Domingos Meirelles vence Prêmio Tim Lopes na categoria TV


Por Cláudia Souza

17/03/2015


prêmio tim lopes 2015

A reportagem ganhadora intitulada “O Mistério do Matador de Mulheres” foi veiculada no programa Repórter Record Investigação, da TV Record, apresentado pelo jornalista Domingos Meirelles, Presidente da ABI. A matéria revelou o caso de assassinatos em série de mulheres em Goiânia (GO), e os rumos da investigação que desafiou a polícia local. A equipe de reportagem reuniu os profissionais Daniel Motta, Luiz Gustavo Rocha, Lucas Wilches e Oloares Ferreira.

A lista dos vencedores das nove categorias da edição 2015 do Prêmio Tim Lopes de Jornalismo Investigativo foi divulgada nesta segunda-feira, dia 16. A reportagem “Prefeito de Coari (AM) é acusado de abusar de meninas de 9 a 15 anos, da TV Globo – Fantástico”, ganhou o “Grande Prêmio Tim Lopes”. Após a divulgação da denúncia, o prefeito de Coari e cinco servidores da prefeitura foram detidos por suspeita de participação no esquema. A equipe de reportagem foi composta por Mônica Marques, Giuliana Girardi, Walter Nunes, José de Arimatéa, Abiatar Arruda, Bruno Della Latta, Bruno Mauro e Claudio Gutierres.

Na categoria “Jornal Impresso” venceu a reportagem “Os Embaixadores do Narcosul”, produzida pelo repórter Guilherme Amado, do Jornal Extra, que investigou grandes organizações de tráfico de drogas na região do Mercosul. A apuração baseou-se em informações de fontes públicas e criminais referentes a 170 traficantes procurados na Bolívia, no Brasil, no Paraguai e no Peru.

A sequência de imagens feitas por Domingos Peixoto, do Globo, que revela o momento em que o cinegrafista da TV Bandeirantes, Santiago Andrade, é atingido por um artefato explosivo, durante uma manifestação na Central do Brasil, no Rio de Janeiro, foi a favorita na categoria “Fotografia”.

Os jornalistas Alex Almeida e Talita Badinelli, do El País Brasil, ganharam o prêmio Tim Lopes na categoria “Meio Ambiente”, com a reportagem “A corrida pelo ouro ameaça os Yanomamis da Amazônia Brasileira”, que mostra uma operação da Polícia Federal na qual foram presos 98 garimpeiros que atuavam no extermínio dos povos da região.

Publicada no Diário de Pernambuco, a matéria  “A Sin City Pernambucana”, de Ed Wanderley, conquistou o prêmio na categoria “Direitos Humanos”, registrando as mazelas da cidade de Verdejante, no sertão de Pernambuco, que apresenta um dos menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do País.

Na categoria Internet a reportagem vencedora foi “Tempo Perdido”, de Juan Torres, Alexandre Lyrio e Edvan Lessa, veiculada no “Correio 24h”. A matéria, que retrata a rotina de adolescentes envolvidos com a criminalidade local, foi inspirada na canção “Tempo Perdido”, do grupo de rock Legião Urbana.

Na categoria Rádio, Robson Machado de Souza, da Tupi, ganhou a premiação com a série de reportagens “Rosas Despedaçadas”, sobre mulheres que sobreviveram à violência doméstica.

A categoria “Repórter Cinematográfico”, criada nesta edição 2015, premiou Júlio Aguiar, da TV Globo, pela matéria “Ladrão ataca entrevistada durante reportagem sobre roubos no Rio”.

Investigação

O “Prêmio Tim Lopes de Jornalismo Investigativo 2015” foi idealizado pelo Disque Denúncia, o Instituto MOV-RIO,  mantenedor da Central Disque-Denúncia, e o Instituto Brasileiro de Combate ao Crime (IBCC), organização não governamental(ONG) vinculada ao Disque Denúncia.

Lançada em 2004, a premiação anual tem como objetivo fomentar a produção de matérias de cunho investigativo e destacar o trabalho de profissionais de imprensa que contribuem para o avanço das ações de segurança pública no âmbito da violência urbana, de crimes ambientais e dos direitos humanos.

Para a edição 2015  foram inscritos mais de 150 trabalhos que concorreram nas categorias Fotografia, Rádio, Internet, Mídia Impressa, TV, Direitos Humanos, Meio Ambiente e Repórter Cinematográfico, além do Grande Prêmio Tim Lopes de Jornalismo Investigativo, lançado nesta edição 2015.

A avaliação das reportagens avaliou relevância nacional ou regional do tema, a extensão da reportagem, a qualidade da edição, o esforço despendido pela equipe para a realização do trabalho, a repercussão e os resultados obtidos com a veiculação da reportagem.

Assassinato

Arcanjo Antonino Lopes do Nascimento, conhecido entre os colegas de imprensa como Tim Lopes, nasceu em Pelotas(RS) no dia 18 de novembro de 1950, e desapareceu  em 2 de junho de 2002, data em que, de acordo com depoimento de traficantes, o jornalista teria sido sequestrado e morto entre as 22h e 24h, no conjunto de favelas do Complexo do Alemão, Zona Norte do Rio. A morte foi confirmada cerca de um mês depois, em 5 de julho, após o resultado do exame de DNA realizado a partir de fragmentos de ossos encontrados em um cemitério clandestino da região.

Tim Lopes(Foto: (Foto:www.guardamaria. com.br)No dia 2 de junho,  Tim Lopes, que era produtor da TV Globo, esteve na favela Vila Cruzeiro para apurar denúncias que havia recebido de moradores da região, que incluíam prostituição infantil e consumo de drogas em bailes funk nas favelas do Complexo do Alemão. Tim Lopes portava uma microcâmera de vídeo escondida na bolsa que carregava na cintura. O objetivo era fazer imagens que confirmassem as denúncias.

Traficantes da área estranharam a presença de Tim Lopes no local e o abordaram. Há suspeita de que o assassinato do jornalista teria ocorrido em represália a uma reportagem  veiculada pela TV Globo em agosto de 2001, denunciando a venda de drogas no morro, o que provocou a prisão de vários traficantes da região.

O mandante do assassinato de Tim Lopes, de acordo com a investigação policial, teria sido o traficante Elias Pereira da Silva,o Elias Maluco, que liderava a facção criminosa Comando Vermelho no Complexo do Alemão. Tim Lopes foi espancado, torturado e teve o corpo esquartejado e queimado no morro da Grota, pertencente ao conjunto de favelas do Alemão.

 

Veja abaixo a reportagem vencedora da categoria “Televisão”

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012