Nova jornada da China, novas oportunidades entre o Brasil e a China


02/11/2022


Por Tian Min, Cônsul-Geral da China no Rio de Janeiro

O Partido Comunista da China (PCCh) que já percorreu uma jornada extraordinária de cem anos, realizou seu 20º Congresso Nacional em outubro deste ano. Trata-se de um marco histórico que acontece no momento em que a China inicia uma nova jornada da construção integral de um país socialista moderno. O Congresso elegeu o novo Comitê Central do PCCh com o camarada Xi Jinping em seu núcleo, resumiu de forma completa as realizações significativas e experiências valiosas no desenvolvimento da China nos últimos dez anos da nova era e definiu a missão e as tarefas do PCCh na nova era e nova jornada, isto é, unir e liderar o povo de todos os grupos étnicos da China a concluir a construção integral de um grande país socialista moderno, meta do “segundo centenário”, e promover integralmente a grande revitalização nacional por meio da modernização chinesa.

Nos últimos cem anos, o PCCh tem liderado o povo chinês a superar momentos difíceis e empreender incansáveis esforços para a vitória grandiosa e as realizações gloriosas na revolução, na construção e na reforma. Depois de 40 anos da política de reforma e abertura, a China materializou um rápido crescimento econômico raramente visto no mundo e preservou uma estabilidade social duradoura. Durante a última década, em particular, o país resolveu, de uma vez por todas, a questão da pobreza absoluta, aumentou sua proporção na economia mundial de 11,3% para 18,5%, com a taxa média de contribuição para o crescimento econômico mundial de 38,6%. O PIB per capita da China subiu para US$12.500, o grupo de renda média ultrapassou a marca de 400 milhões de pessoas, e concluiu-se a construção dos sistemas da maior escala do mundo tocantes à educação, seguridade social e aos serviços médicos e de saúde. O país é um principal parceiro comercial de mais de 140 países e regiões e os investimentos estrangeiros no país e os investimentos chineses no exterior permanecem na dianteira do globo. Ao promover constantemente a modernização socialista, o PCCh desbravou, seguiu e ampliou um caminho da modernização chinesa.

A modernização chinesa é para uma população de grande dimensão, visa a prosperidade comum de todo o povo, coordena o progresso material e o progresso cultural e ético, busca a convivência harmoniosa entre o ser humano e a Natureza e segue o caminho do desenvolvimento pacífico. Na nova jornada para promover integralmente a grande revitalização nacional por meio da modernização chinesa, vamos persistir na liderança do Partido Comunista da China,seguir o socialismo com características chinesas, colocar em prática o desenvolvimento de alta qualidade, desenvolver a democracia popular de processo integral, enriquecer o mundo intelectual dos chineses, concretizar a prosperidade comum de todo o povo, promover a convivência harmoniosa entre o ser humano e a Natureza, construir uma comunidade de futuro compartilhado para a humanidade, e criar novas formas da civilização humana.

Na coletiva de imprensa com os outros membros do Comitê Permanente do Birô Político do 20º Comitê Central do PCCh, o secretário-geral Xi Jinping enfatizou que a China não pode se desenvolver sem o mundo, e o desenvolvimento do mundo também  precisa da China. A economia chinesa mantém forte resiliência, sólido potencial, grande margem para manobras e tendência promissora. Será cada vez mais ampla a abertura da China ao exterior. Ao impulsionar plena e inabalavelmente a reforma e abertura e promover o desenvolvimento de alta qualidade, a China cria mais oportunidades para o mundo com o seu próprio crescimento.

Ao longo de quase meio século desde o estabelecimento das relações diplomáticas entre a China e o Brasil, os dois países fizeram avançar o relacionamento bilateral a passos seguros, tornando-o um dos mais importantes e dinâmicos entre mercados emergentes e entre nações em desenvolvimento. A confiança política entre os dois lados está mais consolidada, a cooperação pragmática tem grande vigor, a amizade entre os dois povos torna-se mais sólida e a cooperação em fóruns multilaterais é mais frutífera. Atualmente, tanto a China como o Brasil se encontram em uma fase crítica de desenvolvimento. Diante de um ambiente internacional complexo e turbulento, os dois países devem continuar a intensificar os intercâmbios, aumentar a confiança mútua, aproveitar as oportunidades e ampliar a parceria bilateral. Com isso, vamos colocar o relacionamento sino-brasileiro em um novo patamar, trazer o desenvolvimento e a prosperidade comum em benefício de ambos os países e povos.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012