Caso Assange pode ir à Corte de Justiça em Haia


06/09/2012


O ex-juiz espanhol Baltasar Garzón disse que o Equador se prepara para levar o caso de Julian Assange à Corte Internacional de Justiça (CIJ), em Haia, se a Grã-Bretanha e a Suécia não chegarem a um acordo sob uma possível proteção ao criador do WikLeaks, para que não seja extraditado para os Estados Unidos.
 
Garzón que assumiu a defesa de Assange, disse temer a extradição do seu cliente para os Estados Unidos, sob as acusações de espionagem ou traição relacionadas ao WikiLeaks.
 
 
Segundo o ex-juiz, o Governo equatoriano teria a mesma preocupação:
— Meu entendimento é que essa medida (de levar o caso à Corte Internacional de Justiça) apenas ocorreria se não houver acordo entre as partes envolvidas, disse o ex- magistrado.
 
 
Para especialistas em relações internacionais, o caso de Assange pode vir a se transformar em um grande pesadelo para o Governo britânico, após meses de discussão e apelações diplomáticas e jurídicas sem que se chegue a um entendimento.

* Com informações do Portal Imprensa.

 

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012