GO: Jornalista condenado a indenizar Governador


Por Igor Waltz*

29/05/2013


Luiz Carlos Bordoni.

Luiz Carlos Bordoni.

O Governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), obteve ganho de causa contra o jornalista Luiz Carlos Bordoni em uma ação por danos morais. Na tarde desta terça-feira, o juiz Ricardo Teixeira Lemos, da 7ª Vara Cível da Comarca de Goiânia, condenou Bordoni a pagar R$ 200 mil ao governador a título de indenização.

Segundo informações da assessoria do Tribunal de Justiça de Goiás, na sentença, o juiz determina, também, e em caráter liminar, que o jornalista retire as entrevistas concedidas por Perillo e todas as declarações feitas contra o governador contidas em seu blog, sob pena de pagar multa diária de R$ 500 e ter a página suspensa na internet.

Para o juiz, houve “lesão seríssima” contra o governador nas declarações divulgadas pelo jornalista na Rádio CBN, no jornal Estado de S.Paulo e no blog, já que Perillo, “na condição de governador do Estado, foi acusado de caixa dois, insinuando-se que estaria envolvido no escândalo Carlinhos Cachoeira, com repercussão no País e no exterior”.

Para o magistrado, Bordoni não conseguiu provar as acusações que fez contra Perillo, relacionadas à existência de um caixa dois na contratação dos serviços do jornalista para propaganda na campanha política de 2010. Segundo o profissional, do valor total do serviço, R$ 170 mil, apenas R$ 33 mil foram declarados à Justiça Eleitoral. A diferença, ainda de acordo com as declarações do jornalista, teria sido paga pelo assessor direto de Marconi Perillo, Lúcio Gouthier Fiúza, diretamente a ele.

Bordoni declarou ainda que R$ 45 mil foram depositados pela Alberto e Pantoja – empresa laranja controlada por Carlinhos Cachoeira – na conta da filha de Bordoni, Bruna. “Publicou notícia inconclusiva, sem prova de suas alegações, utilizou do direito de imprensa para divulgar declaração não realizada pelo autor, autoridade política de inegável expressão regional e nacional”, afirmou o juiz Ricardo Teixeira na sentença.

No ano passado, Luiz Carlos Bordoni reiterou as acusações contra Perillo divulgadas na imprensa, quando convocado a depor na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) mista do Cachoeira no Congresso. Hoje, pelo Twitter, o jornalista indicou  que vai recorrer da decisão. “Avisem aos dipsômanos da Corte que da decisão cabe recurso”, afirmou. Ele questionou a condenação. “O juiz disse que eu não tenho provas. Ele as leu, as ouviu? Haveria audiência semana passada. Não fui citado. Aí tem”, escreveu.

De acordo com o advogado responsável pelo caso, João Paulo Brzezinski, a intenção não é de proibir o exercício das atividades do jornalista, mas sim evitar os excessos cometidos por profissionais da imprensa. Explicando que participa de uma banca de cinco advogados para propor ou não as ações judiciais, o defensor de Marconi Perillo disse que “a intenção não é de cometer perseguição contra jornalistas e sim coibir os excessos” e que todas as proposituras são impetradas quando “há consenso de todos os advogados”.

Ele citou o caso da jornalista Lênia Soares, formada pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e que escreve para o site Diário de Goiás, em que ela extrapolou os limites ao reproduzir imagem do governador atrás das grades em uma rede social.

* Com informações do portal Terra e jornal Opção. 

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012