Polícia Militar do Paraná prende repórter durante cobertura ao vivo


Por Igor Waltz*

21/01/2015


Iverson Vaz, do Programa 190, da CNT do Paraná (Crédito: Reprodução)

Iverson Vaz, do Programa 190, da CNT do Paraná (Crédito: Reprodução)

Um jornalista foi preso durante um link ao vivo na última terça-feira, 20 de janeiro, em Curitiba, no Paraná. Iverson Vaz, repórter do “Programa 190”, da CNT, cobria uma tentativa de assalto a um caixa eletrônico, quando ultrapassou um cordão de isolamento e acabou sendo detido por desacato. Em entrevista a um colega de programa, Vaz declarou ter sido agredido enquanto esteve preso.

Durante a operação policial, havia inicialmente dois cordões de isolamento, e os veículos de imprensa estavam inicialmente autorizados a entrar no maior deles para registrar o caso. Quando Vaz e o cinegrafista Júnior Guimarães começaram o link ao vivo, no entanto, foram interrompidos por uma equipe do 20º Batalhão de Polícia Militar, sob a alegação de que estariam invadindo local proibido. Apesar de explicar que estava em uma transmissão ao vivo, o jornalista foi detido em frente às câmeras.

Vaz foi encaminhado ao 6º Distrito Policial da capital paranaense, onde assinou termo circunstanciado. De lá, foi encaminhado para o Instituto Médico-Legal para realizar exame de corpo de delito. Na sequência, foi liberado. No boletim de ocorrência, os policiais do caso mantiveram a afirmação de que houve desacato por parte do repórter.

Veja abaixo o momento em que o repórter é detido pela polícia militar do Paraná:

*Com informações do Comunique-se e do Portal Imprensa. 

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012