Edson Santos apóia homenagens a Mano Décio


03/08/2009


O Ministro Edson Santos, da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, vai apoiar os eventos em comemoração ao centenário de nascimento de Mano Décio da Viola, organizados pela ABI, G.R.E.S. Império Serrano, Instituto Cravo Albim, e Capemisa Vida e Previdência.

Maurício Azêdo, Jorginho do Império, Ministro Edson Santos e Mauro Diniz

O apoio foi firmado nesta sexta-feira, dia 31, na Associação Brasileira de Imprensa, em encontro que reuniu o Ministro Edson Santos, o Presidente da ABI, Maurício Azêdo, o jornalista e Conselheiro da entidade, Lênin Novaes, um dos organizadores do projeto, o cantor e compositor Jorginho do Império, filho de Mano Décio da Viola, e o músico, compositor e arranjador Mauro Diniz.

As homenagens a um dos maiores nomes da música popular brasileira tiveram início no último dia 14, com evento organizado por professores e alunos da Escola Municipal Mano Décio da Viola, em Jacarepaguá, zona oeste do Rio. No dia 18, foi realizada uma feijoada na quadra da escola de samba Império Serrano. No dia 20, um debate sobre a trajetória de Mano Décio reuniu, no edifício-sede da ABI, os pesquisadores Sérgio Cabral, Ricardo Cravo Albim, Raquel Valença e Haroldo Costa, mediados pelo Presidente da ABI, Maurício Azêdo. Na ocasião, artistas e personalidades da cultura foram agraciados com o Troféu Mano Décio da Viola. O encontro foi encerrado com um show de Jorginho do Império.

— Pedimos apoio ao Ministro Edson Santos para a realização dos outros eventos programados, como o Festival de Música Brasileira, a gravação de um CD duplo com as composições e sambas-enredo de autoria de Mano Décio da Viola, a realização de um grande show com diversos artistas, sob o comando de Jorginho do Império, no dia 18 de outubro, data da morte de Mano Décio da Viola, além de apresentações mensais de cantores da MPB, ao lado de Jorginho do Império, na sede da ABI, até junho de 2010, quando está previsto o encerramento das homenagens, explicou Lênin Novaes.

Parceria

Para a produção do CD, Jorginho do Império convidou Mauro Diniz, parceiro de longa data:
— Eu e Mauro Diniz trabalhamos juntos pela primeira vez há 14 anos, em 1995, quando ele produziu pela primeira vez um disco meu, intitulado Cidadão samba. Ele atuou como produtor, arranjador e músico. Só não deixei ele cantar para não perder a vez (risos). Considero este um dos melhores trabalhos da minha carreira

Mauro Diniz destacou na reunião a relevância do resgate da trajetória de Mano Décio da Viola na música popular brasileira:
— Eu e Jorginho do Império temos afinidades na música e também em nossa histórica, pois somos filhos de grandes compositores, ele de Mano Décio da Viola e eu de Monarco. Nossa empatia sempre foi muito grande. Estou feliz em participar desta homenagem a Mano Décio da Viola, que era uma enciclopédia da MPB. Costumo lembrar do velho ditado “Vão-se os anéis, ficam os dedos”, quando lembro de Mano Décio. Ele partiu, mas sua obra ficou perpetuada, imortal. É preciso ouvir Mano Décio para entender o seu papel ontem, hoje e sempre na música popular brasileira.

Compromisso

/TR>

Maurício Azêdo e  Edson Santos

O Ministro Edson Santos aplaudiu a iniciativa e assumiu o compromisso de apoiar o projeto através da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial:
— Vamos nos integrar às homenagens nas atividades propostas, entendendo que, independente da magnitude do evento, será sempre pouco em relação ao que Mano Décio representa para a cultura nacional. A estratégia de apoio inclui a nossa atuação como facilitadores na obtenção de recursos de empresas públicas. Vou designar um funcionário da Secretaria, vinculado à área de cultura, para uma reunião sobre a execução do projeto.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012