Jornalistas resgatados desembarcam na França


02/03/2012


A repórter Edith Bouvier e o fotógrafo Willian Daniels, do jornal Le Fígaro, desembarcaram nesta sexta-feira, dia 2, no aeroporto militar Villacouby, nos arredores de Paris, na França, de um voo fretado pelo Governo francês. Os jornalistas foram resgatados na cidade de Homs, na Síria, que está sob forte cerco das forças leais ao ditador Bashar Al-Assad, e levados para o Líbano.
 
Bouvier e Daniels ocupavam um dos abrigos bombardeados no último dia 22, no bairro Baba Amr. No ataque foram mortos a jornalista norte-americana Marie Colvin, repórter do Sunday Times, e o fotógrafo francês Remi Ochlik, da agência IP3 Press.
 
O fotógrafo britânico Paul Conrov e Edith Bouvier, que ficaram feridos, postaram vídeos no Youtube, no dia seguinte ao bombardeio, pedindo trégua nos ataques para deixarem a Síria em busca de atendimento médico.
 
Opositores ao Governo sírio e membros do Exército Livre da Síria teriam participado do resgate de Conroy e auxiliado no seu deslocamento para o Líbano, na noite desta segunda-feira, 27. O jornalista espanhol Javier Spinosa, do jornal El Mundo, foi resgatado na Síria na noite desta quarta-feira, 29, e igualmente seguiu para o Líbano.
 
Valente
 
Antes do embarque, Bouvier, com uma fratura no fêmur, e Daniels foram conduzidos pela Cruz Vermelha Internacional a um hospital no Líbano, onde realizaram vários exames. Eles viajaram na companhia de dois médicos. No aeroporto francês foram recebidos pelo Presidente Nikolas Sarkozy, por parentes e pelo editor do jornal Le Figaro.
—Devemos ressaltar a valentia de Bouvier e o ânimo quase cavalheiresco de Daniels, que não a abandonou, mesmo estando ileso e tendo tido outras oportunidades para deixar o país. As autoridades sírias terão de prestar contas de seus crimes ante a jurisdição penal internacional. Os crimes não ficarão impunes, disse Sarkozy, que agradeceu a colaboração das autoridades libanesas e das forças de oposição sírias no resgate dos jornalistas.
 
O porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da França, Bernard Valero, comentou sobre o estado de saúde dos jornalistas:
—Seu moral está bom, mas eles estão cansados após tudo que passaram nos últimos dias. Edith foi muito bem cuidada pelos médicos sírios desde o princípio, o que evitou a piora de seu ferimento.
 
Os corpos de Marie Colvin e e Rémi Ochilik foram entregues nesta sexta-feira, 2, ao Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) para serem conduzidos a Damasco, assegurou a porta-voz chefe da CICV, Carla Haddad, em Genebra.
*Com O Globo, Estadão, Folha de S. Paulo, Último Segundo.
 

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012