Corpo do jornalista Maurício Torres é sepultado no Rio


Por Igor Waltz*

02/06/2014


O apresentador e narrador Maurício Torres (Reprodução/TV Record)

O apresentador e narrador Maurício Torres (Reprodução/TV Record)

Foi enterrado no início da tarde do último domingo, 1º de junho, o corpo do jornalista e narrador esportivo Maurício Torres, de 43 anos. Ele estava internado no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo e morreu na noite do dia 31 de maio. O sepultamento, que aconteceu no Cemitério São João Batista, no bairro de Botafogo, zona sul do Rio, contou com a presença de colegas de profissão.

Segundo o boletim médico oficial, Torres teve falência múltipla dos órgãos. Ele estava internado desde o dia 1º de maio, devido a uma arritmia cardíaca. Após exames mais acurados, os médicos detectaram a existência de uma infecção pulmonar, que mesmo combatida à base de antibióticos, não regrediu, o que agravou seu estado de saúde. Ele era casado com a também jornalista Susana Naspolini e tinha uma filha de oito anos.

Desde 2012, Torres trabalhava como apresentador do “Esporte Fantástico”, da Rede Record, ao lado de Mylena Ciribelli e Cláudia Reis. Nascido no Rio, o jornalista iniciou sua carreira na década de 1990 no Sistema Globo de Rádio e nos canais Globosat.

Em 1996, entrou para a Rede Globo, onde além de fazer transmissões esportivas, apresentava o bloco esportivo do “Bom Dia Brasil”, eventualmente o Globo Esporte – além do “Espaço Aberto Esporte, da Globo News.

O narrador trocou a Globo pela Record em 2005, como primeiro locutor esportivo do canal. No mesmo ano participou dos programas “Terceiro Tempo” e “Debate Bola”.

Durante a trajetória profissional, participou da cobertura de grandes eventos esportivos, como a cobertura dos Jogos Olímpicos de Atlanta (1996), Sydney (2000), Atenas (2004) e Londres (2012), e dos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg , no Canadá (1999); Santo Domingo (2003), Rio de Janeiro (2007) e Guadalajara (2011). Cobriu também duas Copas do Mundo (França – 1998 e Coreia e Japão – 2002) e os Jogos de Inverno de Vancouver (2010) e de Sochi (2014).

Em nota, a Rede Record lamentou a morte de Torres. “O Brasil perde um dos principais jornalistas esportivos do País e um dos mais promissores talentos de sua geração. Externamos nossa solidariedade e sentimentos aos familiares, amigos e fãs”, diz o comunicado.

Nota oficial do Comitê Olímpico Brasileiro

“O Comitê Olímpico Brasileiro manifesta profundo pesar pelo falecimento do narrador esportivo e comentarista Maurício Torres, ocorrido neste sábado, dia 31 de maio de 2014, em São Paulo.

Maurício Torres teve uma vida dedicada ao jornalismo esportivo e participou dos grandes eventos esportivos internacionais. Sua voz e estilo próprio de narração marcaram várias conquistas do esporte olímpico brasileiro, traduzindo para o público telespectador a emoção característica de cada esporte.

Nesse momento de dor, o Comitê Olímpico Brasileiro se solidariza aos familiares e amigos de Maurício Torres, certo de que seu trabalho continuará para sempre na história do Movimento Olímpico nacional”.

*Com informações do jornal O Globo e Rede Record.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012