6 de julho de 2022


Intimidação, oportunismo e otimismo – o jornalismo no Brasil em entrevista com Octávio Costa


06/06/2022


Desde o ano passado, o Brasil está na chamada “Zona Vermelha”, que inclui os países que oferecem maior risco para o exercício profissional do jornalismo. No último final de semana, mais um jornalista, Lucas Neiva, do Congresso em Foco, foi ameaçado de morte ao expor a tática de produção de fake news em favor de Bolsonaro. Neste cenário, o programa Espaço Plural – Debates e Entrevistas desta segunda-feira (6) fez uma conversa exclusiva com o presidente da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Octávio Costa, para tratar sobre o risco que corre o livre exercício do jornalismo no Brasil.

Octávio Costa inicia a entrevista comentando que no Brasil é evidente que a imprensa é dos grandes grupos empresariais, o que limita a chamada liberdade de imprensa, e lembra que nunca tivemos um grande veículo de esquerda que fosse lido por boa parte da população, como existem na França ou na Inglaterra. Ainda assim, ele analisa que esta piora da situação do jornalismo no nosso país é fruto do atual governo, onde as investidas de Bolsonaro e suas milícias intimidam e atrapalham o trabalho dos jornalistas – “apurar fatos neste governo é um grande risco”, alerta ele.

O presidente da ABI ainda lembra Tim Lopes como exemplo, no sentido de conclamar os jornalistas a exercerem seu trabalho mesmo nas situações adversas. “Mal começou a eleição e os grupos bolsonaristas estão mostrando as armas – e armas mesmo, pois estão armados com armas de fogo”, cita ele, ao lembrar que este ano é compromisso da entidade eleger um governo democrático, pois, apesar da ABI ser apartidária, não é momento de ficar em cima do muro.

Este compromisso perpassa pelo trabalho que os jornalistas terão ao lutar contra as fake news. Ele acredita que não será possível neutralizar as grandes e organizadas investidas dos esquemas de fake news, mas que com o trabalho sério dos jornalistas será possível mostrar o que é fato e o que é fake e atenuar os efeitos desses esquemas. Ele entende que nas eleições de 2018 nem a imprensa e nem os partidos de esquerda estavam preparados para lidar com esse tipo de coisa, mas hoje se vê esperançoso pelas munições que foram preparando neste meio tempo.

Octávio Costa ainda conversou sobre os processos contra jornalistas como forma de intimidação, assédio e abuso, sobre histórias profissionais dele e de colegas e como a atuação de alguns jornalistas durante a Lava Jato foi oportunismo ou acovardamento. Para conferir detalhes, você acessa a hora que desejar o programa nos canais na Rede Estação Democracia, no Facebook – https://fb.watch/du4jihLZp9/ ou no YouTube – https://www.youtube.com/watch?v=r-OeArFz9Ck

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012