EUA criticam Irã por indiciamento de repórter do Washington Post


08/12/2014


O correspondente do Washington Post Jason Rezaian está detido desde julho (Crédito: Vahid Salemi/AP)

O correspondente do Washington Post Jason Rezaian está detido desde julho (Crédito: Vahid Salemi/AP)

O secretario de Estado americano John Kerry afirmou neste domingo, 7 de dezembro, estar “profundamente decepcionado” pela notícia do indiciamento do correspondente do jornal Washington Post em Teerã. O jornalista Jason Rezaian, detido há quatro meses, foi indiciado no sábado, dia 6, pela Justiça iraniana que negou o pedido para sua libertação, após pagamento de fiança.

A Justiça iraniana não esclareceu os motivos da acusação contra Rezaian, de 38 anos, que tem dupla nacionalidade, iraniana e americana. A data da próxima audiência no Tribunal de Teerã não foi divulgada. Na semana passada, as autoridades iranianas já haviam anunciado que detenção do jornalista seria prolongada em mais no máximo 60 dias.

O correspondente foi detido no dia 22 de julho juntamente com sua esposa, Yeganeh Salehi, que também é jornalista e correspondente do jornal The National, sediado nos Emirados Árabes. Eles foram detidos, segundo as autoridades iranianas, numa operação ligada à segurança nacional.

Salehi, de 30 anos, foi solta mediante fiança em outubro e a expectativa era de que o mesmo ocorreria com o seu marido.

Reação americana

John Kerry diz que ficou “abalado” com a maneira como o caso está sendo conduzido. Ele acusou o Irã de infringir a lei ao privar o jornalista do direito a ser defendido por um advogado.

“Os Estados Unidos estão profundamente decepcionados e preocupados com o indiciamento do jornalista do Washington Post sem uma acusação específica e com a decisão do juiz de indeferir seu pedido de fiança”, escreveu Kerry em um comunicado. O secretário de Estado americano pediu que as autoridades iraniana abandonem as acusações e libertem imediatamente Jason Rezaian.

O editor-executivo do The Washington Post, Martin Baron, disse que o jornal está ‘consternado e escandalizado’ pelas acusações contra Rezaian. “O governo iraniano não explicou por que prendeu Jason e por que ele está há quatro meses sem acesso a um advogado”, comentou Baron em comunicado.

“Sabemos que qualquer procedimento legal justo rapidamente determinaria que as alegações contra ele são infundadas”, completou.

*Com informações da RFI e France Presse.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012