Governo alemão desiste de processar jornalistas acusados de traição


Por Cláudia Souza

31/07/2015


netzpolitik-treason-spy-germany-meister (1)

Andre Meister e Markus Beckedahl são acusados de traição na Alemanha (Foto: www.ibtimes.co.uk)

Andre Meister e Markus Beckedahl, do site de notícias Netzpolitik.org, estavam sendo investigados pelo procurador-geral Harald Range pela publicação de relatório sigiloso denunciando o interesse da Alemanha em ampliar a vigilância nas comunicações através da internet.

Os procuradores, que iniciaram as investigações contra os jornalistas na última quinta-feira, dia 30, alegam que em dois textos, veiculados em fevereiro e abril do corrente ano, os repórteres teriam citado um dossiê do Departamento Federal de Proteção à Constituição (BfV), que propunha a criação de uma unidade de monitoramento da internet, incluindo as redes sociais. A veiculação de segredos de estado representaria um ato de traição, de acordo com a Procuradoria-Geral da Alemanha.

Em nota, o sindicato dos jornalistas da Alemanha comparou a decisão da Procuradoria a um ataque à liberdade de expressão.

— O processo judicial seria uma tentativa inadmissível de amordaçar dois colegas de posicionamento crítico, declarou Michael Konken, diretor da entidade.

Além do sindicato, dezenas de instituições que atuam na defesa da liberdade de imprensa e de expressão, representantes de veículos de comunicação, jornalistas e intelectuais protestaram veementemente contra a investigação dos repórteres, determinando a suspensão do processo. A plataforma de notícias Netzpolitik.org,  financiada por doações voluntárias, recebeu nesta sexta-feira, 31, milhares de euros em sinal de apoio.

O procurador-geral Harald Range afirmou que o encerramento do caso seria o melhor caminho “para o bem da imprensa e da liberdade de imprensa na Alemanha”.

Nos últimos 50 anos, nenhum jornalista enfrentou acusações de traição no país. O presidente da Associação Alemã de Advogados, Ulrich Schellenberg, destacou que há um interesse público fundamental para a compreensão do trabalho dos serviço secreto: — Para alcançarmos esta realidade é necessário interromper o processo investigatório contra a atuação do  jornalismo crítico.

A Procuradoria foi acusada de “buscar prioridades equivocadas contra os jornalistas investigativos Markus Beckedahl e Andre Meister, não tendo conseguido cumprir o seu papel investigando o escândalo de espionagem da NSA revelado por Edward Snowden.”

Em entrevista à emissora estatal Deutschlandfunk, Markus Beckedahl criticou a postura do governo alemão e afirmou que o objetivo era intimidar fontes e profissionais de imprensa. Em um comunicado, o site netzpolitik.org ressaltou que as acusações contra dois jornalistas de sua equipe e uma fonte tiveram motivação política: “Eles poretendiam esmagar o debate público vital sobre vigilância pós-internet Snowden. Os denunciantes devem agir pelo interesse público. Não vamos nos deixar intimidar pelas investigações e continuaremos a fazer jornalismo crítico e independente”

Em solidariedade aos dois repórteres do Netzpolitik.org, o site de pesquisa Corretiv  informou que publicará os documentos que originaram as acusações de traição. “Eles deveriam estar investigando todos nós”, alertou Markus Grill, editor-chefe do Correctiv.

*Com agências internacionais

 

 

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012