acordam do pesadelo em que nos metemos, afastar o dirigente nefasto. Será preciso uma costura firme e incansável desse tecido social roto que deixou escapar e ganhar força os monstros e os cínicos. Basta! Temos que sair desse lugar, puxando uns aos outros pelas mãos, pelas ruas.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012