Jornalistas são sequestrados e canais de TV saem do ar na Líbia


22/08/2014


 

jornalistas sequestrados

Dois jornalistas foram sequestrados na Líbia e duas estações de TV estatais foram fechadas pelo governo na última terça-feira (21/8) após um ataque de militantes no país. De acordo com o Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ), as vítimas são Osama Rashid e Mohammed al-Saaidi, diretores da Líbia Internacional.

“Os ataques contra jornalistas e meios de comunicação só vai aumentar os rumores e desconfiança que são violentamente rasgando a sociedade líbia”, disse Sherif Mansour, coordenador do CPJ no Oriente Médio e do norte da África.

O Centro Líbio de Liberdade de Imprensa informou que os diretores saiam do trabalho quando um grupo militante os abordou. A TV Alassema noticiou ainda que os profissionais foram sequestrados pelo grupo Forsan Janzour, que criticou as emissoras para as quais os jornalistas trabalhavam por “fabricar notícias” sobre ataques de mísseis na região.

O governo líbio também parou as transmissões dos canais Al-Wataniya e al-Rasmiya. A ação veio após Tarek al-Huni se demitir do cargo de diretor do Al-Wataniya ao alegar que não possuía condições para trabalhar de forma independente. Autoridades encaminharam o pedido de cancelamento nas transmissões ao grupo Nilesat, empresa de radiofusão por satélite do país.

*Portal Imprensa

 

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012