“Os Irredentos” resgata trajetória de luta pela democracia no Brasil


Por Cláudia Souza

08/09/2015


irredentos2 480

 

Com lançamento marcado para o próximo dia 5, em São Paulo, e dia 11, no Rio de Janeiro, o filme homenageia cidadãos que participaram do combate ao regime autoritário no Brasil e destaca o legado político transmitido às novas gerações.

Produzido por Paulo Gomes Neto, Conselheiro da ABI, e Geraldo Sardinha, em parceria com a Gesto de Cinema Produções e o Levante Popular da Juventude,  “Os Irredentos” foi realizado com apoio do Instituto Rede Democrática – IRD, do Sindicato dos Petroleiros do Estado do Rio de Janeiro – Sindipetro-RJ, do jornal “O Saquá”, da  OAB-RJ, e do Memorial da Resistência de São Paulo – Núcleo da Memória Política.

O lançamento em São Paulo está agendado para o dia 5, às 14h, no Auditório Vitae, 5º andar do Memorial da Resistência, (Largo General Osório, 66 – Santa Ifigênia), e no Rio de Janeiro, no dia 11, às 17h, na OAB (Avenida Marechal Câmara, 150, 4º andar – Centro).

irredentos 480

Após a exibição do filme em São Paulo terá início o debate com a presença dos argentinos Pablo Videla e Julio Santucho, que militaram no Partido Revolucionario de los Trabajadores-Ejército Revolucionario del Pueblo (PRT-ERP);  Jandir Dario, do Levante Popular da Juventude – LPJ;  Raphael Martinelli, Paulo Gomes, Guiomar Lopes e Paulo Canabrava, que foram membros da Ação Libertadora Nacional – ALN; Geraldo Sardinha, ex-integrante do Partido Comunista Brasileiro Revolucionário – PCBR, do Partido Comunista do Brasil- PCdoB, e do Movimiento de Liberación Nacional-Tupamaro – MLN; Darcy Rodrigues, com militância na Vanguarda Popular Revolucionária – VPR.

No Rio de Janeiro o lançamento contará com a participação de Maria Prestes, viúva de Luis Carlos Prestes, histórica militante do Partido Comunista Brasileiro – PCB; Pablo Videla e Julio Santucho, Raphael Martinelli, Francisco Soriano, que atuou no Partido Comunista Brasileiro Revolucionário – PCBR e na Ação Libertadora Nacional – ALN; Dulce Tupy, que integrou as fileiras do Partido Comunista Brasileiro Revolucionário – PCBR, e é representante do “Saquá”; Paulo Mello Bastos, ex-piloto da Aeronáutica; e Pedro Alves, um dos fundadores do Movimento Revolucionário Oito de Outubro-MR-8.

— Entrevistamos cerca de 20 pessoas com o perfil da militância política no Brasil e na América Latina, entre as quais Maria Prestes, Raphael Martinelli, que presidiu a Federação Nacional dos Ferroviários, o jornalista Paulo Canabrava, Geraldo Sardinha, os argentinos Pablo Videla e Julio Santuco, entre outros combatentes do avanço e do domínio do regime autoritário na América Latina, incluindo referências vinculadas à igreja progressista. No lançamento do filme na sede do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (Cedim), agendada para o dia 9, às 10h, contaremos com a palestra da argentina Mercedes Stasi, reconhecida especialista em direitos humanos, explicou Paulo Gomes, preso em 1969, ao 22 anos, como integrante da ALN.

DSC00053

Paulo Gomes

De acordo com Gomes, o projeto documental prevê a sequência dos “Irredentos”:

— Este é o segundo documentário que realizamos sobre  militância política. O primeiro foi “Calabouço 1968 – Um tiro no coração”, sobre o assassinato do estudante Edson Luís, em março de 1968. É fundamental fazer o resgate histórico e repassar o legado político às novas gerações. Os jovens precisam saber que muitas batalhas foram travadas em defesa deste País e quem esteve na linha de frente da luta.

Para Jandir Santin, um dos diretores do filme, é importante mostrar ao público que o passado de militância política inspira a juventude.

— As novas gerações organizadas em luta representam um pedacinho de vitória, de revolução, do legado de inúmeras pessoas que até hoje lutam por uma sociedade mais justa.

Laís Melo, da equipe de direção, sublinha que o diferencial do documentário é a abordagem política pela ótica dos militantes:

— “Irredentos debate a importância da memória, de contar a história sobre o ponto de vista que não o da lógica hegemônica. O fato de termos jovens cineastas no projeto revela que a utopia ainda pulsa e que as bandeiras não esmoreceram.

* Postado dia 02 de setembro

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012