9 de agosto de 2022


Memória repete Jacob do Bandolim


07/07/2021


O programa Memória Musical sobre Jacob do Bandolim, exibido em 18/11/2020, será repetido hoje no canal da ABI do YouTube. Aqui está também a canção Naquela mesa que seu filho, o jornalista Sergio Bittencourt fez para o pai: Naquela mesa ele sentava sempre/E me dizia sempre o que é viver melhor/Naquela mesa ele contava histórias/Que hoje na memória eu guardo e sei de cor/Naquela mesa ele juntava gente/E contava contente o que fez de manhã/E nos seus olhos era tanto brilho/Que mais que seu filho/Eu fiquei seu fã/Eu não sabia que doía tanto/Uma mesa num canto, uma casa, um jardim/Se eu soubesse o quanto dói a vida/Essa dor tão doída não doía assim/Agora resta uma mesa na sala/E hoje ninguém mais fala do seu bandolim/ Naquela mesa ‘tá faltando ele/ E a saudade dele ‘tá doendo em mim.

Jacob do Bandolim no Memória Musical

O programa Memória Musical fará uma repetição hoje do programa sobre Jacob do Bandolim, exibido em 18/11/20. Do bate-papo com o produtor Paulo Figueiredo participam o escritor Gonçalo Júnior, autor da biografia do bandolinista, Um coração que chora, a ser lançado brevemente, além dos músicos e diretores do Instituto Jacob do Bandolim, Sérgio Prata, Jorge Cardoso e Pedro Aragão.  Assistir pelo canal da Associação Brasileira de Imprensa do YouTube.

Jacob Pick Bittencourt, o Jacob do Bandolim, foi um dos maiores músicos, compositores e bandolinistas brasileiros de choro. Nascido em 1918 no Rio, filho de um capixaba e de uma judia polonesa, começou a tocar o instrumento aos 12 anos depois que não se adaptou ao violino. Compôs Doce de Côco, Brasileirinho e Lamentos, entre outras composições e conviveu com todos os grandes artistas nas décadas de 1940, 1950 e 1960, sendo o descobridor de Elizeth Cardoso. Faleceu em 1969.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012