Jornalistas denunciam agressões durante protestos na Venezuela


25/03/2014


Jornalistas denunciam que pelo menos 74 profissionais foram agredidos durante os confrontos que tomaram as ruas de Caracas desde fevereiro. (Crédito: Reuters)

Jornalistas denunciam que pelo menos 74 profissionais foram agredidos durante os confrontos que tomaram as ruas de Caracas desde fevereiro. (Crédito: Reuters)

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Imprensa (SNTP) da Venezuela denunciou neste domingo, 23 de março, a ocorrência de 74 casos de agressão a jornalistas pela Guarda Nacional Bolivariana (GNB) durante os protestos contra o governo do Presidente Nicolás Maduro, que tomaram as ruas de Caracas desde fevereiro. No mesmo dia, a procuradora-geral Luisa Ortega Díaz admitiu a ocorrência de abusos por parte das forças policiais e afirmou que estão sendo investigados 60 possíveis casos de agressão a repórteres.

Ortega destacou que estão detidos 15 funcionários acusados de cometer abusos, mas reforçou que se tratam de condutas isoladas, que não respondem a qualquer ordem de superiores. “Houve excesso de alguns funcionários policiais, mas não é que o chefe da GNB reúna seus funcionários para dizer a eles que violem os direitos humanos”, disse.

O SNTP expressou “preocupação com as consecutivas violações dos direitos humanos, particularmente agressões e ataques contra jornalistas, cinegrafistas, fotógrafos, meios de comunicação e cidadãos no exercício da info-cidadania”, destacou uma denúncia entregue à GNB.

O Sindicato realizou uma manifestação em frente à sede da Guarda, em Caracas, depois da detenção de dois jornalistas no sábado, 22 de maço. Mildred Manrique, jornalista do Diário 2001, foi presa de noite em seu apartamento em Altamira, no bairro de classe média de Caracas, e levada ao Destacamento N 51 da GNB, onde ficou presa por três horas.

Durante esse período, houve uma operação de busca e apreensão em seu apartamento, onde a GNB acreditava haver um estoque de coletes a prova de balas e munições, que não fora encontrados.

Israel Ruíz, repórter do time de beisebol Tiburones de La Guaira, continuava ontem detido na tarde de ontem pela GNB em Altos Mirandinos, no Estado de Miranda. Ele foi preso pela GNB na noite de 22 no estacionamento do prédio onde vive. A procuradora-geral não se pronunciou sobre os casos.

A Venezuela é sacudida desde 4 de fevereiro por uma série de protestos antigovernamentais para denunciar a inflação de 57%, a escassez de alimentos e produtos básicos, os abusos policiais e a detenção de políticos opositores. Desde 2013, vários jornais deixaram de circular ou tiveram suas edições reduzidas ela impossibilidade de conseguir divisas para a importação de papel.

*Com informações de O Estado de S. Paulo e portal Terra.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012