Câmara homenageia
Jorge Bastos Moreno


28/03/2019


O jornalista Jorge Bastos Moreno — Foto: Leo Martins / Agência O Globo

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (27) o projeto de resolução que dá ao Comitê de Imprensa da Câmara o nome do jornalista Jorge Bastos Moreno, morto em junho de 2017.

Moreno foi colunista do jornal “O Globo” e morreu aos 63 anos, de edema agudo de pulmão decorrente de complicações cardiovasculares.

A proposta já foi promulgada pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Entra em vigor assim que for publicada no “Diário Oficial da Câmara”.

O Comitê de Imprensa da Câmara é uma sala próxima ao plenário da Casa. É onde se reúnem os jornalistas, de diferentes veículos de comunicação do país, que fazem a cobertura jornalística do cotidiano de votações e audiências públicas na Câmara.

Jorge Bastos Moreno nasceu em Cuiabá (MT) e foi morar em Brasília na década de 1970. O jornalista tinha mais de 40 anos de carreira. Trabalhou por cerca de 35 anos no jornal “O Globo”, onde chegou a dirigir a sucursal de Brasília.

Moreno venceu o Prêmio Esso de Informação Econômica de 1999 com a notícia da queda do então presidente do Banco Central Gustavo Franco e a consequente desvalorização do real (veja capas abaixo). O prêmio é um dos mais importantes no jornalismo brasileiro.

No fim da década de 1990, estreou coluna de sábado no jornal “O Globo”.

Comandou o talk show “Moreno no Rádio”, na CBN, às sextas-feiras à tarde. Era também o âncora do programa “Preto no Branco”, do Canal Brasil, e fazia participações frequentes na GloboNews.

Em março de 2017, lançou o livro “Ascensão e queda de Dilma Rousseff”. É também autor de “A história de Mora – a saga de Ulysses Guimarães”, lançado em 2013.

Fonte: G1

ASSOCIADO:

NÃO DEPOSITE EM CONTA DA ABI.

DEPÓSITO EM CONTA  NÃO É IDENTIFICADO.

PAGUE COM O BOLETO OU NA TESOURARIA.