Fotógrafo tem material destruído em operação policial no Rio


07/05/2013


Fotógrafo Ubirajara Carvalho encontrou sua câmera no vaso sanitário e móveis revirados após ação policial em favelas do Complexo da Maré. (Crédito: Ubirajara Carvalho).

Fotógrafo Ubirajara Carvalho encontrou sua câmera no vaso sanitário e móveis revirados após ação policial em favelas do Complexo da Maré. (Crédito: Ubirajara Carvalho).

A Polícia Militar do Rio de Janeiro abriu inquérito para investigar denúncias de violência durante uma operação no Conjunto de Favelas da Maré, na Zona Norte do Rio de Janeiro, na última quinta-feira, 2 de maio. Quatro pessoas prestaram queixa na 21ª DP (Maré). Os moradores contaram que foram ameaçados e agredidos por policiais do grupo da elite da PM. A operação tinha como objetivo combater o tráfico de drogas na região. A Defensoria Pública do Estado anunciou, na sexta-feira, 3 de maio, que vai entrar com uma ação cível contra o Estado pela invasão das casas.

O fotógrafo Ubirajara Carvalho disse que, quando chegou em casa, encontrou as roupas e documentos espalhados, além de móveis revirados. Ele teve a sua câmera fotográfica jogada dentro do vaso sanitário. “Na hora da operação estava acompanhando um fotógrafo italiano na comunidade”, contou o fotógrafo.

Quando Ubirajara disse ter sido alertado sobre o caso por vizinhos. “Quando voltei, vi que eles [policiais] tinham entrado na minha casa e quebrado tudo. Estava tudo revirado e a minha máquina fotográfica, material de trabalho, estava dentro do vaso sanitário”, disse, acrescentando que não chegou a ver os policiais porque eles já tinham ido embora.

A Defensoria Pública vai pedir a responsabilização dos policiais envolvidos e do superior que ordenou a entrada nas residências de moradores sem mandados de busca. “É lamentável que isso seja uma realidade que cada vez mais acontece. Policiais sem qualquer mandado invadem casas de moradores”, disse o coordenador do núcleo de Direitos Humanos da Defensoria Publica estadual, Henrique Guelber.

A Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), presidida pelo deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL/RJ), acompanha o caso e enviará um ofício à Secretaria de Segurança para saber o motivo de os policiais terem entrado nas casas dos moradores sem terem mandado.

“Há indícios de que as casas foram invadidas e reviradas”, disse o delegado da 21ª DP (Bonsucesso), José Pedro Costa, responsável pelas investigações. O delegado vai pedir à Corregedoria da Polícia Militar o nome de todos os policiais envolvidos na operação. A PM abriu inquérito para investigar o caso.

Texto: Igor Waltz

* Com informações do Portal G1 e jornal O Dia. 

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012