Encontrado corpo de jornalista que denunciava corrupção no México


Por Kika Santos *

23/10/2014


Jesús Gamboa Urías (Reprodução internet)

Jesús Gamboa Urías (Reprodução internet)

O jornalista Jesús Antonio Gamboa Urías, que havia desaparecido em Sinaloa, no México, foi encontrado morto na última quinta-feira, dia 23. Ele era diretor da revista mexicana “Nueva Prensa” que denuncia assuntos relacionados à corrupção no país. Urías foi sequestrado no dia 10 de outubro, na saída de um bar.

Jesús Urías estava há mais de dez anos à frente da revista “Nueva Prensa”que publica denúncias de corrupção. O jornalista participou ativamente do movimento da categoria contra a aprovação da “Lei da Mordaça”, que impunha limites à cobertura das atividades policiais.

Até o momento, cinco homens foram detidos por suspeita de envolvimento no caso. “Pedimos que investiguem se a profissão de Gamboa motivou o crime”, disse Francisco Sandoval, que acompanha o caso pela ONG Artigo 19.

Informações da polícia local à agência de notícias AFP dão conta de que o corpo do jornalista foi encontrado semienterrado e apresentava ferimentos provocados por tiros.

A ONG Repórteres Sem Fronteiras (RSF) divulgou recentemente um ranking no qual o México é apontado como o país mais perigoso para jornalistas em toda a América Latina. Ainda de acordo com o levantamento, entre janeiro de 2000 e setembro de 2014, 81 profissionais de imprensa foram mortos na região.

*Com agências internacionais.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012