Jornalistas exigem proteção na Colômbia


12/11/2010


O Círculo de Jornalistas de Bogotá exigiu do Ministério do Interior e Justiça da Colômbia e órgãos de segurança do país medidas de segurança para garantir a proteção dos profissionais de imprensa no país. O apelo foi feito nesta quinta-feira, dia 11, após as ameaças das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) contra a jornalista Jineth Bedoya, editora do jornal El Tiempo.
O Círculo de Jornalistas de Bogotá solicitou empenho do governo colombiano nas investigações dos assassinatos e ataques a profissionais da imprensa, que vem sendo atribuídos a grupos ligados ao narcotráfico.
 
A Fundação para a Liberdade de Imprensa (FLIP) também exigiu proteção aos jornalistas e repudiou os crimes contra os profissionais de imprensa na Colômbia.
 
“Jineth Bedoya, jornalista ou membro da inteligência militar?” questionou as Farc em mensagem inserida em banner no site da Agência de Notícias Nueva Colômbia (Anncol). A jornalista foi alertada pela polícia de que se tratava de uma ameaça.
 
Jineth Bedoya publicou quatro livros sobre o narcotráfico na Colômbia e vem recebendo várias ameaças. A mais recente ocorreu nesta terça-feira, dia 9, após o lançamento de seu último livro “Vida y muerte del Mono Jojoy”, sobre o líder guerrilheiro das Farc, Victor Julio Suárez Rojas, conhecido como Mono Jojoy, morto em setembro último. Na obra, a repórter afirma que Mono Jojoy teria ordenado assassinatos de jornalistas colombianos, entre eles, Néstor Morales, da Rádio Caracol, Adriana Aristizábal e Astrid Legarda, da TV RCN.
 
*Com informações do Knight Center for Journalism in The Américas, ANSA e EFE.
 
 

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012