14 de agosto de 2022


LGBTQIA+, lives e cinema em Dicas


25/06/2021


Por Vera Perfeito, diretora de Cultura e Lazer da ABI


Lives e LGBTQIA+ são Dicas no finde e da semana!

O projeto Orgulho, sim senhor realiza live, no domingo, para celebrar o Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, amanhã, com cantoras como Scarleth Sangalo. Daniela Mercury também faz uma. A TV Globo apresenta o Falas de Orgulho. Há live junina de Alceu Valença e a continuação do filme Um homem e uma mulher, de 1966.

 

Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+

A data, comemorada no dia 28/6, surgiu a partir da Revolta de Stonewall nos Estados Unidos, há 51 anos, quando pessoas LGBTQIA+ reagiram aos constantes ataques da polícia norte americana ao bar Stonewall In, frequentado por homossexuais e transexuais.

As lives gratuitas do fim de semana são é boas: a LGBTQIA+ de domingo  comemora o Dia do Orgulho Gay,  idem a de Daniela Mercury e, na segunda-feira, 28, a TV Globo tem programação sobre o assunto. Imperdíveis as lives de Alceu Valença, Diogo Nogueira, Adriana Calcanhoto, Maiara &Maraísa com Fernando&Sorocaba,  Zeca Baleiro, Zélia Duncan, o grupo Calcinha Preta, o prêmio Bet Awards e a homenagem da cantora Áurea Martins para Cristina Buarque de Holanda e das cantoras do musical Elza para Elza Soares, que completou 91 anos. Tem também o lançamento dos álbuns de Pablo Vittar e Guinga nas plataformas, além de música clássica. Não perca as entrevistas do ABI Esportes, focando na cultura. No Memória Musical sobre Mario Lago haverá bate-papo enquanto no Macunaíma,  o debate será sobre o filme O veneno está na mesa II. Não perca a exibição de festivais de filmes e faça sua escolha entre muitos livros e séries.

E se não houvesse perigo de Covid na frequência às salas de cinema daria indicação para assistir a Os melhores anos de uma vida, de Claude Lelouch com os atores octogenários franceses Jean Louis Trintignant e Anouk Aimée se reencontrando no filme, após 47 anos, quando formaram o par romântico de Um homem, uma mulher ao som da famosa música de Francis Lai, regravada de forma moderna. Imperdível. Boa semana, de preferência em casa.

ENTREVISTAS

Segunda-feira

10h45 Encontro com Fátima Bernardes Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, Fátima recebe no palco do Encontro o ex-BBB Gil do Vigor. A apresentadora mostra histórias de pessoas LGBT que tiveram suas vidas transformadas a partir da consciência da própria sexualidade. O matinal conta ainda com a participação da atriz Vitória Strada e do ator Hugo Bonemer em uma reportagem especial relembrando as conquistas das pessoas LGBT nas últimas décadas. Fátima conversa também com o psiquiatra Jairo Bouer, que responde dúvidas comuns aos brasileiros sobre o tema. E, para fechar o programa, será exibido um clipe da música Toda Forma de Amor, de Lulu Santos, cantada por ele e outros artistas convidados.

19h30 ABI Esportes:  destaca o lançamento de dois livros e a realização de uma ultra maratona todos protagonizados por jornalistas que justificam a realização da série Esporte também é cultura. Aline Bordalo escreve sobre a conquista do campeonato estadual de 1989 pelo Botafogo, na vitória sobre o Flamengo, por 1 a 0, com o sempre lembrado gol do Maurício. Wiliam Douglas narra a historia dos atletas imigrantes que representaram o Brasil nos Jogos Olímpicos. E, da Chapada Diamantina, onde se prepara para correr 70 km da ultra maratona, o jornalista Mauricio Meireles divulga e comenta as  paisagens sonoras do nosso cancioneiro.

22h30 – Especial Falas de Orgulho. Serão apresentadas as trajetórias de oito personagens de diferentes idades, regiões, trajetórias de vida e religiões e por trás delas, histórias de superação, preconceito e autoaceitação, passando por temas transversais às letras que formam a sigla LGBTQIA+. Para contar essas histórias, a equipe do especial percorreu diversos estados do país e acompanhou essas pessoas em seu cotidiano: na intimidade de suas casas, trabalho e com os amigos. Além dos bastidores do dia a dia desses oito personagens, o público também terá a oportunidade de ouvir seus depoimentos: as histórias marcantes de suas vidas contadas em primeira pessoa em estúdio. Ao final, a diversidade será celebrada em um clipe musical exclusivo. O especial tem direção artística de Antônia Prado e direção de Washington Calegari. Reprise no dia 30 no GNT e 2 de julho no Canal Brasil. Personagens: Richard Alcântara, 24 anos, jovem transgênero de Caçapava, interior de São Paulo, que sonha ser bombeiro civil; Ariadne Ribeiro, 40 anos, mulher transgênero que é assessora de apoio comunitário da Unaids/ONU; Geisa Garibaldi, 37 anos, a lésbica carioca é criadora do ‘Concreto Rosa’, empresa de serviços de mão de obra feminina; Ângela Fontes, 69 anos, enfermeira aposentada que só falou abertamente sobre ser lésbica na terceira idade; Fábio Henrique dos Santos, 30 anos, jovem gay de São Paulo que dá vida à drag queen Sasha Zimmer; rio Leony, 46 anos, homem gay de Aracajú, que é delegado da Polícia Civil há 20 anos; Maycon Douglas, 27 anos, jovem bissexual que trabalha como barraqueiro na praia de São Conrado e mora na Rocinha, comunidade da Zona Sul do Rio de Janeiro; e Mariana Ferreira, 35 anos, médica bissexual, que tem um consultório particular e trabalha como ginecologista do SUS.

Terça-feira

19h30 Cineclube Macunaíma: O veneno está mesa II, de Silvio Tendler, será o filme exibido, a partir das 10 horas até segunda-feira. Às 19h30, haverá o debate com o diretor  Silvio Tendler e convidados com mediação do jornalista Ricardo Cota.

Quarta-feira

19h30Memória Musical: – a pauta do programa, apresentado por Paulinho Figueiredo, será Nada Além de Mário Lago, com um bate-papo
entre o produtor, ator e compositor  Mário Lago Filho e filho de Mario; a instrumentista Ignez Perdigão e o ator Marcos França.

 

FILMES

Prossegue até segunda-feira (28/6) a 16ª Mostra de Cinema de Ouro Preto, evento on-line e gratuito com apresentação de 117 filmes nacionais e latinos e homenagem ao ator Chico Diaz. Entre os filmes a serem exibidos estão O país de São SaruêCinemateca BrasileiraLamarcaAmarelo MangaBaile PerfumadoCarlota Joaquina – Princesa do BrasilCarmen Miranda Banana is my business.

A programação prevê exibições de filmes em pré-estreias e mostras temáticas, homenagem, realização do 16o Encontro Nacional de Arquivos e Acervos Audiovisuais Brasileiros e o Encontro da Educação: XIII Fórum da Rede Kino – Rede Latino-Americana de Educação, Cinema e Audiovisual, oficinas, masterclasses, sessões cine-escola, Mostrinha, Mostra Valores, exposição, performance audiovisual e shows. Acesse o site www.cineop.com.br.

Ainda em comemoração ao Dia do Cinema Brasileiro, comemorado no sábado passado, dia 19/6, abaixo estão alguns filmes importantes da produção brasileira em cinco serviços de streaming onde podem ser vistos. Acessar: www.cineop.com.br

Julia Murat no MAM

De terça até quarta-feira (apenas 24 horas) – filme
Pendular de Julia Murat ( 2017), com Raquel Karro. Rodrigo Bolzan, Neto Machado e Valéria Barreto. 108 minutos. YouTube do MAM-Rio.

Terça-feira

16hs – debate :(ao vivo via Youtube e Facebook)
Caminhos e processos: conversa com Julia Murat.
Com a participação da diretora e mediação de Nina Tedesco. Informações: cinemateca@mam.rio

 

Itaú Cultural Play:

Mostra Glauber Rocha – o curta tio e os longas Barravento e Deus e o diabo na terra do sol, Terra em Transe, O dragão da maldade contra o santo guerreiro e Câncer.

Mostra Luiz Carlos Barreto filmes ligados ao futebol como Garrincha, a alegria do povo, de Joaquim Pedro de Andrade e Isto é Pelé, de Barreto e Eduardo Escorel, representam a sua extensa filmografia.

Os documentários contemporâneos são pontos fortes: Carlos Nader (Pan-cinema permanente sobre o poeta Waly Salomon), Joel Zito Araújo (Cinderelas, lobos e o príncipe encantado, sobre mulheres capturadas pelo mercado de exploração sexual) e Júnia Torres (Aqui favela, o rap representa, sobre a cena musical em São Paulo e Belo Horizonte ). Esses são alguns dos diretores presentes.

Instagram: vídeo da atriz Mariana Lima imitando uma blogueira. E ainda para outros personagens da mesma rede, entre eles Esse menino (@essemenino) e Terapeuta Raiz (@nathaliapontocruz).

YouTube: Hugo Bonemer e Hugo Kerth estreiam o curta musical na segunda-feira, em celebração ao Dia Internacional do Orgulho LGBTQIAP+ com direção de Ranier Defensor .

Globoplay:

História do cinema brasileiro: 7 décadas em 50 filmes.

Dois clássicos de Nelson Pereira dos Santos, impactados pelo neo-realismo italiano: Rio, 40 graus e Rio, Zona Norte e também dele no Cinema  Novo: Vidas Secas. Do Glauber Rocha no Cinema Novo: Deus e o diabo na terra do sol e Terra em Transe; Joaquim Pedro de Andrade (O padre e a moça e Macunaíma); Luiz Sérgio Person (São Paulo Sociedade Anônima e  O caso dos Irmãos Naves).

Sucessos de públicos: Dona Flor e seus dois maridos, de Bruno Barreto; Lucio Flávio , o passageiro da agonia, de Hector Babenco; Bye  bye Brasil, de Cacá Diegues; e os dois Tropa de Elite, de José Padilha. A seleção inclui também documentários de Eduardo Coutinho (Cabra marcado para morrer, Santo forte, Edifício Master e Jogo de cena). E dois filmes de muita repercussão na última década: Que horas ela volta?,  de Anna Muylaert e Bacurau, de Kleber Mendonça Filho.

SPCineplay

Destaque para os canais em homenagem às mulheres, como as diretoras Ana Carolina (Mar de rosasDas tripas coração, Sonho de valsa); Lucia Murat ( Que bom te ver viva, Brava gente brasileira); Suzana Amaral (A hora da estrela); Tata Amaral (Um céu de estrelas); e a atriz e diretora Helena Ignez (Luz nas trevas). As seções Elas à frente e #52 filmes por mulheres também jogam luz sobre a presença feminina no cinema nacional, ontem e hoje.

É possível navegar pelo catálogo por meio de outras seções temáticas, como o Audiovisual negro e LGBTQIA+, e de recortes organizados por festivais, como o Especial Curta Kinoforum, do Festival Internacional de Curtas de São Paulo, e o Especial Ciranda de filmes. Há seleções reservadas também a Rogério Sganzerla (O bandido da luz vermelha), Hector Babenco (O beijo da Mulher Aranha), Andrea Tonacci (Serras da desordem) e José Mojica Marins, o Zé do Caixão (À meia-noite levarei sua alma, Esta noite encarnarei no seu cadáver).

Canal Brasil

Acervo de documentários e longas de ficção. Clássicos do Cinema Novo – Os fuzis, de Rui Guerra, e os filmes de Glauber – ao lado de produções mais recentes, como O palhaço, de Selton Mello, e Ex-pajé de Luiz Bolognesi. O humor caipira de Mazzaropi, que no auge da carreira levava milhões de espectadores aos cinemas, pode ser conhecido em uma dúzia de filmes, como Casinha pequenina e Jeca Tatu.

YouTube

Nessa plataforma há preciosidades antigas como O Ébrio, de Gilda de Abreu, com Vicente Celestino, seu marido, e um dos maiores sucessos de público do cinema brasileiro. Carnaval Atlântida apresenta a tradição das chanchadas musicais da Atlântida. Floradas na serra, Tico-tico no fubá, O cangaceiro, Uma pulga na balança e Absolutamente certo fornecem uma amostrage, do “cinema de qualidade” da produtora paulista Vera Cruz.

Festival de Cinema de Alter do Chão de 2021 (cinema, cultura, arte, ciência e preservação da Amazônia na abertura da 3ª Edição do  Fest  Alter). Sebastião Salgado é o grande homenageado e as inscrições estão abertas a partir  de  28/6 e até 28 de julho.   O evento tem várias Mostras Cinematográficas: Competitiva, Paralela e de Convidados, além de palestras, debates e Lives”, com assuntos diversos capitaneados por reconhecidos profissionais do cinema, TV, teatro, educação, música; lideranças indígenas, quilombolas, cientistas, ambientalistas e acadêmicos de universidades brasileiras e internacionais. Música, cultura, arte, cinema e aprendizado, 24 horas por dia, o ano inteiro, gratuitamente através da plataforma de streaming criada pela empresa produtora e realizadora. O festival é multicultural.!

A terceira edição do festival de Alter do Chão acontecerá nas datas de 8 a 12 de dezembro de 2021de forma online, na plataforma streaming exclusiva através Fest Alter Play https://festivaldealterdochão.com.br/festalterplay/, devido à pandemia Covid-19 que se encontra no país. Todo o conteúdo estará disponível de forma gratuita como foi realizado nas edições de 2019/2020.

As inscrições para participações dos filmes no Festival de Cinema de Alter do Chão ficarão abertas durante 30 (trinta) dias, começará no dia 28 de junho a 28 de julho de 2021 e todos serão informados através do Portal do Festival sobre o regulamento, inscrições, prazos e datas. www.festivaldealterdochao.com.br. As informações da lista dos selecionados pela curadoria do Fest Alter 2021 para participarem das Mostras Competitiva e Paralela serão anunciadas no Portal do Festival no dia 11 de outubro de 2021.

Este ano o homenageado será o fotógrafo e ambientalista brasileiro Sebastião Salgado, reconhecido mundialmente por seu trabalho de grande relevância. A homenagem será efetuada por intermédio de vídeos e  depoimentos de várias personalidades brasileiras e internacionais sobre a obra do  artista. Haverá participações diversas e toda a seleção dos artistas locais será realizada e coordenada pela Secretaria Municipal de Cultura de Santarém (Semc) através de um chamamento local para atender  reivindicações sobre um maior protagonismo regional, dando a oportunidade de estarem sendo selecionados pelos próprios santarenos, o que traz mais democratização, legitimidade e um olhar de seu próprio povo para as novas chances que o Festival propiciará e já propiciou nas duas edições anteriores.

O depoimento em vídeo do fotógrafo e ambientalista Sebastião Salgado, já em nosso poder e à sua disposição,  traz a colaboração, o olhar e  a felicidade do artista em participar, como homenageado, do Fest Alter 2021. 

 

Curtas LGBTQIA+ para ver no final de semana:

LGBTflix

Pro Que Der e Vier: fala da vivência de 9 mulheres transexuais que habitam a cidade de Salvador-BA. A narrativa leve é baseada no perceber-se, o trabalho, a familia, e a vida de transexuais. 38 min.Direção: Gilberto Rios.

Sexo e Claustro: documentário feito na Cidade do México, sobre Maria del Pilar, seus sentimentos a respeito de sexo e religião.13 min. Direção: @claupriscilla.

Para Costurar Folhas Secas: o curta conta o fim de um ciclo vivido por duas jovens negras e lésbicas que durante um passeiam pelo centro da cidade de São Paulo, entre memórias e presente, caminham lado a lado acessando detalhes e lembranças desse relacionamento.8 min.Direção: @dayrodrigues_art.

Além das 7 Cores: imersa na pulsante cena noturna da Rua Augusta, Daniela Glamour Garcia nos guia nessa crônica queer sobre os conflitos vividos por quem decidiu viver nas margens do que é considerado “normal”. Podem os limites, regras, classificações e categorias que nos são impostos fazer que a gente se sinta confortável com a gente mesma? 20 min. Direção: @camilabiau

Vestido de Laerte: Laerte percorre um longo caminho pela cidade de São Paulo em busca de um certificado.13 min.Direção: @claupriscilla

O mundo é redondo pra ninguém se esconder nos cantos – Parte II: O Beijo – Um refugiado Africano visita o Memorial Gay do Holocausto, em Berlin. O filme faz um paralelo entre a perseguição nazista aos homossexuais, com refugiados gays Africanos que fogem da pena de morte em seus países em busca de asilo na Alemanha. Segunda parte da série sobre Diaspora LGBTQ+.5 min. Direção: @goddinho

MEXA: Documentário performático sobre o Movimento e Encontro da Diversidade da população em situação de rua e vulnerabilidade em São Paulo, Brasil.24min. Direção: @favaretto888

 

SÉRIES

HBOEu terei sumido na escuridão: estreou na terça-feira. Na série documental, sobreviventes e familiares de James DeAngelo, “o assassino da Golden State”, reúnem-se para audiência pública de sentença do criminoso. Ele foi condenado por 50 invasões a residências seguidas de estupro e 13 assassinatos entre os anos 1979 e 1980,  na Califórnia.

HBO Max

Friends: um especial repleto de lágrimas e lembranças ccom o sexteto de Friends ( 1994 – 2004) que o público brasileiro pode conferir a partir do dia 29 (terça-feira) com a chegada da HBO Max.

PCC – o poder secreto: sobre os crimes da organização. Estreia terça-feira.

Netflix O Inocente – Uma morte acidental lança um homem em uma espiral de intrigas e assassinato. Ele encontra o amor e recupera a liberdade, mas um telefonema traz de volta o seu passado. Estrelando:Mario Casas,Alexandra Jiménez,Aura Garrido .Criação:Harlan Coben

One day a time: exibido na década de 1970 e relançado em 2017, Norman Lear jogou suas fichas na presença de porto-riquenhos, como as atrizes Justina Machado e Rita Moreno, melhor coadjuvante por Amor, sublime amor. A trama aqui encara temas como o consumo de drogas ilícitas e a homossexualidade.

Queer eye: com nova roupagem com time de consultores que transforma o visual de heterossexuais, mas abraça diferentes gêneros e orientações, reforçando a premissa de autoaceitação.

Brincando com o fogo – segunda temporada do reality show em que é proibido terminantemente namorar. Elenco de dez novos solteiros e solteiras em praia para disíaca. Que não respeitar a regra perde US$100 mil.

Sex/Life – com temas que trazem reflexões sobre o desejo feminino, a série apresenta a história de Billie Connelly (Sarah Shahi), uma mulher que vive entre o cotidiano pacato ao lado do marido, em Connecticut e o tórrido romance que ela imagina que poderia ter vivido com o ex-namorado.

Apple TV+Dickinson: a série conta um pouco a história de Emily Dickinson, uma das mais importantes poetisas americanas no século XIX. A produção funciona como uma fábula fantasiosa para tratar feminismo, homossexualidade e racismo, mas com linguagem moderna. A poesia de Dickinson está presente. A protagonista é interpretada por Hailee Steinfeld. Emily era diferente na pequena Amherst (Massachusets) de sua época. Vivia com o pai, a mãe,a irmã e o irmão. É apaixonada e tem um namoro com outra moça. Foi proibida pelo pai de se tornar escritora. A Emily da série cultura uma paixão pela morte.

Central Park – segunda temporada da animação musical indicada ao Emmy. A trama acompanha a intensa rotina dos Tillermans, uma família que mora no Central Park, em NY. Owen, o gerente local, é casado com PAige, uma jornalista e os dois criam os filhos Molly e Cole no parque mais famoso do mundo.

Canal Brasil  e GloboplayColônia série que estreia hoje, com Eduardo Moscovis como o Major Carvalho. Seu personagem negocia com a direção do hospício Colônia a permanência de presos políticos na instituição. primeiro episódio estará disponível para não assinantes por sete dias.Também hoje, os 10 episódios chegam ao Globoplay e o primeiro episódio estará disponível para não assinantes por sete dias. Andreia Horta também está no elenco.

Amazon – a série brasileira O Jogo, de Felipe Brêtas, já tem uma segunda temporada em desenvolvimento. Na história 12 atores ficam confinados em uma casa para disputar quem será o próximo protagonista d uma novela da maior emissora do país. A trama mistura realidade e ficção, tecendo uma crítica ferrenha ao universo dos realities shows. A história tem como base a paixão dos brasileiros por realities shows.Isso fomemtou a idealização do projeto em um pseudodocumentário que tem como objetivo satitizar a experiência vivida neste tipo de programa e entretenimento. Ganhou també o formato de filme que passe nos EUA.

Globoplay  

Lexa:Mostra esse poder . A série estreou ontem e chega em outubro ao Multishow. Lexa: Mostra Esse Poder é uma série documental que mergulha na trajetória da cantora e compositora brasileira Lexa. Os episódios relembram o início de sua carreira, mostrando os desafios, as reviravoltas, a consagração musical e os planos para o futuro. Centrada nas dificuldades de transição entre o anonimato e a fama, a atração revela os bastidores de uma vida quase sem tempo para descanso – afinal, Lexa precisa comandar sua equipe ao mesmo tempo que se dedica à família, amigos e marido. Tudo isso sendo uma das maiores artistas do país. E, para contar sua história de sucesso, nada melhor que o depoimento daqueles que sempre a acompanharam: Xuxa, Tati Quebra Barraco, MC Cacau, Anitta, Gloria Groove, Preta Gil, Bruno Cardoso (vocalista do Sorriso Maroto) e Konrad Dantas (criador da KondZilla).

Globoplay e Canal Brasil Colônia: a série dividida em 10 episódios, tem como tema a vida no hospício Colônia, em Barbacena onde mais de 60 mil internos morreram vítimas de maus-tratos, tortura e abandono no local ao longo de seus cem anos de existência. É a história de homens e mulheres que foram trancados indevidamente trancados no loca, inclusive presos políticos. O centro da trama é uma jovem grávida que é enviada ao hospício pelo próprio pai. Lá, ela se aproxima de outros pacientes e cria laços de amizade fundamentais para sobreviver de maneira sã, dentro do possível, a uma vida de abusos e violência diária. No elenco: Fernanda Marques, Andréia Horta e Augusto Madeira. Estreia hoje no streaming da Globo e no Canal Brasil.

Charmed: a série de sucesso na virada de 2000, com peripécias de jovens bruxas, tinha elenco 100% branco. Na versão 2018 na Globoplay, o trio protagonista é formado por uma atriz negra e duas latinas.

A Divisão – O Rio de Janeiro está acuado por uma onda de sequestros nos anos 90. As forças de segurança chamam agentes de fama controversa para salvar a cidade de bandidos e até da polícia. São duas temporadas.

Paramount+The Handmaids tale ( as Aias): já tem seu último capítulo na plataforma e aqui vai spoiler. June (Elizabeth Moss) consegue todos os seus objetivos: reencontra o marido e a filha e a punição de seu algoz, o Comandante Waterford (Joseph Fiennes).

 

LIVROS

Eric Hobsbawn: uma vida na História (Crítica, R$159,90): Richard J. Evans. O pensador marxista Eric Hobsbawn publicou mais de 20 livros, entre eles “A era dos extremos”, best-seller no Brasil onde seus títulos venderam mais de um milhão de cópias. Em 2003, participou da Flip de Paraty onde foi aplaudido ao andar pelas ruas. Em sua autobiografia,  “Tempos interessantes” (2002) revelou seu entusiasmo pelo PT. E é o ex-presidente Lula quem assina a apresentação de “Eric Hobsbawn: uma vida na História”, a biografia escrita pelo também historiador britânico Richard J. Evans que mergulho na vida do escritor desde quando se filiou ao Partido Comunista inglês. Hobsbawn também escreveu “Bandidos”, após sua pesquisa das Ligas Camponesas, em 1962, quando visitou o Brasil, assinalando a “pobreza desesperadora” que encontrou. Aliás, esse livro foi banido da Fundação Palmares “por tratar bandido como um ser que se rebela contra a injustiça”. Leiam o livro sobre a vida de Eric, é muito bom.

A vida vertiginosaJoão do Rio: há 100 anos morria no dia 23 de junho de 1821, João Paulo Emílio Cristovão dos Santos Coelho Barreto, jornalista, o grande cronista do Rio, João do Rio, o primeiro negro e gay a entrar para a Academia Brasileira de Letras. Foi também tradutor e teatrólogo. Escreveu vários livros, entre eles: A alma encantadora das ruas (1908), Dentro da noite (1910), A cidade e A vida vertiginosa (1911). Aos 16 anos, ingressou na imprensa, notabilizando-se como o primeiro jornalista brasileiro a ter o senso da reportagem moderna, entre as quais se tornaram célebres “As religiões no Rio” e o inquérito “O momento literário”, ambas reunidas depois em livros ainda hoje de leitura proveitosa, constituindo o segundo excelente fonte de informações acerca do movimento literário do final do século XIX no Brasil.

Nos diversos jornais em que trabalhou, granjeou enorme popularidade, sagrando-se como o maior jornalista de seu tempo. Usou vários pseudônimos, além de João do Rio, destacando-se: Claude, Caran d’Ache, Joe, José Antônio José. Como homem de letras, deixou obras de valor, sobretudo como cronista. Foi o criador da crônica social moderna. Como teatrólogo, teve grande êxito a sua peça A bela madame Vargas (1912).

Ao falecer, era diretor do diário A Pátria, dedicado aos interesses da colônia portuguesa, que fundara em 1920. No seu último “Bilhete” (seção diária que mantinha naquele jornal), escreveu: “Eu apostaria a minha vida (dois anos ainda, se houver muito cuidado, segundo o Rocha Vaz, o Austregésilo, o Guilherme Moura Costa e outras sumidades)…” Seu prognóstico ainda era otimista, pois não lhe restavam mais que algumas horas quando escreveu aquelas palavras.  Falecido dentro de um táxi, seu corpo ficou na redação de A Pátria, exposto à visitação pública. Seu enterro, dos maiores da história carioca, realizou-se com cortejo de cerca de cem mil pessoas. Na Academia Brasileira de Letras, que então ficava no Silogeu Brasileiro, na praia da Lapa, disse-lhe o discurso de adeus Carlos de Laet. Segundo ocupante da cadeira 26, foi eleito em 7 de maio de 1910, na sucessão de Guimarães Passos, e recebido pelo acadêmico Coelho Neto em 12 de agosto de 1910. Recebeu o acadêmico Luís Guimarães Filho. Em A vida vertiginosa, o jornalista aborda, na primeira década do século passado, as reformas urbanas do prefeito Pereira Passos, conhecidas como “bota abaixo” e que transformaram a vida no Rio de Janeiro. É um período histórico até recentemente mal estudado, apesar de ser um dos mais fascinantes da história da cidade. João do Rio, considerado por muitos o verdadeiro criador da crônica carioca, retratou essa época como ninguém. E, para provar isso, nada melhor do que essa publicação de “Vida Vertiginosa”, quase um século depois da primeira. Seu acervo está no Real Gabinete Português de Leitura.

O Último gozo do mundo: Bernardo Carvalho. O romance recém-lançado pelo autor se passa no Brasil pós-pandemia quando uma socióloga sai à procura do pai de um misterioso vidente, que se tornou capaz de prever o futuro após perder a memória como sequela do v[irus. Quando o livro de aproc=xima da metade, a narrativa é interrompida por uma discussão entre uma jovem e um professor universitário, ambos negros, sobre um suposto crime de racismo ocorrido em um hospital.Apesar da falta de provas, ela insiste que o crime aconteceu e lembra ao professor do quão é pernicioso o racismo brasileiro.

O menino do bosque  e O inocente (Arqueiro/ R$39,90 e R$44,90) Harlan Coben. O autor americano é a síntese do gênero policial e seus livros estão em 45 línguas. Além de 75 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, tem seus livros adptados para poduções de diversos países. A Netflix exibe três séries inspiradas em suas obras, realizadas em diferentes países: Não fale com estranhos (Inglaterra), Silêncio na Floresta (Polônia) e O Inocente (Espanha). O catálogo tem ainda a britânica Safe, com roteiro original feito por ele. Para o romancista de Nova Jersey há uma obsessão do público por narrativas sobre crime. No primeiro livro o detetive é uma espécie de Mogli, o menino lobo, já que foi criado na mata quando criança e que usa seus instintos especiais para investigar um desaparecimento. No segundo, aos 20 anos, Matt Hunter vive uma noite de horror que ficará para sempre gravada em sua memória. Durante uma festa, ao tentar apartar uma briga, ele mata uma pessoa acidentalmente e é considerado culpado pelo júri.

As sinhás pretas da Bahia – Suas escravas, suas joias (Topbooks): Antonio Risério. Chegas às livrarias este semana. Conta a história das “escravas trabalhadoras incríveis, que compraram ou ganharam  a liberdade, tornando-se elas próprias senhoras de escravos. Donas de joias reluzentes e muitos imóveis, elas se integraram à elite econômica de Salvador no século XIX, como algumas foram responsáveis pelo criação de terreiros de candomblé famosos, como o Gantois.

Curto-circuito: Quando o Brasil quase ficou às escuras – dos jornalistas Roberto Rockmann e Lucio Mattos. O tema central é o apagão de 2001, quando o governo de FHC enfrentou a falta de água nos reservatórios. Isso porque houve mistura de interesses, inépcias e empulhações que provocaram a crise e acabou com o sonho tucano de privatização das estatais elétricas. Prometeram que haveria disputa pelo fornecimento e as pessoas poderiam escolher de quem comprar. Nada aconteceu, as tarifas subiram e a crise hídrica voltou.

O riso dos ratos (Todavia, R$62,90) – Joca Terron nasceu em Mato Grosso, radicou-se em São Paulo e passa a pandemia no Ceará. Depois de A morte e o meteoro (de 2019 e publicado na França em 2020), romance onde o autor imaginou a Amazônia reduzida a um punhado de árvores e os últimos remanescentes  de uma tribo indígena forçados ao exílio, ele volta a conceber, em O riso dos ratos, um futuro distópico, de uma grande cidade sem nome onde um pai só pensa em vingar a violência inominável sofrida por sua filha. Enquanto perambula por esse lugar apinhado de moradores de rua e onde até as farmácias são geridas por milícias, esse pai vaga pela História do Brasil: vai de um supermercado abandonado convertido numa sinistra linha de montagem de um quilombo, a um latifúndio e a um navio negreiro até aportar na “origem”.

Tomie (Pipoca e Nanquim, R$64,90) –  Junji Ito. Autor de alguns dos mangás mais assustadores de todos tempos tem duas de suas obras lançadas finalmente no Brasil. Foi em 1986 que o autor japonês publicou sua primeira história em quadrinhos, Tomie, na revista Gekkan Halloween. Ele tinha 23 anos e trabalha em um consultório dentário, mas sonhava em ser um mangaká . A HQ de Ito sobre uma jovem que seduzia os homens e os levava a cometer crimes bárbaros, inclusive contra ela mesma, acabou ganhando menção honrosa naquele prêmio. Agora, 35 anos depois de sua publicação em capítulos, a aterrorizante saga de Tomie – que sempre retorna do mundo dos mortos, assombrando alguém – chega enfim por aqui em dois livros de quase 400 páginas cada um com dez anos de produção do autor.

Lugar nenhum – Um atlas de países que deixaram de existir (Rua do Sabão, R$59) – Bjorn Berge. Há três décadas, o autor começou a colecionar selos, analisando desde a tinta usada na escolha das imagens. Os seloe reunidos aqui, porém, trazem uma curiosidade: levam o leitor a conhecer a história de 50 países que existiram, mas por motivos diversos, foram apagados do mapa.

Enquanto os gigantes dançam (Quelônio): a ficcionalização de memórias em meio a um cenário de racismo, violência e hipocrisia das elites. È esse o moto que permeia os 24 contos que compõem o livro do jornalista Paulo Vicente Cruz. O autor carioca mescla gêneros como a crônica, o ensaio e o perfil de uma obra que transforma suas memórias em histórias que evidenciam questões sociais do país.

 

PODCASTS

Turnê do crime – detalha a atmosfera cultural que envolve delitos famososem diferentes países.

A febre de Kuru – na plataforma Orelo. Cleo e Silvero Pereira interpretam personagens reais envolvidos nos chamados Crimes de Arvoredo, entre 1863 e 1864, em Porto Alegre. Uma história tão apavorante que nem parece de verdade. A febre Kuru consiste em uma rara doença neurodegenerativa, infecciosa, causada por um príon. A palavra Kuru é de origem indígena e significa “tremendo de febre e frio”, sendo este um dos sintomas apresentados pelos portadores desta doença. Esta moléstia foi descrita pela primeira vez na década de 1950, na Nova Guiné.

MÚSICA

Sankofa (Jazz)  – Hoje, chega às plataformas esse álbum do pianista pernambucano de 29 anos,  Amaro de Freitas, seu terceiro e mais elaborado álbum com seu trio (o baixista Jean Elton e o baterista Hugo Medeiros) e que sai pelo selo inglês Far Out o mesmo que lançou Rasif (2018), o segundo álbum de Amaro ( que bateu a marca de um milhão de ouvintes no Spotify)e que conquistou a crítica internacional como o reconhecimento de  Milton Nascimento, Criolo e Lenine (com quem gravou faixas) e do bandolinista Hamilton de Holanda (com quem fez duo no Festival de Montreux de 2020). A revista Down Beat definiu sua técnica como “única e surpreendente”. Ele participou, inclusive, da Academia de Jazz original do festival. O astro de renome do jazz atual, Christian Scott definiu a passagem do brasileiro: “Quando sentou ao piano, o tempo parou. A cada nota crescia e gerava novas possibilidades”. Fique de olho porque ele está prometendo uma live.

E o forró eletrônico voltou a ganhar a mídia, desbancando o sertanejo. O último ranking das músicas mais tocadas do Spotify no Brasil, trouxe um marco: no top 50, 22 eram de forró eletrônico – quase 50%. E cada vez menos esse subgênero depende dos eventos tradicionais da cultura nordestina como as festas juninas.  O cantor potiguar Xand Avião domina as plateias. Hoje, ele tem 6,5 milhões de ouvintes no Spotify e, junto com Wesley Safadão, são os padrinhos dessa geração. Veja aí embaixo:

Batidão tropical o quarto álbum de Pablo Vittar foi lançado, ontem, nas plataformas digitais. O cantor está entre os cinco brasileiros mais seguidos no Spotify, perdendo apenas para Anitta e Luisa Sonza e com somente cinco anos de carreira. É a drag mais seguida do mundo, com 11 milhões de devotos no Instagram. Mais do que o dobro de RuPaul. A Time o listou como um dos dez líderes de cultura na próxima década. Nove faixas são de forró eletrônico. Pablo só gosta de ser tratada no feminino quando está “montada”. Afirma que não é uma mulher trans, mas uma drag.

Entre no  ritmo do forró eletrônico com:

O cearense Wesley Safadão, 32 anos, Ele é ele, eu sou eu (com Barões da Pisadinha); o paraibano DJ Ivis – 29 anos, Esquema preferido (com Tarcísio do Acordeon); a cearense Mari Fernandez – 20 anos, o, não vou; o pernambucano Zé Vaqueiro, 22 anos, Letícia; Barões da Pisadinha com os baianos Rodrigo Barão, 28 anos, e Felipe Barão, 32 anos, Recairei; o cearense Nattan, 21 anos, Morena; o potiguar Xand Avião, 39 anos, Não pode se apaixonar ( com DJ Ivis e MC Danny);  do RJ, Japinha Conde, 20 anos, Romance desapegado; o cearense Eric Land, 24 anos, Cidade inteira (com Xand Avião); e o cearense Tarcísio do Acordeon, 28 anos, Meia Noite (Você tem meu whatsapp).

Buarqueanas – o saxofonista e flautista Alexandre Caldi acaba de lançar nas plataformas digitais o álbum em homenagem a Chico Buarque que completou no dia 19/6, 77 anos. O disco, editado pela Biscoito Fino, traz releituras orquestradas de canções do artista como Noite dos Mascarados, O meu amor e Tanto amar, com acompanhamento do Quarteto Metacústico. Para o produtor musical, pianista e arranjador Tim Rescala, com esse trabalho Caldi nos mostra como é saudável e instigante atravessar fronteiras musicais. Segundo Tim, ele cruzou a linha que separa a canção popular da música de câmara e descobriu novos e insuspeitos universos musicais.

Guinga o álbum Zaboio do compositor e violonista se eleva ao evocar universo musical do interior do Brasil, extrapolando as fronteiras do país, vai para o jazz e a África. Todo esse universo parece circunscrito às ruas do subúrbio do Rio, cidade natal do artista de 71 anos. Já no streaming e será lançado também em LP. São 11 músicas, exceto Casa de Francisca, uma homenagem instrumental a São Paulo. Em Paulistana Sabiá, a homenagem é a Mônica Salmaso e em Sabiá negritude, para Mãe Tainha, a cozinheira de Itamaracá. Exalta ainda Candeia, Cartola, Duke Ellingtomn e Esperanza Spalding.

Esperança – quinto álbum da cantora e compositora Mallu Magalhães, 28 anos, que, atualmente, passa a pandemia em Lisboa com o marido, o compositor/ cantor  Marcelo Camelo, e a filha de cinco anos. O disco foi gravado na capital portuguesa, em 2019, e chegou agora ao streaming. Tem participação desde Preta Gil (no sambalanço Deixa menina) a Nelson Motta (com uma narração na bossa Barcelona). A faixa Quero quero, liberada anteriormente, faz parceria com fãs que, convocados pelo Instagram, mandaram seus vídeos interagindo com a canção. Para divulgar o álbum, Mallu investirá em lives.

Grupo Maneskin –vencedor do Eurovision deste ano e com a canção Zitti e Buoni, levou a banda ao top 10 global do Spotify, algo inédito para um grupo italiano. Com quase 18 milhões de ouvintes no último mês, a Maneskin ultrapassou, no mesmo período, bandas consagradas como Foo Fighters e Kings of Leon. O vocalista Damiano David tem 22 anos; a baixista Victoria De Angelis, 21; e o guitarrista, Thomas Raggi e o baterista, Ethan Torchio, 20. A banda é carismática e tem energia jovem no palco.

Mood Valiant o terceiro álbum da banda Hiatus Kayote da cantora, compositora e guitarrista australiana Nai Palm, de 32 anos, com arranjos do brasileiro Arthur Verocai. O quarteto fica entre o jazz, soul e as vanguardas eletrônicas ( teve suas músicas sampleadas por artistas como Beyoncé, Drake e Kendrick Lamar)

 

LAZER

DOMINGO – Como homenagem aos 100 anos da morte do grande cronista da cidade, João do Rio, a prefeitura organiza o passeio virtual João do Rio 100 anos- A alma encantada das ruas, que será realizado pelo Rolé Carioca, às 10hs, com transmissão pelo Zoom e pelo FaceBoook.

SHOWS/LIVES

HOJE / DICA: Alceu Valença, Diogo Nogueira e Adriana Calcanhoto

American Pianists Awards 2021

De 25 a 27 de julhouma série de concertos durante o final de semana, incluindo apresentações do Dove Quartet da Orquestra Sinfônica de Indianapolis. O evento final será o anúncio do pianista vencedor da American Pianists Awards deste ano.

19hs Hoje  – Recital de Música de Câmara – Quintetos para piano com Dover Quartet (Zarębski, Dvořák, Brahms, Franck, Schumann)

19h  – badoFinais do Concerto
Com a Orquestra Sinfônica de Indianápolis dirigida por Gerard Schwarz (Beethoven, Franck, Liszt)

14h30Domingo –  Final e Celebração de Premiação
Trabalhos individuais, seguidos de adjudicação, anúncio do vencedor e recepção (Liszt, Stravinsky Schumann, Chopin, Brahms, Scriabin, Albéniz, Rachmaninoff, Saint-Saëns). Assista ao vivo pelo canal do Youtube ou página do Facebook da APA

17 hs Jufas in concert – reunirá músicos de diferentes estilos de Juiz de Fora (MG) para um cross-over musical nos dias 25/26 e 27 de junho no YouTube canal Zinc Cult, gratuito

17hs – Ed SheeranTikTok

Luan estilizado/ youtube.com/luanestilizadoficial

19 hsAnastáciaYouTube

19hsNoitada Live com DJ Marcio Fernandes –  YouTube

19hs Kelvin AraújoYouTube

19h30Diogo NogueiraYouTube

20hAlceu Valença / youtube.com/TeatroBradesco

20hsLuan estilizado e Zero Potiguar:

20hQuero São João de Nóis Tudim / CTN no Facebook

20hsMatheus & Kauan (part. Raí Saia Rodada, Dorgival Dantas, Eric Land e mais) – YouTube

21h30Canal Arte 1–  Adriana Calcanhoto: exibe Um Show Só, da cantora. Na apresentação, a artista canta o repertório do álbum Só, um trabalho concebido, composto, registrado e lançado durante a quarentena e disponibilizado em 29 de maio de 2020 nas plataformas digitais. O espetáculo, que não conta com a presença de público ou de banda base, foi gravado no palco do Teatro Riachuelo. A cantora conta apenas com os sons de instrumentos como violão e guitarra, e até mesmo uma máquina de escrever durante o show.  “Não sei se algum dia eu conceberia um espetáculo como esse, mas a pandemia nos obriga a inventar novas formas para tudo e essa é a parte boa, inventemos”, declara. Para o espetáculo, Adriana optou por uma estética com cores fortes e contrastantes, assim como as de seu primeiro álbum, Enguiço. Veja em https://arte1play.com.br/ https://www.looke.com.br/CHANNEL/ARTE1

17hs e 21hsOrquestra Petrobras Sinfônica – a orquestra mergulha no universo da banda Guns NRoses. O show de hoje, daz parte da 3ª edição do Festival Online que a Opes inaugurou ontem no YouTube (/opesinf), com programas de Häendel no domingo, 16hs; Balão Mágico (amanhã, 17hs); e Michael Jackson (amanhã, 21hs).

HOJE, 17hs: a orquestra executa obras de Heitor Vill-Lobos, sob a regência de Carlos Prazeres e participação de Gabriel Grossi (gaita harmônica). A programação completa do festival está em www.petrobras-sinfonica.com.br.

21hs Mauricio Tizumba e Everton CoronéYouTube

21 hsRafael Cardoso e Afrodite:YouTube

 

BADO/ Dica: homenagem a Elza Soares,  Zeca Baleiro, Zélia Duncan e Maiara &Maraísa com Fernando&Sorocaba

17 hs Jufas in concert – reunirá músicos de diferentes estilos de Juiz de Fora (MG) para um cross-over musical nos dias 25/26 e 27 de junho

18hsMaiara & Maraisa e Fernando & SorocabaYouTube

19hs Zeca BaleiroYouTube

20 hs Carvalheira e Xand Avião na Fogueira / Atrações: DJ Ivis, Nattan e Tato da Falamansa / youtube.com/XandAviao

20hs  Rodrigo Teaser (12 anos sem Michael Jackson) – 20h (YouTube)

20 hs Homenagem a Elza Soares: a cantora completou 91 anos na quarta-feira e o musical Elza, visto por 120 mil pessoas desde a estreia, em 2018,  deu origem a um show on-line que srá transmitido hoje, da Cidade das Artes. Serão cantados os clássicos da cantora como “Se acaso você chegasse”, “Malandro” e “Lama”, além de outras mais recentes como  “A mulher do fim do mundo” e “Maria de Vila Matilde” que ganham versão na vozes de Janamô, Júlia Tizumba, Késia Estácio, Verônica Bonfim, atrizes do espetáculo, que recebem as participações da cantora Larissa Luz e de Caio Prado, autor de “Recomendado”, música do disco “Planeta Fome”, o último de Elza Soares. YouTube (/sarauagencia). Eles aceitam contribuição via Sympla.

 

21hsRael e Céu: após uma semana do lançamento de seu compacto “Passiflora”  nas plataformas, com a participação de Céu, o rapper Rael repete a parceria com a cantora paulistana na live de hoje, transmitida pelo YouTube (/raeldarima). Os dois vão cantar músicas de seu repertórios, como” Flor de Aruanda” e “Envolvidão”, dele, e “Malemolência” e “Varanda suspensa”, dela. O repertório terá covers de Bob Marley e Tim Maia. A banda que acompanha a dupla é em formato acústico com guitarras, violões , baixo e bateria. Vão recolher doações para a Rede de sementes do Vale da Ribeira.

21hsZélia DuncanYouTube

21hsZona Blue, Zero Balla e Fábio PaulistaYouTube canal Zinc Cult, gratuito

Domingo/ Dica: Calcinha Preta e Bet Awards

12hsSunday Live com DJ Marcio Fernandes –  YouTube

13hs Homenagens Áureas – # episódio 42. Homenagens que a cantora Áurea Martins faz a cantores e compositores em seu programa na internet no YouTube.com. A homenageada desse domingo é a cantora/compositora Cristina Buarque.

15 às 17hs – O projeto Orgulho, sim senhor realiza uma live, no domingo, para celebrar o Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+ com diversos cantores e cantoras como a Rainha Loulou e Scarleth Sangalo. O evento será realizado no Teatro Gamboa, com transmissão ao vivo pelo canal no YouTube. Apresentado em formato de talk-show, o projeto será conduzido pelo ativista Genilson Coutinho, e vai contar ainda com debates, shows e homenagens com foco na luta contra a invisibilidade e celebração do orgulho da comunidade LGBTQUIA+. O evento ainda contará com performances artísticas de Rainha Loulou, Scarleth Sangalo, Scher Marie, Tanucha Taylor, Sfat Auermann, Tereza Skype, Eyshilla Butterfly, Desirée Beck e Elivan Nascimento, além da apresentação do cantor Luis Antônio e da cantora Tati Aboim, que fará o show de encerramento.

16hs Leonardo de Freitas & Fabiano, Edson & Lucas, Wender Santos, Grupo Glicose e participação do Rode (Ousa samba) e Mateus (Alquimia).

16h Bloco Adorno / YouTube

17 hs Jufas in concert – reunirá músicos de diferentes estilos de Juiz de Fora (MG) para um cross-over musical nos dias 25/26 e 27 de junho

Calcinha Preta – Instagram (@calcinhapretaoficial)

18hsDaniela Mercury –para celebrar a diversidade e o respeito, a cantora se apresenta neste domingo, 28 de junho, o Dia Internacional do Orgulho LGBTQ+.O encontro será na casa da artista, em Salvador, a partir das 18h. A transmissão ocorre em seu canal oficial do Youtube. Cantora que conquistou o Brasil e o mundo já vendeu 20 milhões de álbuns, foi agraciada com um Grammy Latino e lançou 20 discos e sete DVDs ao longo de seus mais de 30 anos de carreira!É dona de hits inesquecíveis como “Canto da Cidade”

21h Bet Awards 2021 / na MTVEmicida está concorrendo ao prêmio de Melhor Artista Internacional nos #BETAwards! É isso mesmo, ele irá representar o Brasil na maior noite da cultura negra, os “BET AWARDS”, premiação que homenageia e celebra a excelência negra na música, televisão, cinema e esportes em 21 categorias. Os BET Awards 2021 serão transmitidos AO VIVO e você pode acompanhar tudinho na MTV! A @queenlatifah é a pura perfeição e um ÍCONE e, por isso, será homenageada com o PRÊMIO BET TRAJETÓRIA.

Segunda-feira

21hsFlávio Venturini –  YouTube

Quinta-feira

Now United

 

TEATRO

Hoje

Transe: estreou ontem no YouTube. Concebida originalmente como uma peça de teatro, Transe acabou, devido aos empecilhos da pandemia, virando um experimento que mistura linguagens. O projeto apresenta duas personalidades (vividas por Pedro Henrique Lopes e Oscar Fabião) de um garoto de programa em meio a discussões que permeiam valores morais, saúde mental e sexualidade. Baseada em relatos reais, a obra enfoca a conflituosa relação entre duas partes de um só corpo.O diretor é Diego Morais. Disponibilizada gratuitamente, mas é preciso resgatar o ingresso na plataforma Sympla (www.sympla.com.br) .

21 hs  Pele: a performance solo de Daniela Carmona segue os passos de uma mulher que perdeu a própria pele e trafega pelo mundo num estado de hipersensibilidade, sem saber onde termina sua existência física. A apresentação ao vivo acontece hoje, e fica disponível no YouTube (danielacarmonaarte) até 2 de julho.

19 hs – Partida: de sexta a domingo, é a estreia da semana. O tema é sobre duas atrizes, interpretadas por Inez Vianna e Denise Stutz que, na plateia, tentam criar uma peça teatral sobre uma mulher de 74 anos que, ao assistir ao espetáculo, Partido, adaptação de peça de Italo Calvino, escreve uma carta ao amante 30 anos mais jovem, rompendo a relação. Mas a carta nunca foi entregue. No canal do Sesc Rio do YouTube, gratuito. Até doming.

Angustia-me: texto: Julia Spadaccini e Marcia Brasil; direção: Alexandre Mello. Com Fábio Ventura, Leandro Baumgratz, Maria Adélia, Noemia Oliveira, Raquel Rocha e Rogério Garcia.A comédia dramática mergulha nas angústias de seis pessoas em situações inusitadas. O espetáculo segue disponível gratuitamente no Youtube com ingressos retirados pelo SymplaAté 30 de junho.

Ela e eu – Vesperal com chuva: com Suely Franco. É o primeiro monólogo da atriz, inspirado em um conto de Lúcia Benedetti e se concentra nas memórias de uma senhora sobre fatos corriqueiros da infância, amores do passado, decepções e sonhos que ficaram para trás. A montagem pode ser vista em qualquer horário até julho, A partir de R$ 20, por meio da plataforma Funarj Em Casa. 45 minutos. Até 22 de julho.

17hs – Fragmento de um sorriso: texto: livremente inspirado em entrevistas de Elisa Lucinda. Direção: João Artigos. Com Vilma Melo. O monólogo reflete sobre a expressão “quase da família”, utilizada muitas vezes para para se referir às mulheres que prestam serviço doméstico há muitos anos numa casa. R$ 10, no site do Teatro Petra Gold. 60 minutos. Até 30 de outubro.

20 hs –  O pior de mim: Texto e atuação: Maitê Proença. Direção: Rodrigo Portella. Em cena, a atriz traz à tona momentos e características pessoais que ela sempre manteve discretos. O espetáculo é transmitido do Teatro Petra Gold. Em entrevista sobre a peça, Maitê Proença diz: “Todos somos inseguros, mesmo os que têm verniz brilhoso, como eu”. R$ 20, no site do Teatro Petra Gold. 50 minutos. 14 anos. Até 30 de outubro. On line.

20 hs –  Minha amiga John Lennon: na 21ª Conferência de Depoimentos Inúteis, uma palestrante conta um fato inusitado, que transformou sua vida durante o período de isolamento social. Sex e sábR$ 25, por meio do Sympla. 30 minutos. Até 31 de outubro. On line

20 hs – A protagonista:  texto: Carol Barbosa, Juliana Soure e Tatiane Santoro. Direção: Juliana Soure. Com Aliny Ulbricht, Carol Barbosa, Rosa Nogueira e outras. A peça acompanha o dia a dia de quatro funcionárias de uma empresa que atua de maneira remota. Sex a dom.Para ter acesso, é preciso se inscrever no Instagram (@coletivoparalelas) ou por e-mail (contato.coletivoparalelas@gmail.com). 60 minutos. 14 anos. Até 11 de outubro.

Dez por Dez – é a versão brasileira do projeto Ten by Ten criado e executado por Neil Labute, dramaturgo, roteirista e cineasta norte americano. Projeto que reúne dez monólogos com duração de dez minutos, com personagens que representam um retrato da sociedade atual. Os personagens são homens e mulheres aos 20, 30, 40, 50 e 60 anos, que contam histórias relacionadas às suas vivências. A dupla criativa que assinará a adaptação para o Brasil é formada pelos irmãos Guilherme Leme, ator, diretor de inúmeras peças e espetáculos musicais e Gustavo Leme, cineasta e um dos principais diretores de filmes publicitários do Brasil. Até 11 de julho, as dez histórias poderão ser vistas no site do Teatro Unimed, gratuitamente. Duração de 10 minutos. Elenco: mulher de 60 anos – Ângela Vieira e homem de 60 anos –Leopoldo Pacheco; mulher de 50 anos – Denise Fraga e homem de 50 anos – Eucir de Souza; mulher de 40 anos – Pathy de Jesus e homem de 40 anos – Bruno Mazzeo; mulher de 30 anos – Chandelly Braz e homem de 30 anos – Ícaro Silva; mulher de 20 anos – Luisa Arraes e homem de 20 anos – Johnny Massaro.

1 – MULHER DE 60 ANOS: Angela Vieira – mulher conta sobre um momento do seu passado, em que viveu uma relação que se resumiu a único beijo e a marcou para o resto da sua vida; #10 – HOMEM DE 60 ANOS– Leopoldo Pacheco – homem expõe seu incômodo e resistência a mudanças de hábitos e costumes na sociedade. Aos poucos, vai se revelando um racista conservador e intolerante com imigrantes; #3 – MULHER DE 50 ANOS– Denise Fraga – mulher relata uma sequência de eventos trágicos em sua vida e revela, explicitamente, o desejo pelo suicídio. No final, ela provoca o espectador, pedindo sua ajuda para fazê-la desistir desse desejo; #4 – HOMEM DE 30 ANOS – Ícaro Silva – homem conta sobre uma viagem de avião, em que fica incomodado com sua vizinha de poltrona. Quando dorme durante o voo, sonha que eles vivem uma relação amorosa conflituosa e bizarra; 5 – MULHER DE 40 ANOS-Pathy De Jesus – mulher conta sobre seu casamento, em que era frequentemente espancada e abusada emocionalmente por seu marido. Ela foge de casa e acaba se relacionando com outra mulher, encontrando, assim, um novo casamento e, ao mesmo tempo, um esconderijo; 6 – HOMEM DE 40 ANOS – Bruno Mazzeo – homem conta como o futebol faz parte fundamental de sua vida. Ele tem um filho que joga no time da escola e, acompanhando um de seus jogos, ele se envolve em uma séria briga com outro pai. Aos poucos, entendemos que ele já está morto enquanto relata a história. Bela reflexão sobre a violência nos esportes; 7 – MULHER DE 30 ANOS–  Chandelly Braz – jovem fala sobre um acidente de trânsito em que uma amiga morreu enviando uma mensagem para o namorado. Aos poucos, revela que eles viviam um triângulo amoroso na época do acidente; 8 – HOMEM DE 50 ANOS – Eucir de Souza – homem discorre sobre o orgulho de estar casado há 30 anos. Ele não se conforma com casais que se separam e famílias não-tradicionais. Aos poucos, revela-se um homofóbico radical; 9 – MULHER DE 20 ANOS– Luisa Arraes – menina traída pelo namorado passa a ter várias relações afetivas sem sentido, como forma de vingança; 2 – HOMEM DE 20 ANOS – Johnny Massaro – garoto profundamente incomodado com a iminência da calvície vai revelando aos poucos um profundo amor por sua mãe, acreditando ser ela a única mulher que o aceitará careca.

Rádio – Acordar o tempo: a websérie estrelada pela atriz Luísa Vianna acompanha o dia a dia de Ernúbia, senhora que inventa um programa de rádio em sua sala de estar para dividir pensamentos sobre a vida e canções favoritas da era de ouro do rádio brasileiro. Gratuito, por meio do YouTube, no canal do Sesc Rio. Até 12 de setembro.

bado

21h Teatro ao vivo em casaPreta  Rainha: com Aysha Nascimento, direção de Flávio Rodrigues e texto: Jé Oliveira. Duração: 25 minutos. O espetáculo conta a estória da personagem Preta- Rainha, que é uma rainha de bateria de escola de samba. O solo traz uma reflexão sobre as políticas de embranquecimento, invisibilização e a objetificação do corpo da mulher negra. No YouTube.

Domingo

Tudo que eu queria te dizer: o solo de Martha Medeiros é com Ana Beatriz Nogueira. O projeto terá eventos pré-filmados e transmissões ao vivo.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012