Jornalista é assassinado por militares no Egito


Por Cláudia Souza*

20/08/2013


Confrontos no Egito (Foto: AFP)

Confrontos no Egito (Foto: AFP)

Tamer Abdel-Raouf, chefe de Redação do jornal Al-Ahram, da província de Buhayra, foi morto a tiros por soldados nesta segunda-feira, dia 19, perto de uma base militar na província de Beheira. O repórter Al Gomhuriya ficou ferido.

Abdel-Raouf e o repórter Al Gomhuriya retornavam de carro de uma entrevista com o recém-nomeado governador da província de Beheira, quando foram interceptados por militares que inspecionavam o cumprimento do toque de recolher. Como esta medida não vigora para jornalistas, depois de mostrar documentos de imprensa e identidade, os jornalistas prosseguiram a viagem, mas os soldados abriram fogo contra o veículo. Abdel-Raouf morreu no local e Al Gomhuriya ficou ferido quando o carro se chocou contra uma árvore.

Em comunicado no Facebook, o Exército afirmou que o carro dos jornalistas chamou a atenção por estar em alta velocidade durante o horário do toque de recolher. “Não houve tiroteio excessivo contra o carro em questão, nem intenção de matar aqueles dentro do carro”, disse a nota, que solicitava “a adesão ao toque de recolher para facilitar o trabalho dos serviços de segurança.”

O governo do Egito ordenou o toque de recolher, previsto para durar até o próximo mês de setembro, no último dia 14, após o ataque das forças de segurança a dois acampamentos de manifestantes que exigem o retorno do presidente deposto Mohamed Mursi. Cerca de 900 pessoas foram mortas no conflito.

*Com informações da Associated Press e Reuters/ Shadia Nasralla  

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012