Modecon e ABI exaltam a arte e o talento de Mestre Azulão


17/05/2016


AZULAOO Movimento em Defesa da Economia Nacional (Modecon), presidido por Lincoln Penna, promoveu nessa segunda-feira (16), na Associação Brasileira de Imprensa (ABI), homenagem ao Mestre Azulão, morto no último dia 15 de abril, no Rio de Janeiro, aos 84 anos. Ivan Cavalcanti Proença, presidente do Conselho Deliberativo da instituição foi o palestrante.

José João dos Santos, o Mestre Azulão, cordelista, repentista, cantor, compositor e poeta, foi um dos ícones da cultura nordestina e um dos fundadores da Feira de São Cristóvão, famoso centro de tradições nordestinas na Zona Norte da cidade.

IvanProençaePresidenteLincolnPenna2

Lincoln Penna e Ivan Proença

Mestre Azulão nasceu em Sapé, na Paraíba. Na década de 40, viajou para o Rio de Janeiro, onde trabalhou como pedreiro, porteiro, até ficar conhecido por suas cantorias e versos. Além de ser um grande repentista, escreveu mais de 400 livros de literatura de cordel, além de mais de 700 poemas inéditos.

Ivan Cavalcanti Proença ressalta a importância de Mestre Azulão para a literatura de Cordel.

“Mestre Azulão era um fenômeno. Ele só tinha o quarto ano primário e escreveu mais de 400 livros. O hábito de ler foi fundamental para isso. Mestre Azulão representa a dignidade da Literatura de Cordel aliada ao talento nato e a independência louvável entre os órgãos e entidades governamentais, que interferem na arte popular”, avalia.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012