Ícones do fotojornalismo no Museu da República


26/09/2008


O viés histórico-cultural das relações Brasil-Estados Unidos é o mote da exposição “Impressões visuais — 50 anos da Comissão Fulbright no Brasil”, em cartaz até o próximo dia 14 no Museu da República (Rua do Catete, 153 — Rio de Janeiro-RJ). Organizada pela Embaixada dos Estados Unidos e a Fulbright, a mostra celebra meio século de atividade da organização, que concedeu 3 mil bolsas de estudo, pesquisa e ensino para brasileiros nos EUA e cerca de 2,5 mil para norte-americanos no Brasil.

As 126 fotografias — dispostas nos módulos “Herança”, “Política”, “Cultura”, “Cidadania”, “Esportes” e “Meio ambiente” — foram publicadas na imprensa brasileira e norte-americana e cedidas pelos jornais O Globo, Jornal do Brasil, Folha de S.Paulo, O Estado de S.Paulo, Última Hora, The Washington Post e The New York Times, além de diversos museus. O material resgata episódios históricos dos dois países, como a queda dos Presidentes Nixon e Collor, a luta por direitos civis e a conquista do tricampeonato brasileiro na Copa do Mundo.

Memória visual 

     Módulo Herança

Ao longo de um ano e oito meses, o curador João Kulcsár selecionou as fotografias — algumas vencedoras de prêmios como Pulitzer, Esso e World Press Photo:
— A pesquisa foi feita em arquivos brasileiros e norte-americanos e pretende revelar imageticamente, em várias dimensões, algumas diferenças e semelhanças entre as duas nações, em aspectos histórico, documental e estético. Muitas das fotos resistiram ao tempo e continuam inspirando e evocando lembranças após anos de publicação em jornais e revistas. E muitas se tornaram, sem dúvida, ícones do fotojornalismo, pois conseguiram resgatar momentos históricos com força e inscreveram-se em um processo mais amplo da memória visual coletiva.

 Módulo Política

Módulos

Em “Herança”, as imagens retratam a formação dos dois países, resultado da mistura de povos indígenas, africanos, europeus, asiáticos e do Oriente Médio. Um caldeamento étnico e racial que enfrenta os desafios da desigualdade.

“Política” reúne 50 anos de intensas mudanças em imagens que retratam, entre outros fatos importantes, a construção de Brasília, a ditadura militar no País, a morte do Presidente Kennedy e o impeachment de Fernando Collor.

    Módulo Cidadania


As semelhanças culturais entre Brasil e EUA, apesar dos cenários distintos, são o mote de “Cultura”, com imagens do pôr-do-sol no Cristo Redentor e na Estátua da Liberdade, o fenômeno Carmem Miranda, a bossa nova unindo Tom Jobim e Frank Sinatra, a garota de Ipanema Helô Pinheiro, Marilyn Monroe e o carnaval no sambódromo.

Em “Cidadania”, estão expostas as lutas pelos direitos civis, liberdade e paz nos dois países. Aqui, Martin Luther King, o Movimento dos Sem-Terra, o ataque terrorista ao World Trade Center são os destaques.

O brilhantismo de Muhammad Ali está retratado em “Esportes”, ao lado de grandes heróis brasileiros, como João do Pulo, Éder Jofre e Ayrton Senna.

“Meio ambiente” exibe a devastação da natureza e catástrofes ambientais em contraste com a beleza natural das cataratas de Foz de Iguaçu, da Chapada Diamantina e do Grand Canyon. 

 Módulo Cultura

Intercâmbio

A Comissão Fulbright foi criada pelo Governo dos Estados Unidos após a Segunda Guerra Mundial para promover a compreensão entre os povos e cumprir a missão de seu fundador, Senador William J. Fulbright, que acreditava “em qualquer programa que transformasse nações em pessoas”.

A organização atua na área acadêmica em parceria com diversas instituições nacionais, promovendo o intercâmbio educacional e cultural.

Ao longo de cinco décadas, foram concedidas mais de 5 mil bolsas de estudos a brasileiros e norte-americanos, estabelecendo o diálogo entre as duas nações.
Dentro das comemorações do cinqüentenário, a Fulbright acaba de lançar uma nova bolsa de estudos para a Universidade de Columbia (EUA), em homenagem à antropóloga Ruth Cardoso. 

Reflexão

                     Módulo Meio ambiente

 
O Embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Clifford M. Sobel, presente ao seu lançamento, sublinhou o caráter reflexivo do evento:
— No mundo cada vez mais globalizado, precisamos continuar fiéis ao ideal de humanização das relações internacionais. As imagens da exposição nos inspiram a pensar sobre o que podemos esperar para os próximos 50 anos. Quaisquer que sejam os desafios à frente, estaremos em melhor situação se aprendermos mais uns sobre os outros, experimentarmos e compartilharmos a cultura de nossos povos.

 Módulo Esportes

Luiz Valcov Loureiro, Diretor-executivo da Fulbright no Brasil, destaca os talentos brasileiros que já participaram do projeto:
— Ao longo de cinco décadas, o trabalho da organização tem sido norteado pelo entendimento mútuo entre Brasil e Estados Unidos, buscando construir pontes entre as duas nações. Para atingir este objetivo, concentramos esforços em identificar lideranças e apoiá-las, fomentando o intercâmbio educacional e cultural. Ex-bolsistas da Fulbright incluem expoentes de diversos setores da sociedade brasileira, como o ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso, os escritores Moacyr Scliar e João Ubaldo Ribeiro, a Juíza Ellen Gracie, ex-Presidente do STF, e o economista Celso Lafer. Para os próximos 50 anos, além de manter o trabalho cujo resultado é amplamente reconhecido em todo o mundo, nosso desafio é ampliar o alcance do programa, trazendo para ele toda a diversidade que caracteriza nossos países e que está retratada nesta exposição.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012