2 de julho de 2022


Bethânia, Lady Gaga, Zélia Duncan em shows são as Dicas para a semana


15/03/2022


Por Vera Perfeito, diretora de Cultura e Lazer da ABI

Shows e musicais presenciais animam a vida noturna do Rio de Janeiro

Maria Bethânia e o maestro João Carlos Martins fazem um show amanhã e domingo e Zélia Duncan na sexta-feira e no sábado. Alcione e Bello e a Orquestra Petrobrás também se apresentam. Os musicais voltaram: Cazuza, Naked Boys (com nus artísticos) e Barnum, bem circense.Mas divirta-se também em casa com séries, filmes, livros, música. Boa semana para todos.vNão perca a vida e obra do poeta Cacaso em documentário que será exibido no Cineclube Macunaíma e com debate, à noite. O musical Naked boys singing traz dez atores nus dançando em cena desmistificando a nudez. O filme Casa Gucci com Lady Gaga está Netflix. E mais muito mais em Dicas.

NA ABI

19h30 Terça-feira (15/3) – Cineclube Macunaíma: O Cineclube Macunaíma exibe hoje, a partir das 10h e até segunda -feira, o documentário Cacaso na corda bamba, de José Joaquim Salles e PH Souza, sobra a vida e obra do poeta, professor e compositor Antônio Carlos de Brito que abandona um destino próspero e se torna Cacaso, um dos líderes do movimento da poesia marginal, na luta contra a censura estipulada na época. Ele fez mais de 40 sambas com Elton Medeiros e muitas outras músicas com Joyce Moreno, Francis Hime, Suely Costa, Edu Lobo, entre outros. O mineiro Cacaso, que se tornou carioca, morreu, precocemente, aos 43 anos de infarto fulminante. Às 19h30, haverá um debate com os diretores do longa de 2016, o cineasta Silvio Tendler, a cantora Olivia Hime, tendo Rodrigo Fonseca como mediador. Assista ao filme e o debate pelo canal da ABI no YouTube no link: bit.ly/3uZn84f.

TELEVISÃO

Das 11h às 16hGLOBONEWS Central da Guerra. A Guerra na Ucrânia pauta novo programa da emissora exibido ao vivo. O canal abriu o sinal no G1 e nas operadoras de TV por assinatura. Em meio à Guerra entre Ucrânia e Rússia, a GloboNews amplia sua cobertura sobre o conflito no Leste Europeu. O Central da Guerra deve ser mantido na grade do canal de notícias nos próximos dias. O programa está sob o comando dos jornalistas Cecília Flash e Tiago Eltz e conta com a participação de convidados, correspondentes internacionais e dos comentaristas Marcelo Lins e Marita Graça, que apresentam e analisam o contexto vivido na região ucraniana. Um estúdio especial foi disponibilizado para o programa. O Central da Guerra fica ao vivo, das 11h às 16h, em um estúdio especial, trazendo informações detalhadas da evolução do conflito, mapas, últimas notícias, contextualização histórica e tudo que é preciso para entender as razões da guerra e as consequências dela no resto do mundo. Para a ampliação da cobertura sobre o conflito entre Rússia e Ucrânia, o Conexão GloboNews teve sua duração reduzida em duas horas. Além dele, outro programa afetado pela nova grade do canal foi o Estúdio i, temporariamente suspenso. Maria Beltrão participa do Central da Guerra, a partir das 13h. Muioto boa a ideia de abrir o programa informando o horário local e dos lugares onde está o conflito.

GLOBOPLAYConversa com Bial – o programa vai ao ar na TV Globo, de segunda à sexta-feira, nas madrugadas, o que é uma dificuldade para a maioria do público assistir. A entrevista com  Joaquim Barbosa, ex-presidente do STJ, só entrou após às 3h (!!!). Mas vale ver.

Para alcançar maior número de espectadores, o canal de notícias do Grupo Globo abriu seu sinal nas operadoras de TV por assinatura e pode ser acompanhado gratuitamente pelo portal g1.

SÉRIES

HBO Max 2022: estreou ontem no canal e conta com mais de 50 artistas como Caetano Veloso, Chico Buarque, Carlinhos Brown, Elza Soares, Gal Costa, João Bosco, Martinhos da Vila, o indígena Owerá, entre muitos outros.

HBO The Gilded Age: O herdeiro de uma família conservadora embarca em uma missão para se infiltrar no rico clã vizinho.

STAR+How I met your father: é derivada da série de sucesso “How I met your mother (Como encontrar sua mãe)”. A comédia acompanha a vida de Sphie (Hilary Duff) e seus amigos. Tudo começa quando ela resolve contar ao filho como  conheceu seu pai. Apesar da premissa ser a mesma, os criadores da série afirmam que esta é uma produção original e não uma versão da primeira.

GLOBOPLAYNa corda bamba: com Lucélia Santos no elenco, esta é a Terceira novela portuguesa  disponível na plataforma. Indicada ao Emmy Internacional, a trama conta a história de Lúcia e Pipo e um segredo envolvendo a família do casal: seus três filhos são roubados e eles vive mem constant tensão para que ninguém descubra o crime.

NETFLIX  

The last kingdom: a série chega à quinta temporada. A trama começa muitos anos depois dos acontecimentos da última temporada. Desde então, o Rei Eduardo se manteve firme em seus planos para unificar os Reinos Saxões e, desse modo, realizer o sonho de seu falecido pai – mas uma nova invasão dos Daneses e uma rebelião saxã ameaçam romper a frágil trégua que existia entre os dois povos. Uhtred (Alexander Dreymon) recebeu a missão de proteger Aethelstan, o future Rei da Inglaterra e filho ilegítimo de Eduardo. Nesse cenário, o protagonista enfrentará batalhas contra seus maiores inimigos, sofrerá perdas e dará passos importantes para cumprir seu destino. A nova temporada não terá a responsabilidade de abordar os outros cinco volumes do material original e entregar um encerramento para a jornada Uthred. A Netflix já confirmou a produção de um filme que seguirá os eventos do seriado. Intitulado “Seven Kings must die”, o longa está previsto para começar as filmagens este ano.

Ninguém pode saber – a série que acaba de estrear está na vice- liderança das plataformas, atrás apenas de “Vikings: Valhalla”. Toni Colette é a protagonista (“Unbelievable” e “Wanderlust”) e um chamariz, mas não é a única carta na manga. Seus produtores são de “Big little lies” E “The Undoing”. O primeiro episódio apresenta o enigma que nor56eará o siuspense: qual é a verdadeira história de Laura (Toni)? O enredo é ambientado na cidadezinha pacífica de Belle Isle. A protagonist almoça com a filha , Andy (Bella Heathcote), no aniversário de 30 anos dela. A moça tinha se mudaddo para Nova York, mas voltou para cuidar da ,ãe, com cancer de mama. No local, aparece um rapaz descontrolado que assassina três pessoas. Laura se joga no chão cobrindo o corpo da filha. Quando o rapaz se aproxima, ela o desarma e o mata como uma professional treinada. As interrogações aparecem para a pacata fonoaudióloga. Seus segredos do passado aparecem. Vale conferir.

APPLE TVThe last days of Ptolemy Grey: a partir de hoje. Estrelado e produzido por Samuel L. Jackson, o drama é uma adaptação do livro homônimo escrito por Walter Mosley. Ptolemy Grey (Jackson) é um idoso solitário  de 91 anos e com demência que, ao lado da adolescente orfã Roby (Dominique Fishback), descobre um tratamento que pode recuperar suas memórias.

PARAMOUNT+As seguidoras: Liv (Maria Bopp, da sátira “Blogueirinha do fim do mundo”) é uma influenciadora tão obcecada por seguidores que se torna uma serial killer. Mas ela não sabe que está sendo investigada pelo podcaster Antonia (Gabz), que pode destruir seus planos. Escrita por Manuela Cantuária, a série tem seis episódios.

INSTAGRAM@hysteriaetc.Tapa na caram estreou esta semana                                                                                                                                             : Tati Bernardi conversa com seis entrevistadas sobre todos os assuntos. Ela é escritora, roteirista, cronista e podcaster, 41 anos, e não esconde suas questões, dúvidas, constrangimentos e é uma sinceridade total. Ela se expõe na série. Ela adota a cultura do cancelamento. Durante dez minutos ela leva tapas intelectuais de Renata Corrêa sobre feminism, MAqui Nóbrega sobre gordofobia, Dandara PAgu sobre racism, Giovanna Heliodoro, a Transpreta, sobre transfobia, Giovanna Nader sobre sustentabilidade e Vera Iaconelli sobre cancelamento.

FILMES

No ano em que se celebra o centenário da Semana de Arte Moderna, a retrospectiva usa a linguagem cinematográfica para abordar diferentes facetas do movimento. A programação, composta por longas e curtas-metragens no CCBB, prevê 54 sessões presenciais e atividades paralelas que incluem aula magna e debates. Destacam-se títulos como Limite (Mario Peixoto, 1931), Tarsila, 50 anos de pintura (Fernando Coni Campos, 1969), Macunaíma (Joaquim Pedro de Andrade, 1969), Di (Glauber Rocha, 1977), Eternamente Pagu (Norma Bengell, 1988) e Oswaldianas (Júlio Bressane, Lúcia Murat e Rogério Sganzerla, 1992), entre outros.  Programação:

Sessão especial com música ao vivo de Tomás Improta + projetor na salaTomás Improta acumula prêmios e reconhecimentos como pianista, compositor, arranjador e professor. Gravou e se apresentou com artistas como Baden Powell, Caetano Veloso, Chico Buarque, Djavan, Elizeth Cardoso, Gal Costa, Gilberto Gil, João Bosco, João Donato e Paulo Moura. Em carreira solo, lançou com sucesso de crítica os discos TearBartók JazzCertas mulheresA volta de AliceOlha pro céu, entre outros;

Hoje 17h: Perigo negro | Rogério Sganzerla | 1992 | 16 anos | 28min | Digital /Quem seria o feliz conviva de Isadora Duncan? | Júlio Bressane | 1992 | 16 anos | 28min | Digital + Uma noite com Oswald | Inácio Zatz e Ricardo Dias | 1992 | 16 anos | 29min | 35mm; 19hComo era gostoso o meu francês | Nelson Pereira dos Santos | 1971 | 18 anos | 1h24min | 35mm.

Amanhã:14h: Não vim no mundo para ser pedra | Fabio Rodrigues Filho | 2021 | Livre | 26min | Digital/ Chico Antônio, o herói com caráter | Eduardo Escorel | 1983 | Livre | 40min | Digital/16h: O mestre de Apipucos | Joaquim Pedro de Andrade | 1959 | Livre | 8min | 35mm + Macunaíma | Joaquim Pedro de Andrade | 1969 | 16 anos | 1h50 min | 35mm; 19h: Por onde anda Makunaíma? | Rodrigo Séllos | 2020 | 12 anos | 1h24min | Digital;

Domingo – 15h: Deus e o diabo na terra do sol | Glauber Rocha | 1964 | 12 anos | 2h | Digital/18h: Terra em transe | Glauber Rocha | 1967 | 14 anos | 1h55min | 35mm

Segunda-feira: 16h30: República do Mangue | Julia Chacur, Mateus Sanches Duarte e Priscila Serejo | 2020 | 10 anos | 8min | Digital + Mangue-bangue | Neville D’ Almeida | 1971 | 18 anos | 1h20min | Digital/ 19h: O mandarim | Júlio Bressane | 1995 | 16 anos | 1h30min | Digital

Quarta-feira

16h30: Tarsila: 50 anos de pintura | Fernando Coni Campos | 1969 | Livre | 8min | 35mm / Viagem ao fim do mundo | Fernando Coni Campos | 1968 | 12 anos | 1h30min | Digital/ 19h: Orgia ou O homem que deu cria | João Silvério Trevisan | 1970 | 12 anos | 1h32min | Digital

Quinta-feira

14:15: No paiz das Amazonas* | Silvino Santos | 1922 | Livre | 2h23m | Digital/17h: Travessia | Safira Moreira | 2017 | 5min | Digital + Alma no olho | Zózimo Bulbul | 1974 | 10 anos | 11min | Digital / Há terra! | Ana Vaz | 2016 | Livre | 12min | Digital / Grin | Isael Maxakali, Roney Freitas e Sueli Maxakali | 2016 | Livre | 40min | Digital; 19h: Nũhũ yãg mũ yõg hãm: essa terra é nossa! | Carolina Canguçu, Isael Maxakali, Roberto Romero e Sueli Maxakali | 2020 | 12 anos | 1h10min | Digital.

Transmissão ao vivo pelo Facebook do CCBB e pelo YouTube da produtora Lúdica. O debate contará com janela de Libras.

NETFLIX Casa GucciCasa Gucci é baseado na história de Patrizia Reggiani, ex-mulher de Maurizio Gucci, membro da família fundadora da marca italiana Gucci. Em 1978, Patrizia é uma jovem mulher que está atrás do ricaço, porém estabanado, Maurizio Gucci, herdeiro da famosa marca de roupas de grife Gucci. Eles acabam se casando e tendo duas filhas, porém com um império para governar e o amor dos dois acabando cada dia mais, Patrizia se vê ameaçada quando seu marido encontra uma amante e pede o divórcio. Mas mesmo ganhando uma pensão milionária, Patrizia se sente ameaçada e conspira para matar o marido em 1995, contratando um matador de aluguel e outras três pessoas, incluindo a terapeuta e melhor amiga. Ela foi considerada culpada e condenada a 29 anos de prisão. Quase 3 décadas de amor, traição, decadência, vingança e assassinato, o filme revela a importância e poder que o nome Gucci carrega e tudo o que a família fez para conseguir esse controle. Com Lady Gaga, Adam Driver, Al Pacino. Direção Ridley Scott. 2h 37min.

DISNEY+Red: crescer é uma fera:  a mais nova animação da Pixar, estúdio conhecido por clássicos como “Toy Story” (1995) e “Procurando Nemo” (2003), estará disponível a partir de hoje. Canadense =de ascendência chinesa, Mei Lee é uma garota de 13 anos que se divide entre as loucuras hormonais da adolescência e a pressão para ser a filha perfeita para a mãe superprotetora. Ela passa os dias com as amigas Miriam, Priya e Abby, compartilhando experiências da puberdade e a paixão pela boyband 4*Town. Diante de picos de emoção comuns na rotina de uma adolescente, MEI de repente começa a se transformar em uma panda vermelho gigante. A estreia foi suspensa na Rússia, em boicote por conta da invasão À Ucrânia. Diretora Domee Shi (vencedora do Oscar de curta de animação “Bao”, em 2008). A bandboy 4*Town ganhou vida através de composições de Billie Eilish e seu irmão Finneas O’Connell que assina três canções: “Nobody like u”, “1 true love” e “U know what’s up”.

MUBIState funeral: o documentário de Sergei Loznitsa mais de 2h30 retrata os eventos que se seguiram à morte de Josef Stalin, em 1953. O filme não explica o que está acontecendo hoje porque é tudo muito explicável. O diretor é ucraniano e se dedicou a pesquisar a História da União Soviética.Vale conferir.

Nos cinemas

Belfast – o filme dirigido pelo irlandês Kenneth Branagh, 61 anos, e candidato a sete Oscars: filme, diretor, ator e atriz coadjuvantes, roteiro original, música e edição de som. Quase todo em preto e branco, “Belfast” está desde ontem nos cinemas. Branagh recria com elementos autobiográficos , o cenário de guerra civil em um bairro operário na capital da Irlanda do Norte. Conflitos entre católicos e protestantes (“os problemas” the troubles) obrigaram famílias a saírem da cidade. A de Branagh estava entre elas.  A trama se passa em 1969, ano em que o diretor saiu de Belfast para a Inglaterra. Os atores são Caitriona Balfe (a Claire de “Outlander”), Jamie Dorman, Ciarán Honds, Judi Dench (ambos indicados ao Oscar de coadjuvantes). O estreante Jude Hill, de 9 anos é o diretor na infância. Kinoplex, Cinemark, Espaço Itaú, Estação NET, Reserva Cultural, Cinépolis.

Fabian, o mundo está acabando – baseado no romance do alemão Erich Kästner, o drama dirigido por Dominik Graf traça um retrato de Berlim nos anos 1930, pouco antes da ascensão nazista. Na trama, Tom Schilling vive um jovem operário sem horizontes profissionais que, À noite, vaga por bares e bordéis e acaba se apaixonando por uma atriz (Saskjia Rosendahl).

Visões do império – o documentário da cineasta e pesquisadora portuguesa Joana Pontes explora o passado colonial de Portugal por meio de uma seleção de fotografias do império captadas entre o século XIX e 1974, quando a Revolução dos Cravos pôs fim À ditadura salazarista no país e ao estatuto nacional de vários territórios africanos.

LIVROS  

Mario de Andrade por ele mesmo (Todavia, R$ 99,90) – de Paulo Duarte. A obra do autor traça a trajetória do autor modernista com quem dividiu um projeto intelectual e social para o país. O autor publicou o livro em 1971. Na época, dois fatos históricos estavam em seu caminho: os 50 anos da badalada Semana de Arte Moderna, no Theatro Municipal de São Paulo, e o seu grande amigo, Mario de Andrade, desaparecera do cenário há 26. A reedição do livro registra a intensa relação de amizade e também os bastidores da criação do Departamento de Cultura e Recreação da atual Secretaria Municipal de Cultura, e a turbulenta cena política da década de 1930, antes da implantação do Estado Novo ou o início da era Getúlio Varga, os anos que abalaram o país, sobretudo a vida paulistana. Paulo Duarte, um intelectual refinado, construiu um livro que é um documento vivo. As cartas de Mário de Andrade, antes de morrer, aos 52 anos, narra tudo sobre doenças, traições, inimizades, o amor pela mãe e do voluntário exílio no Rio e o medo de morrer.

Mulheres que escreveram livros sobre guerras: a poeta polonesa Anna Swir (“Eu construía a barricada” – Dybbuk, 2017); Susan Sontag (“Diante da dor dos outros” – Companhia das Letras, 2003) e Virginia Woolf (“As mulheres devem chorar…ou se unir contra a guerra: patriarcado e militarismo” – Autêntica, 2019). Susan concordou com Virginia quando ela disse que: “a guerra é um jogo de homens – que a máquina de matar tem um gênero, e ele é masculino”.

Eu construía a barricada” (Dybbuk, 2017) – Anna Swir. Em 1944, a poeta polonesa Anna Swirszczynska participou, como enfermeira, do Levante de Varsóvia (quando, ao longo de 63 dias, a população civil  lutou sem sucesso para libertar o capital do controle nazista. O massacre da população foi relatado por Anna

Obras escolhidas de Ernesto Che Guevara, organizado pela UJR e pelas Edições Manoel Lisboa. A organização do livro foi um esforço de resgatar textos do Che que ou não existiam em português ou há muito não tinham uma reedição brasileira, para manter vivo o legado de um revolucionário tão importante pra América Latina.

Na estrada com o ex (Intrínseca, R$54,90) – Beth O’Leary. Aos 27 anos, quando lançou o primeiro romance “Teto para dois”, a autora inglesa já havia escrito outros cinco. O terceiro livro de Beth chega agora ao Brasil e, aos 30 anos, já vendeu 300 mil exemplares físicos e digitais. No ano passado, “Teto para dois foi o quinto livro de ficção mais vendido do país. É comparada a Jojo  Moyes – autora de best-sellers diveros, entre eles, “Cpmo eu era antes de você”, que virou filme. Neste livro, a autora conta a história de Dylan e Addie, ex-namorados que viajam para o casamento de uma amiga em comum, cada um num carro, até que um bate no outro. Eles são obrigados a dividir o mesmo veículo da Inglaterra para a Escócia a fim de chegar a tempo para a cerimônia. O estresse dos problemas da viagem e do espaço apertado com outros amigos traz à tona as arestas mal aparadas do fim do relacionamento. Os flash backs do livro são passados na Provence, na França, mostrando como começou o amor entre Dylan e Addie. Spielberg vai adaptar para o cinema o livro “A troca”, segundo de Beth.

Lovistori Lobo e Alcimar Frazão  (Brasa, R$ 79,90) e Brega Story – autor Gidalti Jr. (Brasa, R$139,90)– com dois álbuns de nomes parecidos,  mas com conteúdos diferentes, a Brasa surge com poder de fogo ao apresentar temas contemporâneos como masculinidade tóxica e transfobia  a partir  de duas regiões distintas do país. A primeira história, ilustrada por Alcimar Frazão, em quadrinhos mostra um policial militar e uma travesti que vivem uma paixão secreta na Zona Sul do Rio. Na segunda, um cantor de Belém quer se tornar popular a qualquer custo, doa a quem doer. A Brasa é uma editora brasileira de quadrinhos, dedicada somente a títulos nacionais. O editor da Brasa é Lobo.

Encontrar o homem no homem: Dostoiévski e o existencialismo (Kalinka, R$69) – Viktor Eroféiev. O autor acredita que o bom livro para se ler, atualmente, é “Os demônios”, de Dostoiévski, pois mostra o que acontece quando nos achamos melhores do que o resto do mundo e estamos dispostos a tudo, até a matar, para mudar as coisas. Nesse livro, Víktor Eroféiev, uma das vozes mais relevantes da literatura russa contemporânea, revisita obras seminais de Fiódor Dostoiévski, Jean-Paul Sartre e Albert Camus — como “Memórias do subsolo”, “Crime e castigo”, “A náusea”, “O muro”, “O estrangeiro” e “A peste” — pelo prisma da filosofia da existência e do absurdo. Sem sombra de dúvida, é a leitura de um literato que tem profundo conhecimento desses autores, mas também de um ser humano tentando, como seu compatriota, “encontrar no próprio homem as forças capazes de resguardá-lo da catástrofe” de um mundo sem Deus.

A metade fantasma (Companhia das Letras, R$89,90) Alan Pauls. O livro foi lançado esta semana no Brasil. O relacionamento amoroso é o tema do autor no livro. O protagonista, Savoy, é um cinquentão que vive de renda em Buenos Aires e adora visitar residências alheias com o pretexto de alugá-las e, após descobrir os mercados virtuais para buscar tralhas que adquire, em incursões que rendem longos, elaborados e cômicos parágrafos. A mania é turbinada quando a jovem Carla cruza seu caminho e ressurge no Skype, cada vez em uma cidade e ambientes diferentes, instigando a imaginação do analógico. O protagonista descobre algo que se tornou rotina de todos com a pandemia: o contato à distância, por tyelas. O mesmo tema de amor estava em “O passado” (2003), levado ao cinema por Hector Babenco e reeditado agora pela Companhia. Também estava presente na trilogia memorialista “História do choro” (2007), “História do cabelo (2010) e “História do dinheiro” (2013).

MÚSICA

Laila Garin e Chico CésarOs dois artistas lançaram esta semana um álbum com 16 das 32 músicas que compõem a trilha da peça A hora da estrela ou O Canto de Macabéa, versão musical do romance de Clarice Lispector que estreará este mês no CCBB com Laila como protagonista.

Duas filhas de músicos e cantores famosos gostam de seguir os passos dos pais. Aí vão as dicas para você ouvir nas plataformas musicais como o Spotify e mais uma homenagem à Semana Internacional da Mulher.

Grace McKagan e Toni CornellDuas filhas de músicos e cantores famosos que seguiram os passos dos pais. Aí vão as dicas para você ouvir nas plataformas musicais como o Spotify e é mais uma homenagem à Semana Internacional da Mulher. Grace McKagana cantora e modelo é filha de Duff McKagan, baixista do Guns N’Roses, Velvet Revolver e outras. Grace cantava numa banda punk The Pink Slips desde a dolescência e, recentemente, se lançou em uma carreira solo. Toni Cornell – a filha mais nova de Chris Cornell do grupo Temple of the Dog surgiu quando apareceu cantando com uma versão comovida de voz e violão da música “Hunger strike”, sucesso da banda do seu pai que completava 30 anos. Chris morreu em 20127 e deixou com a filha parte de seu talento e ativismo.

Terno Rei – Ale Sater, baixista, vocalista e compositor do grupo paulistano de indie rock Terno Rei, é conhecido por suas canções melancólicas e muito emotivas. Em “Aviões”, uma das canções de “Gêmeos”, quarto disco de sua banda chegou esta semana ao streaming. O quarteto parte com o novo disco para uma turnê em grande estilo que começa dia 26 no Lollaalooza e chega ao Rio no dia 7 de maio, no Circo Voador.

Gustavo Mioto – o cantor sertanejo lançou seu primeiro CD aos 15 anos. Agora, com 24

SHOWS

HOJE

17h Ginga Quiosque – do mesmo dono do Bafo da Prainha e Casa Porto, na Saúde o novo quiosque agita, diariamente, o calçadão do Leme com apresentações musicais de fim de tarde. Os artistas ficam na parte coberta e o público se espalha, inclusive pela areia e pelas redes amarradas aos coqueiros. Na Praia do Leme, em frente ao restaurante La Fiorentina. Diariamente das 9h às 23h. Roda: sextas-feiras, 17h. Sempre uma atração diferente.Couvert: R$7.

17h às 20hSarau Verão Mais ElasGABI convida: Lary, Cammie, Julia Joia, Loh, Liza Lou e Ella Fernandes. Local: Clássico Beach Club, Avenida Vieira Souto, em frente ao número 680 (próximo ao posto 10) – Ipanema. Gratuito. Protocolo Covid-19, é imprescindível a apresentação dos documentos comprobatórios da vacinação na entrada do evento, juntamente com documento de identidade. A produção do evento seguirá as normas de prevenção estipuladas pelas autoridades no período de realização do mesmo. Carteira de vacinação digital do ConecteSUS ou a própria caderneta física.

19h30Hoje e amanhã: Zélia Duncan subirá ao palco do Teatro Rival Refit para realizar aquelas apresentações que precisaram ser canceladas em 2020 do show Tudo é um. A cantora e compositora será acompanhada por Ézio Filho (direção musical e baixo),Webster Santos (violões e guitarra), Léo Brandão (teclado e acordeon) e Christiano Galvão (bateria). No repertório, músicas do álbum Tudo É Um e canções que marcaram sua trajetória nesses 40 anos de carreira.Teatro Rival Refit – Rua Alvaro Alvim , 33 – Subsolo , Rio de Janeiro – Rio de Janeiro. Ingressos entre R$ 60,00 e R$ 140,00/ Pague em até 12x. COMPRAR INGRESSOS/Sympla ou na bilheteria. Necessário apresentação de documento de vacinação.

17h às 21h Armazém do Senado o tradicional botequim de 1907, Patrimônio Cultural da Cidade é pequeno para a turma que toda sexta e sábado vai conferir concorridas rodas de samba e os frequentadores acabam ocupando a rua e bares ao lado como o Labuta. Av. Gomes Freire, 256 – Centro. Grátis.

19h – Orquestra Petrobras Sinfônica abre a temporada 2022 da Sala Cecília Meireles sob a regência de Isaac Karabtchevsky, tendo como solista Ricardo Amado (violino), com transmissão pelo YouTube da Sala.  No programa, três peças de César Guerra-Peixe (1914-1993): PROGRAMA: César Guerra Peixe (1914-1993)  Seis Maracatus de Capiba– Concertino para violino e orquestra de câmara- Allegro Comodo –

-Andantino – -Allegro un poco vivo. Intervalo. Museu da Inconfidência:I – Entrada (Andante; II – Cadeira de Arruar (Allegro moderato; III – Panteão dos Inconfidentes (Larghetto); IV – Restos de um reinado negro (Vivace).

Compositor, arranjador, regente, violinista, professor, pesquisador, Cesar Guerra-Peixe é um dos maiores nomes da música em nosso país. Marcou presença na música popular, na trilha de filmes e nos arranjos para diversos discos de compositores populares. Deixou um importante legado artístico que revive a cada concerto com suas obras.

21h30 Alcione e Bello – Espaço Hall – Av. Ayrton Senna, 5850 – Gardênia Azul, Rio de Janeiro – RJ/ JIRAU a partir de R$ 50,00Taxas e encargos R$ 5,00/ PISTA a partir de R$ 40,00Taxas e encargos R$ 4,00

SÁBADO

16hPRESENCIAL  Orquestra Petrobras Sinfônica abre a temporada 2022 da Sala Cecília Meireles com novo horário. Sob a regência de Isaac Karabtchevsky, tendo como solista Ricardo Amado (violino), com transmissão pelo YouTube da Sala.  No programa, três peças de César Guerra-Peixe (1914-1993): PROGRAMA: César Guerra Peixe (1914-1993)  Seis Maracatus de Capiba– Concertino para violino e orquestra de câmara-Allegro Comodo –

-Andantino – -Allegro un poco vivo. Intervalo. Museu da Inconfidência:I – Entrada (Andante; II – Cadeira de Arruar (Allegro moderato; III – Panteão dos Inconfidentes (Larghetto); IV – Restos de um reinado negro (Vivace).

Compositor, arranjador, regente, violinista, professor, pesquisador, Cesar Guerra-Peixe é um dos maiores nomes da música em nosso país. Marcou presença na música popular, na trilha de filmes e nos arranjos para diversos discos de compositores populares. Deixou um importante legado artístico que revive a cada concerto com suas obras. Concerto de sábado presencial, dia 12 de março, estreia novo horário. Para este concerto a Sala Cecília Meireles apresenta o mesmo programa de sexta feira (on line). Ingressos a R$ 40,00 na bilheteria da Sala ou pelo link: https://bileto.sympla.com.br/event/71631/d/127244

Verão mais Elas na Praia de Ipanema

08h às 10h: Spinning by Beach Cycle; 16h às 16h45: Priscilla Alcântara; 18h às 18h45:Negra Li. Local: Clássico Beach Club

DOMINGO

Verão mais elas:

8h às 10h: Spinning by Beach Cycle; 10h às 11h: Funcional com Rapha Brazilian; 16h às 16h45: Carol Biazin; 17:15 às 17h45: Bate-papo com Fernanda Keller; 18h às 18h45: DJ Camilla Brunetta

8h às 10h: Spinning by Beach Cycle; 16h às 16h45: Urias; 18h às 18h45: Lellê; 20h -Encerramento do evento. Local: Clássico Beach Club

21h -Maestro João Carlos Martins e Maria Bethânia in Cconcert – De Beethoven a Bethânia – Qualistage: Av. Ayrton Senna, 3000. Eventim (ingressos) de R$ 380 a R$580.

QUARTA-FEIRA (16 de março)

18h Quinteto de Sopros da Filarmônica de Minas Gerais abre a série Música de Câmara da Sala Cecília Meireles no Espaço Guiomar Novaes. No repertório, obras de Ibert, Barber, Gnattali e Villa-Lobos. Série Música de Câmara: Grupos de Câmara da Filarmônica de Minas e Quinteto de Sopros da Filarmônica de Minas. O Quinteto de Sopros da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais é formado por Cássia Lima (flauta), Alexandre Barros (oboé), Marcus Julius Lander (clarinete), Adolfo Cabrerizo (fagote) e Alma Maria Liebrecht (trompa), todos instrumentistas principais da Orquestra. O grupo explora repertório moderno e contemporâneo,  mas também incorpora às suas apresentações arranjos e obras de outros períodos, tendo a música brasileira como um dos seus pilares. Criado em 2010, o Quinteto se apresentou em teatros e museus de Belo Horizonte, festivais e turnês no estado de Minas Gerais. Programa: Jacques Ibert (1890-1962) – Três peças breves:I. Allegro- II. Andante – III. Assez lent; Samuel Barber (1910-1981) – Summer Music, op.31; Radamés Gnattali (1906-1988) – Suite para quinteto de sopros:I- Prelúdio,  II- Valsa,

III- Modinha, IV Choro, V- Final; Heitor Villa-Lobos (1887-1959) –Quinteto em forma de choros. Ingressos a R$ 20,00 na bilheteria da Sala ou pelo link: https://bileto.sympla.com.br/event/71630/d/127242/s/787375

TEATRO

Quando eu for mãe, quero amar desse jeito – Vera Fischer é dona Dulce Carmona, uma septuagenária que recebe a notícia de que seu único filho vai se casar com uma mulher que ela não conhece. A comédia mostra a luta de uma mãe obcecada para dar ao filho um futuro digno de sua classe social. A mãe aristocrática entra numa guerra com a noiva do filho para manter a imagem da família. Direção: Tadeu Aguiar. Elenco: Vera Fischer, Larissa Maciel e Mouhamed Harfouch. A partir de amanhã e até 17 de abril. Sexta e Sábado, às 20h e domingo, às 19h.TEATRO CLARA NUNES – Shopping da Gávea – Rua Marquês de São Vicente, 53 – Loja 370. Ingressos entre R$ 35,00 e R$ 90,00 no sympla, link: https://bileto.sympla.com.br/event/71786/d/128707

MUSICAIS

As cangaceiras, guerreiras do sertão: é uma fábula inspirada em depoimentos de mulheres que seguiam os bandos nordestinos (o Cangaço), que atuavam contra a desigualdade social da região. É um teatro musical que exalta a força da mulher nordestina.

O musical conta a história de um grupo de mulheres que se rebelam contra mecanismos de opressão que encontravam dentro do próprio cangaço. Além de reflexões sobre o conceito de justiça social que o cangaço representava, o espetáculo reflete sobre as forças do feminino nesse espaço de libertação e sobre nossa ideia de cidadania e heroísmo. Canções originais foram compostas para a produção, inspirando-se em ritmos da cultura nordestina. Com Amanda Acosta, Marco França, Vera Zimmermann, Luciana Ramanzini. Direção: Sergio Módena. De quinta a sábado, às 20h e domingo às 19h; ingressos: Plateia VIP R$120 | Plateia e Balcão Nobre R$100 | Balcão Superior R$50 – estreou ontem e fica até 20 de março acesse: https://bit.ly/3F7Iod7 / duração: 135 minutos – Teatro Riachuelo.

Barnum – Rei dos shows: Teatro Casa Grande- Av. Afrânio de Melo Franco 290- Leblon. Sexta: 20h30/ Sab-17h e 20h30/ Dom -16h e 19h30. R$120 (balcão setor 2), R$180 (plateia setor 1) e R$200 (plateia VIP). Até 1º de maio. Livre.100 minutos. A versão de Cláudio Botelho tem acrobacias e malabarismos circenses. O musiucal conta a história do showman Phineas Taylor Barnum, idealizador da maior companhia de circp ininrtante do século XIX. Murilo Rosa interpreta o papel-título, vivido por Hugh Jackman no cinema e protagoniza uma cena em que anda na corda bamba. Com Sabrina Korgut, Giulia NAdruz e Diva Menner.

Naked Boys Singing: Teatro Claro Rio: Rua Siqueira CamCazuzapos 143, 2º piso, Copacabana. Sex e sáb, 20h. Dom, 19h. R$90 (balcão) e R$120 (frisa e plateia). 80 minutos. Até 24 de abril. Dez atores nus em cena cantando, dançando e celebrando a vida ao som de músicas tocadas ao vivo no piano conduzem a peça, que já teve montagens em mais de 20 países e, depois de duas temporadas em São Paulo, estreia no Rio. A peça fez sucesso off-Broadway nova-iorquino, virando um ícone da cena gay. Divido em 14 quadros, o musical vai do cômico ao nonsense e aborda temas como masturbação, HIV, ereção involuntária, padronização do corpo e circuncisão. Direção de Rodrigo Alfer.

Cazuza, pro dia nascer feliz – o musical: Imperator – Centro Cultural João Nogueira: Rua Dias da Cruz 170 – Méier. Dom, 15h e 19h. Balcão – R$40; plateia – R$80. Até 2 de abril. Livre. OBS: os horários variam a cada semana. A trajetória do artista é contada por meio de seus grandes sucessos na peça com texto de Aloisio de Abreu e direção de Stella Maria Rodrigues. No repertório: “Bete balanço”, “Exagerado”, “Ideologia” e “O tempo não para”. São mais de 25 nnúmeros musicais. Apresentados por 21 atores.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012