Fala de Marina muda agenda da ANJ


20/08/2010


A candidata à Presidência da República, Marina Silva (PV), marcou a sua participação na sessão de encerramento do 8º Congresso Brasileiro de Jornais, na manhã desta sexta-feira, 20 de agosto, defendendo a liberdade de expressão e a democracia, valores pelos quais disse que vem lutando em toda a sua trajetória de vida.
 
A princípio, a participação de Marina Silva no Congresso organizado pela Associação Nacional de Jornais (ANJ) estava marcada para às 14h30, mas uma mudança na sua agenda de campanha forçou os organizadores do evento a alterarem o horário da sua intervenção para a parte da manhã. 
 
Em função da mudança, o Presidente da ABI, Maurício Azêdo, não pôde participar do encontro para o qual foi convidado devido a não ter sido informado pelo cerimonial da alteração no horário.
 
Ao se dirigir à platéia, Marina Silva disse que o direito de expressão “é uma conquista feita a duras penas”, o que aumenta a necessidade e a responsabilidade em preservá-la:     
— A liberdade de imprensa favorece a construção de um país mais justo e solidário. Se perseguirmos este objetivo, não haverá porque temer a liberdade, afirmou.
 
“Temos que ser livres para lutar por um mundo mais justo”, declarou Marina Silva lembrando que o Brasil é um país plural e com muita diversidade de idéias e ideais. Por isso, segundo a candidata, somente o exercício da livre expressão pode permitir que a sociedade adquira “um olhar transformador” sobre essa realidade.
 
Marina Silva alertou para o fato de que o momento atual, devido ao uso da tecnologia, favorece a qualquer pessoa criar a sua própria audiência, fazendo com que haja opiniões diferentes sobre um mesmo assunto. 
 
Segundo ela, é nesse aspecto que a imprensa cumpre o papel fundamental de ser o grande veículo difusor de notícias com credibilidade:
— A liberdade de expressão permite diferentes visões sobre os mesmos fatos. Cabe à imprensa o papel de trazer o olhar do outro. Estou aqui para me comprometer com esses diferentes olhares, ressaltou. 
   
Na quinta-feira os candidatos Dilma Roussef (PT) e José Serra (PSDB) participaram do 8º Congresso Brasileiro de Jornais, A exemplo de Marina Silva, eles também assinaram a Declaração de Chapultepec, adotada pela Conferência Hemisférica sobre Liberdade de Expressão, realizada no México, em 1994.  
 
O 8º Congresso Brasileiro de Jornais foi promovido pela ANJ nos dias 19 e 20 de agosto, no Windsor Barra Hotel, no Rio de Janeiro, onde reuniu cerca de 700 profissionais da indústria jornalística mundial, incluindo grandes especialistas nacionais e internacionais. O tema central do encontro foi “Jornalismo e Democracia na Era Digital”, que levou ao debate sobre o futuro do jornalismo de qualidade em meio ao avanço da internet e das mídias digitais. 
 
O debate em torno da autorregulamentação e da criação de um Conselho de Ética da ANJ foi o mais polêmico da pauta do Congresso. O tema teve como palestrantes Aluízio Maranhão, editor de Opinião do Globo, e Sidnei Basile, Vice-presidente de relações institucionais do Grupo Abril. Eles admitiram a existência de dificuldades na implantação de um Conselho de Ética dos jornais brasileiros.

Em seu pronunciamento, o Vice-presidente da ANJ, Nelson Sirotsky, esclareceu que o projeto foi elaborado por uma comissão composta por membros da Diretoria, e que seu objetivo é estender para todos os jornais associados os princípios de liberdade expressos no estatuto da entidade: —— Construindo isso com base em estudos, como estamos fazendo, eliminaremos a chance de que outros o façam. Queremos um código de ética que avalie também os nossos associados, declarou.

* Com informações da ANJ.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012