Elmano Cruz (1966 e 1974-1975)

Combatido por uns e elogiado por outros, Elmano Cruz, segundo Edmar Morel, muitas vezes pagava despesas do próprio bolso. Mesmo quando adoeceu, manteve-se como um presidente lutador à frente da ABI, até seu estado de saúde se agravar demais.

Em 1966, Elmano Cruz esteve à frente da ABI por pouco tempo, o suficiente para completar o mandato de Celso Kelly. Já em 1974, substituiu Adonias Filho, num mandato que durou até agosto de 1975. Apesar das curtas passagens pela Presidência, foi considerado um dos líderes mais resolutos da Associação. Se faltava dinheiro para o cumprimento das despesas administrativas, não se furtava a recorrer aos amigos para concluir seus projetos, vários dos quais resultaram em mais conforto nas instalações da Casa.

Combatido por uns e elogiado por outros, Elmano Cruz, segundo Edmar Morel, muitas vezes pagava despesas do próprio bolso. Mesmo quando adoeceu, manteve-se como um presidente lutador à frente da ABI, até seu estado de saúde se agravar demais. A 27 de agosto de 1975, numa das mais agitadas sessões do Conselho Administrativo, renunciou ao cargo.

“Os artigos do site não refletem, necessariamente, a opinião da Diretoria da ABI”