Jornalista detido após denunciar abusos policiais é liberado no Paraguai


Por Igor Waltz*

15/12/2014


López regressava ao Paraguai quando foi detido na fronteira com a Argentina (Crédito: site Marcha)

López regressava ao Paraguai quando foi detido na fronteira com a Argentina (Crédito: site Marcha)

O jornalista paraguaio Paulo López, do portal Análisis E’A, detido no último domingo, 14 de dezembro, após denunciar agentes policiais por práticas de tortura, foi liberado na manhã desta segunda, dia 15. Ele foi preso quando retornava ao país, vindo da Argentina, onde estava refugiado desde agosto.

López já havia sido detido no início do ano deste ano por apurar prisões indevidas na capital. O repórter foi acusado de agredir um policial ao investigar a identidade de pessoas detidas em uma manifestação contra o aumento do transporte público, em janeiro, na cidade de Assunção. Após deixar a prisão, ele prestou denúncia de tortura e detenção arbitrária à Promotoria de Direitos Humanos.

Em outubro, ele foi condenado pela Justiça, mas seus advogados alegam não terem recebido nenhuma notificação. Por estar em Buenos Aires, em um curso de mestrado, ele foi considerado foragido.

De acordo com Santiago Ortiz, secretário-geral do Sindicato de Jornalistas do Paraguai (SPP , na sigla em espanhol), praticamente não houve “investigações sobre o processo de López” e ele deve se convocado no próximo dia 23 de dezembro para reconhecer os policiais denunciados.

O líder sindical afirma que o jornalista agora deve passar por penas alternativas, incluindo a proibição de deixar o país e a obrigatoriedade de comunicar à autoridades todas as suas movimentações.

*Com informações da Agência EFE, TV TeleSUR e site Marcha. 

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012