Editora Abril anuncia novos cortes e contraria decisão da Justiça de São Paulo


Por Cláudia Souza*

12/08/2015


 

 

info-revista

A empresa comunicou nesta quarta-feira, dia 10, o encerramento da versão digital da revista “INFO”, especializada em tecnologia e cultura digital, e a demissão de 10 jornalistas. No último dia 30, a Justiça de São Paulo proibiu dispensas de funcionários sob pena de pagamento de multa.

Dos dez profissionais demitidos, três deverão ser transferidos para a equipe do site Exame.com, que englobará o conteúdo da “INFO”. A versão impressa da revista foi encerrada em fevereiro último. A Editora Abril informou, à época, que a opção pelas plataformas digitais representaria “um movimento pioneiro coerente com a proposta da revista, e promovendo mais oportunidades para os anunciantes.”

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo(SJSP) publicou comunicado com o seguinte teor: “A editora Abril decidiu encerrar nesta quarta-feira (12), a versão digital da revista INFO e demitiu 10 trabalhadores, dos quais 5 jornalistas, 3 da área de TI e 2 estagiários. Ao receber a informação, a direção do Sindicato entrou em contato com a empresa e manifestou seu protesto.

Desde o início de junho, a editora Abril tem efetuado dezenas de demissões, o que levou o SJSP a recorrer ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT). Neste momento, a entidade sindical continua em litígio judicial com a empresa, procurando conter as dispensas. A próxima audiência está marcada para o dia 18 de agosto.

O Sindicato havia conseguido no dia 29 de julho, por decisão do vice-presidente do TRT, desembargador Wilson Fernandes, barrar as demissões em massa, sob pena da empresa ter que pagar R$ 15 mil por trabalhador dispensado. Entretanto, em nova audiência, realizada no dia 31 de julho, sob protesto dos dirigentes sindicais, foi incluída uma cláusula que estipulava um limite mensal nos cortes a 2% do total de 600 jornalistas da editora.

Em 2015, foram realizadas no Departamento Jurídico de Sindicato 156 homologações de jornalistas da editora Abril, das quais 34 em junho, 22 em julho e 6 em agosto.

Para o presidente do SJSP, Paulo Zocchi, é inaceitável a forma como as empresas estão tratando a categoria. “O setor de comunicação é muito beneficiado por uma grande desoneração tributária desde o início do ano passado, que equivale a uma forte injeção de recursos públicos. Em vez de preservarem os empregos, utilizam os recursos para o negócio e cortam empregos.”

O Sindicato dos Jornalistas tem se pautado pela defesa do emprego e dos direitos trabalhistas e continuará empenhado em conter as demissões na categoria.”

Justiça

No último dia 30, o desembargador Wilson Fernandes, vice-presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região SP, concedeu liminar ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo(SJSP), e ao Sindicato dos Administrativos no Estado de São Paulo(Sindaesp) desautorizando cortes de funcionários na empresa.

As duas entidades sindicais recorreram ao Judiciário para preservar os empregos e garantir direitos trabalhistas, diante de dispensa em massa de trabalhadores sem prévia negociação.

O magistrado, que incluiu a cláusula impeditiva na liminar que concedida às duas entidades sindicais em 29 de julho último, já havia determinado multa de R$ 15 mil por trabalhador demitido. Com a decisão, a empresa  não está impedida de demitir, terá de obedecer o limite mensal de dispensas.

“Ficam alterados os termos da liminar anteriormente concedida para estabelecer que até a próxima audiência as demissões por iniciativa da Empresa estejam limitadas a 12 jornalistas e 22 funcionários com prazo determinado”, diz o texto da decisão judicial tomada em meio a fortes rumores de que o Grupo Abril preparava uma nova onda de demissões.

 Fonte:SJSP

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012