10 de agosto de 2022


Jornalistas torturados
vão ser indenizados


06/11/2017


Catedral anglicana da cidade de Banjul, Gâmbia

O Governo de Gâmbia declarou estar disposto a respeitar o veredito do Tribunal sub-regional que ordenou o país o pagamento de indenizações a três jornalistas cujos direitos foram violados pelo antigo regime militar de Yahya Jammeh.

Hussein Thomasi, conselheiro especial do ministro gambiano da Justiça, revelou que o veredicto do Tribunal da Comunidade dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) contra o antigo Governo gambiano “será respeitado pela actual Administração”. “O ministro da Justiça iniciou as negociações com vista  à aplicação dessa decisão judicial”, declarou Thomasi a um grupo de jornalistas, em Banjul, antes de acrescentar que “somos membros da CEDEAO, pelo que não podemos opor-nos  às decisões deste órgão”.

O Tribunal da CEDEAO sediado na Nigéria emitiu, a 16 de Dezembro de 2010, um veredicto a favor do jornalista Musa Saidykhan, que apresentou uma queixa por prisão e detenção ilegais e por actos de tortura praticados por agentes do ex-Presidente gambiano, Yahya Jammeh.
Nesse veredito, o Tribunal declarou que a detenção de Saidykhan foi ilegal e inconstitucional, assim como a tortura que lhe foi infligida. Saidykhan deve receber do Governo gambiano, a título de indenização, 200 mil dólares. Do mesmo modo, o Tribunal comunitário da CEDEAO ordenou o pagamento  pela Gâmbia de 50 mil dólares, a título de compensação, a favor da família do jornalista Deyda Hydara, assassinado  em 2004.

 

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012