9 de agosto de 2022


ABI comemora 113 anos com debate no Dia do Jornalista


02/04/2021


ABI comemora 113 anos no Dia do Jornalista

No dia 7 de abril (quarta-feira), a ABI comemora 113 anos de sua fundação, justamente no Dia do Jornalista. Nessa data, às 19h30, o presidente e o vice da associação, jornalistas Paulo Jerônimo e Cid Benjamin e as jornalistas Elvira Lobato e Cristina Serra debatem os problemas atuais da classe e a situação em que vivemos com a pandemia, já que é também é o Dia Mundial da Saúde. O Cineclube Macunaíma comemora a data com o filme Preto no Branco, a censura antes da imprensa sobre a vida de Hipólito da Costa, o jornalista que é pai do Jornalismo e que trouxe o primeiro jornal no Brasil e também comemora a data com debate entre Silvio Tendler e Cacá Diegues, entre outros.

No ABI Esporte, teremos o lançamento do livro Futebol e Palavra, do professor Ivan Proença e no Claquete Musical, uma homenagem ao Pasquim.Se quiser brincar com os netos ou filhos de caça aos ovos de Páscoa vai encontrar diversão aqui onde também poderá assistir missas. Na lista de filmes estão alguns, como Jango, que mostram os tempos negros dos 21 anos da ditadura brasileira que completou 57 anos no último dia 31 e ainda tem festival de filmes só de mulheres. A série Sanditon estreia hoje e O Prólogo na TV Senado mostra como verdades podem ser manipuladas. O filme Emma, candidato ao Oscar, está no Telecineplay. Há ainda filmes e livros sobre meio ambiente e enciclopédia negra. No balé, verá de graça o Lagos dos Cisnes e outros e, na música, o violonista Yamandu Costa reabre o Bar Semente on-line com artistas craques como João Donato; e Luis Lobianco e Chico Diaz dão show em peças teatrais virtuais. Tem muita coisa boa por aqui. Dê uma olhada.Tudo on-line. Fique em casa e Boa Páscoa sem aglomerar!Vacina para todos!!!

ENTREVISTAS

SEGUNDA-FEIRA (5/4)

19h30 – ABI Esporte: para celebrar os 40 anos de lançamento do livro do jornalista, professor e conselheiro Ivan Cavalcanti Proença, Futebol e Palavra, e os 113 anos da ABI, no dia 7 de abril, o apresentador do programa, jornalista Marcos Gomes, faz um bate-papo com os professores

Sady Bianchin, Macela Giannini e Mirian Carvalho, conhecedores da obra literária do autor. No canal da ABI do YouTube.

TERÇA-FEIRA (6/4)

19h30 – Cineclube Macunaíma: Preto no Branco, a censura antes da imprensa, de Silvio Tendler e Alberto Dines. Filme sobre Hipólito da Costa (1774-1823), o pai da imprensa brasileira e da imprensa livre portuguesa. Ele rompeu com a rigorosa censura em Portugal e publicou de 1808 a 1823 o Correio Braziliense, que circulava no Brasil e em Portugal. Com Marcio Vitto e Amir Haddad. No canal da ABI do YouTube, o filme estará disponível a partir das 10 hs. O debate começa às 19h30 com os cineastas Silvio Tendler e Cacá Diegues, o embaixador Paulo Roberto de Almeida e a historiadora Isabel Lustosa. Em comemoração aos 113 anos da ABI e ao Dia do Jornalista, no dia seguinte, 7 de abril.

QUARTA-FEIRA (7/4)

19h30 – DEBATE COM JORNALISTAS – em comemoração aos 113 anos da Associação Brasileira de Imprensa e ao Dia do Jornalista, hoje, 7 de abril, os programas Encontros da ABI com a Cultura e Rumos do Jornalismo promovem um debate entre jornalistas sobre os assuntos atuais do país, os problemas da profissão e as dificuldades durante a pandemia já que neste dia também se comemora o Dia Mundial da Saúde. Estarão presentes o presidente da ABI, o jornalista Paulo Jeronimo de Sousa, o Pagê; o vice-presidente, jornalista Cid Benjamin; e as jornalistas Elvira Lobato e Cristina Serra. A apresentação é da jornalista Andrea Penna, diretora de Jornalismo.

QUINTA_FEIRA(8/4)

19hs – Claquete Musical: o produtor cultural Paulo Figueiredo faz uma homenagem ao Pasquim com a exibição do filme O Pasquim – a subersão do Humor (disponível na TV Câmara), que mostra os participantes do antigo jornal. Em seguida, haverá debate com o apresentador, o diretor do documentário, Roberto Stefanelli, o jornalista e chargista Rick Goodwin que trabalhou no jornal, e o escritor Pedro Cosenza, filho do cartunista Henfil.

PÁSCOA – um guia on-line para celebrar a data em casa virtualmente:

Caça aos ovos de Páscoa

Na Serra gaúcha: famosa pela produção de chocolate, a cidade de Gramado realiza anualmente um festival que reúne atividades para adultos e crianças e degustação de produtos locais. Este ano, por conta da pandemia, o evento Páscoa em Gramado será virtual no canal oficial da atração no YouTube, com shows, oficinas culinárias, recitais e apresentação da Orquestra Sinfônica de Gramado ao vivo, no Domingo de Páscoa, às 14 hs, diretamente da Igreja São Pedro, no centro da cidade. Hpa também uma programação religiosa, com exibição de vídeos de procissões de anos anteriores. Bit.ly/3rlyrlr.

Pelo mundo: a fabricante inglesa dechocolates Cadbury criou um jeito de manter viva a corrida em busca do ovo de Páscoa, mesmo que virtualmente. Neste caso, ela pode ser feita viajando pelo mundo. No site oficial, uma ferramenta permite que as pessoas “escondam” um ovo no Google Maps e envie dicas de sua localização para algum conhecido tentar encontrá-lo. Diversão certa. easter.cadbury.co.uk.

Corrida presidencial: a tradicional caça aos ovinhos de Páscoa na Casa Branca, em Washington, que acontece dese 1878, foi cancelada presencialmente este ano. Desta vez on-line, estará acessível a todo mundo. No prórpio site da residência oficial do presidente dos EUA, com direito a um tourvirtual por cômodps e pelo gramado. Dicas para encontrar os os coelhinhos ao longo do persurso serão oferecidas na página virtyal. Haverá ainda outras atividades como uma oficina de decoração. bit.ly/3lOiH9s.

MISSAS

Em Fátima: pela primeira vez, o Santuário de Fátima, em Portugal, transmitirá seus eventos religiosos da Semana Santa de forma virtual.A cidade é um dos mais importantes destinos do turismo religioso cristão no mundo, recebendo cera de seis milhões de pessoas por ano. As missas serão realizadas de hoje aé segunda-feira (5/4), diretamente da Basílica da Santíssima Trindade. fatima.pt

Em Aparecida: o Santuário de Aparecida, em São Paulo, já oferece visitas virtuais para conhecer obras sacras, além de participar de atividades como acender uma vela on-line ou rezar o terço na internet. Agora, as celebrações da Semana Santa também serão transmitidas no site oficial. Até domingo haverá diversas missas diárias. As celebrações tradicionais de hoje, amanhã e domingo, incluindo a Vigília Pascal e a Paixão de Cristo, poderão ser acompanhadas virtualmente. a12.com

Sites para ver cerejeiras em flor no Japão

Também conhecida como sakura no Japão, podemos ver virtualmente floração da cerejeira pela internet e teremos ideia do que é o hanami, o ato de contemplar. Pa a chegada da privera japonesa não passar em branco o site de meteorologia japones Weather News (bit.ly/397PlOf) tem colocado seu perfil no YouTube vídeos em 360 graus registrando edições anteriores da floração de cerejeiras, em diversas cidades do país. Passei pelo bosque pintado de rosa claro no Showa Kinen Koen, um parque em Tachikawa, nos arredores de Tóquio, ou ver como era um típico dia de floração antes da pandemia, com as pessoas indo às ruas para apreciar o cenário nos parques Ueno e Kitanomaru, na capital japonesa. Dá para ir ao Parque Sakura, em Fukushima, onde há mais de 10 mil cerejeiras, aos jardins dos templos de Kioto, distantes mais de 600 quilômetros na vida real.

SÉRIES

Globoplay

Sanditon: Estreia hoje.É um romance de época e quem curtiu Bridgerton, vai adorar essa. Adaptada do último e inacabado romance de Jane Austen. A história de Charlotte Heywood (Rose Wiliams), a mais velha de 12 irmãos, de uma pacate cidade rural do interior dos EUA, que vê sua vida mudar quando conhece o investidor Tom Parker (Kris Marshall) e resolve conhecer a badalada Sadinton ,um vilarejo costeiro em ascensão, onde ele vai construir um resort. Ela se vê envolta em uma disputa de dois irmãos pela herança da abastada Lady Denham (Anne Reid). São 11 capítulos.

Framing Britney Spears: a vida de uma estrela: a produção vai fundo na trajetória da estrela pop que revela fatos graves acontecidos em sua vida. Excelente. Não perca.

Os Maias – é a chance de rever essa obra-prima. A minissérie adaptada por Maria Adelaide Amaral da obra de Eça de Queiroz, com direção de Luiz Fernando Carvalho, é um primor.

Paramount + – Schitt’s Creek (Riacho da merda): a família protagonista da história – pai, mãe e o casal de filhos – os Rose

Netflix

The One: com oito episódios. No futuro, as pessoas conseguem encontrar sua alma gêmea através do exame de DNA.

Shtisel – chegada da terceira temporada da ótima série israelense ambientada no mundo dos judeus ortodoxos, com um protagonista adorável.

O paraíso e a serpente – os oito episódios recriam a história do francês Charles Sobhraj, que, ao lado de sia namorada, comete uma série de assassinatos na Tailândia, Nepal e Índia entre 1075 e 1976. Depois de o casal se envolver com um ovem diplomata da embaixada holandesa, começa a ser perseguido por forças policiais de diversos países do mundo.

Histórias para vestir – além de vestir, as roupas são capazes de revelar histórias fascinantes sobre nossa personalidade. A série documental abre o armário de um grupo variado de pessoas para traçar suas trajetórias. Há relatos divertudos e emocionantes e a produção usa animações para criar sua narrativa.

Amazon

Brasil Imperial – enquanto não chega a segunda temporada (em filmagem) curta a primeira.

This is us – em sua quinta temporada com dez episódios, a série traz muitas reuniões familiares sem máscaras (foram feita no passado) e DRs. No décimo episódio é o dinheiro na vida dos Persons.

Globoplay

Law & Order SVU , FBI: series policiais que podem ser assistidas fora de ordem.

Starzplay

Step up: High water – baseadas na franquia Se ela dança, eu danço, as duas temporadas da série retratam o cotidiano dos gêmeos Tal (Petrice Jones) e Janelle ( Lauryn McClain). Ao conseguirem entrar em uma famosa escola de artes cênicas em Atlanta, EUA, eles precisam refletir sobre o que estão dispostos a fazer em busca de um sonho.

FILMES

Filmes sobre a ditadura brasileira

No dia 31 de março passado completaram-se 57 anos do golpe militar de 1964, que deu início a uma longa e tenebrosa noite de 21 anos. Foram tempos de graves violações aos direitos humanos.

São eles: O dia que durou 21 anos – https://t.co/3nVc2kv150 – Pra nunca esquecer; Cidadão Boilesen – https://t.co/YRbWGLxOcx; Dossiê Jango – https://t.co/NwYKbv0VuS; Jango – https://t.co/a7L8DHZQWK; Marighella – https://t.co/NnpHmgJelZ; Vlado – https://t.co/wrHUgqksja; Hércules 56 – https://t.co/CYxrVD4WkR ; O dia que durou 21 anos (participação dos EUA no golpe) -https://www.youtube.com/watch?v=hXxqBibwgAg; Cidadão Boilesen –(participação dos empresários no golpe) -https://www.youtube.com/watch?v=yGxIA90xXeY; Cabra marcado para morrer (perseguição de lideranças camponesas, especialmente de João Pedro Teixeira das Ligas Camponesas) -https://www.youtube.com/watch?v=HGSRLIs8BGw ; Memórias clandestinas (trata da trajetória de Alexina da liderança das Ligas Camponesas) https://www.youtube.com/watch?v=j0wW2DCnN9o&t=232s ; O canto da terra (luta pela reforma agrária e ditadura) -https://www.youtube.com/watch?v=hFSiNuHvI6c ; Em busca da verdade (violação de direitos humanos) -https://www.youtube.com/watch?v=BUiFjNBP77Y ; Memórias femininas da luta contra a ditadura militar (luta das mulheres contra a ditadura) – https://www.youtube.com/watch?v=YWtuhUsn5ao ; Lamarca

(sobre a luta armada contra a ditadura) – https://www.youtube.com/watch?v=Wy1g8kRMD5Q; Marighella (sobre a luta armada contra a ditadura) -https://www.youtube.com/watch?v=7Mw386dVhcY ; Eles não usam black tie (lutas operárias e ditadura) -https://www.youtube.com/watch?v=Uzl2K1bDRog; ABC da greve (lutas operárias e ditadura -https://www.youtube.com/watch?v=2hhFk0cml6Y&t=4s; Linha de montagem (lutas operárias e ditadura) – https://www.youtube.com/watch?v=3MuoLdrapBE&t=23s ; Chão de fábrica (lutas operárias, ditadura e novo sindicalismo0 – https://www.youtube.com/watch?v=VtEs1sIJwCw

No streaming:

Globoplay e Telecine – Terra em transe: Glauber Rocha faz uma investigação genial das forças políticas e econômicas brasileiras dos anos 60, com alegorias de um país fictício: Eldorado. Lá um jornalista (Jardel FilhO) fica entre o apoio a figuras carismáticas interpretadas por Paulo Autran e José Lewgoy e vivencia a intervenção do capital estrangeiro no cenário político nacional e a ausência de soluções para aplacar a fome e a miséria da população. Premiado no Festival de Cannes de 1967.

SPCine Play/Looke – Blá Blá Blá – Um político (Paulo Gracindo) discursa ao vivo na TV sobre a instabilidade política nacional e roclama medidas autoritárias para a contenção0 dos dissidentes. É um aceno ridicularizando o golpe de 1964 e as falsas razões nobres dos militares para tomar o poder, o filme= é um libelo contra todo discurso de pretensões totalitárias e patriotismo de meia-tigela. Obra-orima de Andrea Tonacci.

VivoPlay – Pra frente Brasil: o filme parece feito para as pessoas que diziam: “a ditadura só foi ruim para comunistas”. Ao dramatizar a vida de um cidadão pacato, confundido com um subversivo e submetido a sessões de tortura. Tudo isso enquanto o Brasil sagra-se tricampeão na Copa do Mundo de 1970. O filme de Roberto Farias foi pioneiro em retratar a tortura no regime militar em filmes de ficção e foi censurado depois de ganhar o Festival de Gramado em 1982.

Libfreflix – Jango: realizado 20 anos após o golpe, o filme acompanha os anos da presidência de João Goulart até ele ser deposto pelos militares em 1º de abril de 1964. O documentário de Silvio Tendlerconta com riquíssimo material de arquivo e com depoimentos de intelectuais e políticos como Leonel Brizola, Afonso Arinos e Celso Furtado. A trilha sonora coube a Milton Nascimento e Wagner Tiso.

Globoplay – Anos rebeldes: a minissérie de 20 episódios escrita or Gilberto Braga e dirigida por Denis Carvalho em 1992 mostra o começo e recrudescimento da ditadura militar pelos olhos colegiais idealistas – como o casal vivido ppor Malu Mader e Cássio Gabus Mendes – que crescem e tomam diferentes rumos na vida, do empreho estável à luta rmada, para estabelecer a democracia.

Telecine – Marighella: o longa de ficção de Wagner Moura permanece sendo adiaddo e sofrendo pressões, o documentário de Isa Grinspum Ferraz, de 2011, pode ser visto no streaming. A diretora é sobrinha de Marighella – tido como o maior inimigo do regime militar – e intercala o olhar pessoal com uma visão mais objetiva da figura histórica, num filme rico em material iconográfico e com muita música inédita de Mano Brown.

Vimeo – Retratos de identificação: o documentário de Anita Leandro parte de fotografias enconrtadas no Dops para reviver, via entrevistas, a história de quatro guerrilheiros presos e torturados pelo regime militar. O modo como o filme trabalha os documentos, em sua fala e seu silêncio, mexe fundo.

AppleTv e GooglePlay – O dia que durou 21 anos: apesar da narração mais convencional, é o mais completo documentário sobre o golpe militar de 1964 e tem como foco documentos então recém decobertos que comprovavam a partycipação do governo dos EUA na tomada do poder pelos militares.

Looke e NetMovies – Que bom te ver viva: em seu primeiro longa, Lúcia Murat recolheu histórias de oito mulheres que foram torturadas pelo regime militar, alternando os depoimentos com momentos ficionais viviods por Irene Ravache tensionando drama e documentário.

Now – Pastor Cláudio: hoje pastor evangélico, Cláudio Guerra foi assassino a serviço dio estado brasileiro durante o regime militar. Nesse filme de Beth Formaggini, ele é entrevistado élo psicólogo Eduardo Passos e revela o modus operandi da ditadura para sumir com seus dissidentes.

Sábado – 21 hs – TV Senado – O Prólogo: com entrevistas e imagens de arquivo, o filme aborda as propagandas políticas produzidas pelo IPES (Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais) que eram veiculadas no cinema antes da exibição dos longas-metragens e na televisão na década de 1960, em formato de curtas-metragens. Um retrato de como as verdades podem ser manipuladas. O filme de 2013 tem 94 minutos e o diretor é Gabriel F.Marinho.

Sábado e domingo –19h30 – YOUTUBE e FACEBOOK: Um espinho de marfim: o curta é uma adaptação de um conto homônimo de Marina Colasanti que conta a história de reis, rainhas, princesas, unicórnios, gnomos, cisnes, etc, que revelam fantasias, medos, desejos e outros sentimentos universais prsentes na alma humana. Dirigido por Luis Fernando Bruno e Isabella Sechin. Com Tonico Pereira, Rauel Rennback e Vitor Falcon.

Globoplay – Agente duplo: o documentário concorre ao prêmio no Oscar e também foi pré-selecionado a concorrer a melhor filme internacional. No longa, da chilena Maite Alberdi, Sergio Chamy, um viúvo de 83 anos, topou exercer a função de espião amador (respondeu a um anúncio da diretora em um jornal) meio atrapalhado. Ele é treinado a usar uma série de cacarecos de espionagem, como um par de óculos que grava vídeos, e se atrapalha para para aprender o básico do WhatsApp para poder mandar seus relatórios a seu chefe, o dono de uma agência de espionagem. Sua missão é se infiltrar numa cassa de repouso para descobrir se uma das moradoras está sendo maltratada.A mensagem é a solidão na velhice.

CANAL OFF – 21 hs – Onde o surfe me levou – estreia na quinta-feira (8/4) no Canal Off. É a história de Carlos Mister, nascido e criado na Rocinha, professor de surfe que sonha pegar onda na Indonésia.

Séries e filmes documentais sobre Meio Ambiente – O foco é meio ambiente. Temas ligados À ecologia dão o tom do Ecocine Festival Internacional de Cinema Ambiental e Direitos Humanos – que ganha edição on-line e, a partir de hoje até 5 de abril (2ª feira), 134 filmes de 35 países, como Brasil, Irã, Índia, Holanda, Malawi, França e EUA, são disponibilizados ao público por meio do Ecocine Festival (taoplay.com.br). Entre os destaques From trash to treasure, da brasileira Iara Lee, que retrata uma comunidade no Lesoto que transforma lixo em roupa e acessórios.

Abaixo também está uma lista de filmes de streaming que esmiúçam a questão.

GLOBOPLAY

O sal da terra: indicado ao Oscar de melhor documentário em 2015, a produção dirigida por Win Wenders e Juliano Salgado acompanha o trabalho de Sebastião Salgado – um dos mantenedores do Instituto Terra, reserva ecológica no interior de Minas Gerais –, com enfoque nos bastidores da série Gênesis, expedição que pretendeu registrar locais do planeta ainda inexplorados.

Amazônia Sociedade Anônima: cera de 1 milhão de metros quadrados da Floresta Amazônica, o equivalente a dois estados de Minas Gerais, ainda não possuem documentação legal. O documentário de Estevão Ciavatta, lançado em 2020, acompanha a luta de povos indígenas para demarcar essas terra tão ameaçadas por grileiros.

Honeyland: documentário que levou a Macedônia do Norte ao Oscar de 2020, o filme de Tamara Kotevska e Ljubomir Stefanov embaralha os limites entre realidade e ficção para narrar os percalços de uma mulher que tira seu sustento na apicultura. Quando uma família inicia o mesmo trabalho sem seguir uma regra, que é retirar apenas metade do mel das colmeias, o equilíbrio do ecossistema das abelhas é afetado.

NETFLIX

Nosso planeta: o mundo pode acabar em 2100, alerta o naturalista britânico David Attenborough numa das passagens da série documental (2019) de oito episódios. Permeada por sequências de alto impacto visual, a produção disseca aas mais variadas formas de vida na Terra, dando enfoque aos problemas irreversíveis causados pela ação do homem.

Em busca dos corais: vencedor do Emmy, o doc (2017) exalta o ambiente subaquático ao traçar uma comparação entre o enigma do espaço sideral e a profundeza dos oceanos. A produção mostra o trabalho de profissionais para documentar a destruição de corais, numa tentiva de reverter a possível extinção de espécies.

Cowspiracy: o segredo da sustentabilidade: a indústria agropecuária é apontada como uma dass maiores responsáveis pela destruição aceleradas de recursos naturais neste docuenyário com produção executiva de Leonardo DiCaprio. Embalado por entrevistas de especialistas, o longa gerou burburinho à época de lançamento em 2014, por acusar ambientalistas famosos de ignorar intencionalmente um problema sério.

Solo fértil: bem didático e com produção executiva de Gisele Bündchen. O doc narrado pelo ator Woody Harrelson denuncia as graves consequências do uso de fertilizantes químicos e pesticidas pela indústria agrícola, mostrando alternativas viáveis para uma utilização sustentável da terra.

Professor Polvo: indicado ao Oscar 20121 de melgor documentário, o filme se debruça sobre uma curiosíssima história : na África do Sul, um cineasta desenvolve uma relação de amizade improvável com um oolvo, com quem tem encontros diários no mar.

Ava (2020): com Jessica Chastain e 1h37m. O filme conta a história da personagem título, uma assassina que trabalha para uma organização secreta. Quando uma missão perigosa dá errado, precisa lutar pela própria sobrevivência enquanto volta para sua cidade natal, após passar oito anos longe da família. Dirigido por Tate Taylor (que trabalhou com a atriz em Histórias Cruzadas) o filme tem um elenco cheio de estrelas como John Malkovich, Colin Farrell e Geena Davis.

PRIME VIDEO

Saving the Amazon: produção tocada pela jornalista Sophie McNeil, o docuemtário faz um alerta para os reveses a nível planetário gerados pelas queimadas na Amazônia. O filme acompanha a luta de indígenas, cientistas e ativistas contra o desmatamento, e expõe as consequências imediatas da destruição da floresta.

YOUTUBE E LOOKE

Blackfish – Fúria animal: prepare os lenços para assistir ao documentário que provocou rebuliço nos EUA ao denunciar os bastidores cruéis da criação de orcas em cativeiro nos parques temáticos. A produção dirigida por Gabriela Cowperthwaite é centrada da história de Tilikum, baleia capturada nas águas da Islândia e que foi submetida a uma série de abusos antes de matar três pessoas.

Inffinito Film Festival – festival de cinema só com filmes de mulheres na internet. www.inff.online.

LIVROS

O espelho e a luz (Todavia, R$ 119,90) – é o último livro de uma trilogia de Hilary Mantel. A escritora britância diz que o conselheiro de Henrique VIII, Thomas Cromwell, ficaria intrigado com o primeiro-ministro Boris Johnson, “ uma criação das mídias modernas, pura imagem e nenhuma substância, o oposto de Cromwell. O livro narra os últimos anos de Cromwell e o enérgivo conselheiro está mais pensativo e não foge de seu passado. Os outros livros são: 1º) Wolf Hall; e 2º) Tragam os corpos. Os dois também são da Todavia.

Como evitar um desastre climático ( Submarino, Amazon.com, Cultura, e Americanas, de R$ 41,9- a 49,90)– Bill Gates. O autor reconhece que ainda não dispomos de todas as ferramentas para promover mudanças necessárias nas tecnologias que usamos, mas considera que é possível produzi-las.

Enciclopédia Negra (Companhia das Letras, R$89,90)- Flávio dos Santos Gomes, Jaime Lauriano e Lilia Moritz Schwarcz. Na trama, um professor é perseguido por alfabetizar crianças negras, mulheres cativas compram a alforria para si e para os filhos após juntar recursos a vida toda, um retratista que só fotografava negros e um repentista no Brasil escravista. As trajetórias narradas nos 417 verbetes do livro jogam uma nova luz sobre as diversas formas de resistência da população negra, tanto duranto quanto depois da escravidão. Os retratos dos personagens incluídos no livro serão expostos na Pinacoteca de São Paulo a partir de 10 de abril, e mais tarde integrarão a coleçao permanente do museu.

Meu anjo da guarda tem medo do escuro (Todavia, R$59,90) – Charles Simic. O livro de poesias do autor nascido na Sérvia, em 1935, e vicendo nos EUA desde 1954, onde estabeleceu como poeta, tradutor e editor de grande relevância culural. Muitos de seus poemas estão marcavos pela vivência no exílio e com um humor irônico quando diz que Hitler e Stálin foram seus agentes de viagem. De sua cidade, Belgrado, afirma que carrega a dúbia distinção de ter sido bombardeada pelos nazistas em 1941, pelos Aliados em 1944 e pela Otan em 1999.

Para ressignificar um grande amor (Paralela, R$39,90)- Akapoeta. João Doederlein, o Akapoeta, que já conquistou milhares de leitores e seguidores com O livro dos ressignificados ee Coração-granada faz aqui uma espécie de inventário de perdas e recomeços a partir do fim de um grande amor. Os poemas são divididos em cinco capítulos, abrindo com O fantasma e terminando com E para o meu futuro grande amor.

 

The one (Globo Livros, R$ 59,90) – John Marrs. O encontro do par perfeito a partir da análise do DNA é o mote desta ficção científica que virou série da Netflix. Dez anos antes do início da trama, uma empresa de biotecnologia anunciou a descoberta de um gene que identifica as almas gêmeas. Porém, nem tudo é perfeito, e o caminho para o amor pode se tornar perigoso e mortal.

 

The beauty of living twice ( A beleza de viver duas vezes) – a autobiografia de Sharon Stone chegou às livrarias americanas e a atriz conta que ela e a irmã, Kelly, foram sexualmente abusadas pelo avô, Clarence Lawson, que costumava trancá-las em um quarto para cometer os crimes. Aos 63 anos, Sharon conta que ficou aliviada quando viu o avô morto, aos 14 anos, porque foi o fim do pesadelo. Conta ainda que seus seios foram aumentados pelo médico sem o seu consentimento, após uma cirurgia para e retirada de nódulos benignos. Ele alegou que combinariam mais com os seus quadris embora sem o seu consentimento. E quanto a ficar sem calcinha durante a famosa cruzada de pernas no filme Instinto Selvagem (1992) também foi enganada pelo diretor que culpou a peça de lingerie estar refletindo luz e, por isso, pediu para tirar embora lhe dissesse que não apareceriam suas partes íntimas.

Casa Museu Ema Klabin promove encontros com grandes escritores

Ciclo de encontros online traz grandes nomes da literatura, além de novos talentos. José Eduardo Agualusa, Luiz Ruffato e Selma Maria Kuasne fazem parte da programação

Casa-Museu Ema Klabin: #CasaMuseuEmCasa/ de março a novembro

Encontro com Escritores: Outros Olhares/ Gratuito

95 vagas por encontro / Inscrição : https://emaklabin.org.br/ Haverá emissão de certificado para os participantes inscritos e que tiverem acessado e assistido pelo menos 75% da programação.

Mediação Ana Demarchi Barel:

28 de abril – quarta-feira, das 17h às 18h30 – José Eduardo Agualusa

26 de maio – quarta-feira, das 17h às 18h30 – Luiz Ruffato

30 de junho – quarta-feira, das 17h às 18h30 – Selma Maria Kuasne

José Eduardo Agualusa- ganhador dos prêmios Fernando Namora e internacional de Dublin; Luiz Ruffato, que recebeu os prêmios Machado de Assis, APCA, Jabuti e Casa de las Américas; além da escritora de literatura infantil, Selma Maria Kuasne, que se dedica a pesquisar a cultura da infância.

BALÉ

Cinco espetáculos disponíveis on-line e que acontecem nos principais teatros do continente:

Royal Opera House, em Londres – a companhia The Royal Ballet se apresenta no Royal Opera House, cujo prédio atual, de 1858, é fruto de obras de reconstrução após incêndios que ocorreram no local. A história artística de lá é mais antiga: vem de 1734, quando recebeu seu primeiro espetáculo de balé. Três apresentações ali estão disponíveis na internet. O “La Bayadère” narra a história de Nikya e de Solor, que planejam fugir juntos. youtu.be/LryyMf74p40

Lago dos Cisnes –a peça conta a saga da princesa Odette, uma jovem aprisionada pelo feiticeiro Von Rothbart no corpo de um cisne. youtu.be/Z1tdKI16QFc

O La Bayadère dançado por eles é incrível e esse Lago dos Cisnes é especial porque é protagonizado pela maior bailarina atual, a Marianela Núñez. Eles dançaram pela primeira vez em 2018 e foi uma das peças mais elogiadas na época. E o Lago dos Cisnes não se dança sem uma preparaçao muito grande, então, em qualquer lugar, será sempre muito feita. Mas essa é, de fato, especial, diferente.

Outro espetáculo apresentado pelo Royal Ballet de destaque, é o “Dom Quixote”, com a clássica saga de Dom Quixote de La Mancha e Sancho Panza. youtu.be/vn3aBodxIMo. A versão de Dom Quixote do Carlos Acosta, que é cubano e ex-bailarino de lá, mostra uma forma muito atual do balé, em que dá para trazer a história para este século. Ópera de Paris, na França – O grupo se apresenta no Palácio Garnier, na França, prédio construído em 1669 por Luís XIV, um dos principais exemplos de arquitetura barroca do país e ponto turístico famoso na Cidade Luz. Há um tour virtual disponível no site oficial do local para conhecer os detalhes. Mas para sentir a experiência de forma mais sensorial, a bailarina destaca a apresentação on-line de “A História de Manon”, sobre Manon, filha de 16 anos de um militar, que é escoltada por seu irmão a caminho de um convento. youtu.be/LryyMf74p40.Essa é uma apresentação emblemática porque é uma companhia que não tem apenas grandes bailarinos, mas também excelentes intérpretes. Teatro Bolshoi, em Moscou – Quando se trata de balé, a companhia Bolshoi dispensa apresentações. O teatro de mesmo nome, em Moscou, se destaca principalmente por ser a casa de onde saíram os maiores nomes do balé da História, mas também pelo enorme palco, um dos maiores do mundo. Fundado em 1776, o prédio passou por diversas transformações. A sua fachada atual está, inclusive, representada na nota de 100 rublos. O balé Spartacus é sobre a vida do protagonista de mesmo nome, líder da revolta de escravos contra os romanos. Essa apresentação mostra bem por que essa é a maior companhia do mundo. O Spartacus foi criado para o Bolshoi e ninguém dança ele como os russos. Estar lá é o sonho de todo bailarino no mundo, e poder ver esse espetáculo, mesmo que virtualmente, é encantador e impressionante. youtu.be/dw2hpIKztGQ

 

MÚSICA

 

Nordeste ficção – como os Nordestes são muitos, no primeiro álbum de Juliana Linhares eles também são vários com Amelinha, Elba Ramalho, Cátia de França, Terezinha de Jesus, Alceu Valença, Ednardo, Fagner, Belchior e Zé Ramalho. O Chico César é parceiro em composição em dias faixas Tom Zé vem representando no tropicalismo. Meu amor afinal de contas é de Zeca Baleiro. Em 41 minutos cabe toda a região com a política, forró, lambada, bolero, xote, frevo, guitarra elétrica e sanfona. No streaming.

ROTEIROS VIRTUAIS

Salvador completou 472 anos essa semana, aproveite para conhecer a capital baiana em roteiro virtual. No site Salvador Destination pode-se fazer um tour que leva a lugares como o Elevador Lacerda, o Mercado Modelo e o Pelourinho (salvadordestination.com). A impressionante construção barroca da Igreja e Convento de São Francisco, no Pelourinho, foi tombada pelo IPHAN e é um dos pontos turísticos mais visitados de Salvador. No tour virtual por lá, é possível conhecer todo o seu interior e sua fachada, passando pelo altar e pelas laterais (bit.ly/3rwwvH1).

O Mafro pertence à Universidade Federal da Bahia (UFBA) e é um dos poucos museus dedicados ao tema no Brasil. Conheça o acervo e as exposições permanentes e de longa duração (mafro.ceao.ufba.br). Na Fundação Pierre Verger tem acervo de fotos a que se tem acesso ao vasto acervo de imagens do francês (pierreverger.org). e com mais de 20 mil peças, o Museu Geológico da Bahia disponibiliza um tour virtual em seu site. Há fósseis, réplicas de animais pré-históricos, pedras preeciosas e meteoritos (mgb.ba.gov.br).

Mas se prefere a Suiça, vídeos curtos mostram o tenista suiço Roger Federerem paisagens do país, como no vale alpino de Engadin. Ele elege seus lugares favoritos como as Cataratas do Reno e o Glaciar de Aletsch, além das montanhas de Lugano. A San Salvatore é uma delas, com vista para os belos lagos da região. Em Lausanne, o tenista destaca atrações como o Museu Olímpico. Mais dicas do atleta estão em www.myswitzerland.com/roger.

LIVES

HOJE

Mimo – além de shows inéditos, o festival que esse ano é todo on-line e gratuito reúne filmes, palestras e workshops até domingo. Entre os shows, se apresentam hoje: DJ Montano (18h30), Cristina Braga, Marcus Ribeiro e Ricardo Medeiros (18h55), Duda Brack (19h10), Cida Moreira (20h) e Otto (21h). Amanhã é a vez de Duo Santoro (17h25), Luciane Dom (17h40),Caio Prado (18h15), Tuyo (19h10), Pedro Luís (20h05) e Ludji Luna (22h10). No domingo, encerram a programação Ana de Oliveira e Sergio Ferraz (17h25), Natacha Falcão (17h40), Almério (18h15), Zé Manoel (19h10) e a banda francesa Nouvelle Vague (20h). Os shows foram gravados no Teatro Firjan Sesi Centro e na Igreja de Santa Cruz dos Militares. Sex, sáb e dom.Transmitidos no YouTube (/mimofestivalbr). Grátis.

19 hs – Harmonitango: o grupo Harmonitango celebra os 100 anos de Astor Piazzolla com a ópera Maria de Buenos Aires. No YouTube da Sala Cecilia Meirelles.

18 hs – Art & Jazz Festival: a 5ª edição do evento, desta vez on-line, reúne apresentações ao vivo no Teatro Municipal de São Paulo. HOJE – Jazz Não Morde e Funmilayo Afrobeat Orquestra; Sweet Jazz e Alex Albino (amanhã); e Yuri Prado e Mardigrass Afrojam (domingo). Sab e dom, às 16h. Link liberado após cadastro no site jazzmansion.com. Grátis.NO LOCAL E ON-LINE – ‘Grandes clássicos da MPB ao ar livre’Artistas interpretam cancões de compositores da MPB. Sex a dom: Laila Garin canta Elis Regina. Teatro Prudential — Sala Adolpho Bloch: Rua do Russel 804, Glória — 3554-2934. Sex e sáb, às 20h. Dom, às 18h. R$ 80 (vendas por meio do Sympla). 14 anos. Até 25 de outubro. Nesta semana, a transmissão on-line acontece no domingo, com ingressos gratuitos, por meio do site do teatro.

O Jazz Não Morde e Funmilayo Afrobeat Orquestra (sex); Sweet Jazz e Alex Albino (sáb); e Yuri Prado e Mardigrass Afrojam (dom). Sab e dom, às 16h. Link liberado após cadastro no site jazzmansion.com. Grátis.

20 hs – Badi Assad: a cantora e violonista estreia o programa on-line “Volta ao mundo”, onde vai receber convidados a cada semana. Nesta sexta (26), Badi Assad faz uma apresentação solo. Nas próximas semanas, recebe Swami Jr. (02/04), Fernandinho BeatBox (09/04), Carlinhos Antunes (16/04), Lívia Mattos (23/04) e Marcelo Pretto (30/04). No YouTube (/BadiAssadOficial). Grátis.

20h30 – Semente Música Viva: o renascimento do espaço do Bar Semente será comandado pelo violonista Yamandu Costa, que vai dirigir o festival on-line. Show dias 2/3/4 e 9/10 e 11 abril, no canal Youtube de Yamandu e contam com nomes como João Donato, Marcos Sacramento e Zé Paulo Becker. A programação é gratuita. O Bar Semente fechou portas em 2017 e, hoje, O violonista Yamandu Costa abre o festival com um show de músicas novas gravado em Lisboa, onde ele vive com a família desde dezembro de 2019. Amanhã, o também violonista Marcello Gonçalves e a clarinetista Anat Cohen apresentam repertório dedicado a Moacir Santos. Domingo é a vez de o cantor Marcos Sacramento e o violonista Zé Paulo Becker interpretarem afrosambas de Baden e Vinicius.

Sex, sáb e dom, às 20h e às 21h – Festival o que você ouve : sete shows gravados compõem a programação do festival, que traz shows de Luciane Dom (20h) e Marina Íris (21h) nesta sexta; Aline Paes (20h) e Julia Vargas (21h) no sábado; e Áurea Martins, homenageada do festival, no domingo, às 21h. Nos repertórios, as cantoras escolheram músicas de diversos compositores que influenciaram suas carreiras, além de canções autorais. No YouTube (/alinepaes). Grátis.

SÁBADO

16 hs – Pedro Miranda: o cantor e compositor faz show ao vivo de seu novo disco autoral “Da Gávea para o mundo”, com Dudu Oliveira (flauta e sax), Luis Barcelos (cavaquinho e bandolim), Rafael Mallmith (violão 7 cordas), Paulino Dias (percussão) e Bruno Barreto (percussão). No YouTube (/biscoitofino). Grátis.

17 hs – Flávia Souza: a cantora e compositora, ex-integrante do grupo “Negros por excelência”, apresenta o show “O que enegrece te enaltece?”. No Instagram (@kereahocu_holefan). Grátis.

20 hs – 20º Festival #ZiriguidumEmCasa: celebrando a obra de Dóris Monteiro, o festival virtual apresenta shows virtuais de Carol Saboya, Claudette Soares, Claudio Lins, Dani Coimbra, João Cavalcanti, Joyce Moreno, Marcos Sacramento, Marcos Valle, Moyseis Marques, Oswaldo Gusmão, Patrícia Alví, Pilar, Quarteto Linha, Ricardo Silveira, Roberta Sá, Roberto Bahal, Rodrigo Faour, Sargaço Nightclub e Sônia Delfino. Link liberado aqui. Grátis

21 hs – Afro Coltrane: o quinteto formado por Nivaldo Ornellas (sax), Antonio Guerra (piano), Sergio Barrozo (contrabaixo), Didac Tiago (percussão), e Roberto Rutigliano (bateria) apresenta composiçoes de John Coltrane com bases afro-cubanas e afro-brasileiras. Show gravado no teatro Solar Botafogo para a plataforma Jazz On-line Club. No site jazzonline.club/brasil/. Grátis.

20h30 – Antonia Medeiros – acompanhada do violonista Gabriel Quinto, a cantora e compositora vai apresentar músicas de seu novo álbum “Motriz”. No Sympla. Grátis.

DOMINGO

16 hs – Festival Vozes do Interior: o evento que reúne talentos do interior do Rio apresenta shows de Jhasmyna (Nova Friburgo), Amanda Amado (Macaé), banda Indic Blue (Cabo Frio), Liw (Rio das Ostras) e DJ Ana Clara (Campos dos Goytacazes) nos intervalos. No YouTube (/festivalvozesdointerior). Grátis.

SEGUNDA-FEIRA

17 hs – Luan Santana: o cantor faz um pocket show com classicos de sua carreira em homenagem aos vestibulandos do Brasil. No Instagram (@luansantana). Grátis.

19 hs – Márcia Guzzo: a cantora faz show de apresentação do seu novo EP autoral “Udayara”. No YouTube (/marciaguzzo). Grátis.

TEATRO

HOJE

Youtube – Macbeth 2020: um dos textos mais célebres de Shakespeare carrega a fama de maldito, com toda uma mística de acidentes em encenações desde o século XVII. Este é o mote do espetáculo em formato de teatro dirigido por Luis Lobianco, que ficará disponível gratuitamente até 30 de maio no YouTube. Ao lado parceiros da Cia Buraco Show (criada em 2012 e recém fechada no Buraco da Lacraia, na Lapa) como Simone Mazzer, Pedroca Monteiro, Sidnei Oliveira e Letícia Guimarães. Numa estrutura de falso documentário personagens como Rejane Galdán, diretora de teatro contemporâneo, a diva portuguesa Brigitte Fausta e o performer Su Weismann narram suas experiências com a “peça escocesa”, como o clássico é chamado por quem quer evitar o mau agouro de pronunciar o título.

17hs – Fragmento de um sorriso: texto: livremente inspirado em entrevistas de Elisa Lucinda. Direção: João Artigos. Com Vilma Melo. O monólogo reflete sobre a expressão “quase da família”, utilizada muitas vezes para para se referir às mulheres que prestam serviço doméstico há muitos anos numa casa. R$ 10, no site do Teatro Petra Gold. 60 minutos. Até 30 de outubro.

20 hs – O pior de mim: Texto e atuação: Maitê Proença. Direção: Rodrigo Portella. Em cena, a atriz traz à tona momentos e características pessoais que ela sempre manteve discretos. O espetáculo é transmitido do Teatro Petra Gold. Em entrevista sobre a peça, Maitê Proença diz: “Todos somos inseguros, mesmo os que têm verniz brilhoso, como eu”. R$ 20, no site do Teatro Petra Gold. 50 minutos. 14 anos. Até 30 de outubro.On line.

20 hs – Minha amiga John Lennon: na 21ª Conferência de Depoimentos Inúteis, uma palestrante conta um fato inusitado, que transformou sua vida durante o período de isolamento social. Sex e sáb, às 20h. R$ 25, por meio do Sympla. 30 minutos. Até 31 de outubro. On line

20h- Bixa viado frango: texto, direção e atuação: Silvero Pereira. Ancorado em memórias autobiográficas, o solo descortina as descobertas sobre sexualidade de um artista que viveu a infância no interior do Ceará, em meio a um contexto humilde e conservador. R$ 10, por meio do Sympla (a transmissão acontece no Instagram, pelo perfil @sala_de_espetaculos). 40 minutos. Hoje e amanhã.

20 hs – A protagonista: texto: Carol Barbosa, Juliana Soure e Tatiane Santoro. Direção: Juliana Soure. Com Aliny Ulbricht, Carol Barbosa, Rosa Nogueira e outras. A peça acompanha o dia a dia de quatro funcionárias de uma empresa que atua de maneira remota. Sex a dom, às 20h. Para ter acesso, é preciso se inscrever no Instagram (@coletivoparalelas) ou por e-mail (contato.coletivoparalelas@gmail.com). 60 minutos. 14 anos. Até 11 de outubro.

21 hs – Lugar nenhum: texto e direção: Sérgio de Carvalho. Com Helena Albergaria, Ney Piacentini, Beatriz Bittencourt e outros. A obra de Anton Tchecov é a inspiração da Companhia do Latão para a peça, que narra o encontro e os debates filosóficos que se dão entre uma família durante uma festa de aniversário.A transmissão acontece no YouTube (/sescsp) e no Instagram (sescaovivo). 90 minutos.

21 hs – Kamikaze: texto e direção: Oscar Saraiva. Com Ana Julia Hammer, Carolina Alfradique, Eduardo Parreira e outros.Com narrativa fragmentada, a montagem cruza a história de personagens confinados e mostra como eles lidam com questões afetivas e eventos inesperados. Sex e sáb, às 21h. A partir de R$ 10, por meio do Sympla (em bit.ly/33zd1Zo). 56 minutos. Até 31 de outubro.

21 hs – A arte de encarar o medo: texto: Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez. Direção: Rodolfo García Vázquez. Com Ivam Cabral e outros.Num futuro distópico, pessoas tentam reconstruir histórias de uma vida anterior à pandemia. Sáb, às 21h. Dom, às 16h. A partir de R$ 10, por meio do Sympla (/espacodigitaldossatyros). 50 minutos. Até 14 de dezembro.

SÁBADO

Após uma vida de negações. O ator é Elias Andreato, sob direção de Márcia Abujamra. Transmissões gratuitas via Zoom. Hoje e amanhã (domingo).

18 hs – Novos normais: sobre sexo e outros desejos pandêmicos’Texto: Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez. Direção: Rodolfo García Vázquez. Com Alessandra Nassi, Alex de Felix, Alex de Jesus e outros.O espetáculo do grupo Os Satyros aborda os desafios do mundo atual em relação a afetos na pandemia. Dom, às 18h. A partir de R$ 5, por meio do Sympla (/espacodigitaldossatyros). 60 minutos. 18 anos. Até 26 de outubro.

20 hs – A peste: Texto: Albert Camus. Direção: Vera Holtz e Guilherme Leme Garcia. Com Pedro Osório. O médico Bernard Rieuxse se dirige ao público após lutar, durante um ano, contra o bacilo de uma peste, metáfora da miséria moral provocada pela guerra. A partir de R$ 10, por meio do Sympla (/APESTE). 45 minutos. Até 17 de outubro. A sessão é seguida de debate com o jornalista e escritor Eduardo Bueno. On line.

20 hs – Parece loucura mas há método: texto de Paulo de Moraes e Jopa Moraes. Direção: Paulo de Moraes. Com Charles Fricks, Luis Lobianco e outros.Nove personalidades shakespearianas se enfrentam numa arena de ideias. O público é convidado a participar de enquetes neste espetáculo que funciona como um jogo.20h Dom, às 18h. A partir de R$ 10, por meio do Sympla. 70 minutos. 12 anos. Temporada por período indefinido. On line.

20 hs – Tudo que brilha no escuro:texto: Luiz Felipe Reis e Julia Lund. Direção: Luiz Felipe Reis. Com Julia Lund.<SWO> espetáculo da Cia Polifônica acompanha uma mulher que visita lembranças reais e inventadas. A partir de R$ 10, por meio do Sympla (/polifonicacia). 50 minutos. Até 11 de outubro.

20 hs/ 22 hs – Entre! Paredes – Texto: Fernanda Moreno. Direção: Ismael Goulart. Com Camila Salton, Giordano Spencer, Fernanda Moreno e outros.Diferentes esquetes abordam os efeitos do isolamento social sobre relações de convivência. É preciso retirar o ingresso no Sympla. 60 minutos.

20hs – Jacksons do Pandeiro: texto: Braulio Tavares e Eduardo Rios. Direção: Duda Maia. Direção musical: Alfredo Del-Penho e Beto Lemos. Com Adrén Alves, Alfredo Del-Penho, Beto Lemos e outros.O espetáculo inédito da companhia Barca dos Corações Partidos homenageia o cantor, compositor e multi-instrumentista paraibano Jackson do Pandeiro (1919-1982). Grátis. A transmissão acontece no YouTube (/barcadoscoracoespartidos) e no Canal Bis. 120 minutos. 10 anos.

21h – Homem de Lata : com Mouhamed Harfouch. Em busca de respostas para questionamentos surgidos durante o isolamento social, um homem reflete sobre temas como machismo, paternidade e fracasso profissional.A partir de R$ 20, por meio do Sympla (/aladimrioproducoes). 60 minutos. 12 anos. Até 31 de outubro.

21 hs – Paulo Freire, o andarilho da utopia: texto: Junio Santos. Direção: Luiz Antônio Rocha. Com Richard Riguetti. A peça recompõe a trajetória do educador. Dom, às 17h. A partir de R$ 25, por meio do Sympla (/paulo-freire-o-andarilho-da-utopia). 80 minutos. 12 anos. Até 1º de novembro.

DOMINGO

16 hs – Riobaldo: texto: Guimarães Rosa. Adaptação e atuação: Gilson de Barros. Direção: Amir Haddad. Adaptação do livro “Grande sertão: veredas”, a peça acompanha o ex-jagunço Riobaldo em lembranças de sua vida.A partir de R$ 20, no Sympla (/riobaldoteatro). 70 minutos.

18 hs – A Lua vem da Ásia: com Chico Diaz a peça tem transmissão on-line do Teatro Petra Gold. Levanta questões sobre os limites do poder, das hierarquias e o lugar de cada cidadão na sociedade. A obra surrealista é carregada de humor ácido e retrata o diário de um homem hospedado em um hotel de luxo ou talvez em um campo de concentração ou em um manicômio. Acesso através do site do Teatro Petra Gold, com ingressos a R$20. Todos os domingos até 18 de abril.

19 hs – O amor é uma conexão interrompida: não há ninguém perto de você: texto: Lola Arias. Direção: Marco Antonio de Oliveira. Com Camila Carreira, Camila Raquel, Gabriela De Melo e Maria Horn. Isoladas em suas casas, quatro pessoas se encontram num jogo virtual. Elas querem ser vistas pela plateia, sobretudo para que não estejam mais sozinhas. A partir de R$ 15, por meio do Sympla (/oamor). 40 minutos. Até 18 de outubro.

20 hs – A alma imoral – de Nilton Bonder. Adaptação, direção e atuação: Clarice Niskier. O monólogo questiona conceitos milenares da história da civilização, como as definições de corpo e alma, certo e errado, traidor e traído. Teatro Petra Gold — Sala Marília Pêra: Rua Conde de Bernadotte 26, Leblon —8 2529-7700. R$ 50 (vendas apenas pela internet). 80 minutos. 18 anos. Até 28 de novembro

20hs – Todos os sonhos do mundo: texto de Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez. Direção: Rodolfo García Vázquez. Com Ivam Cabral.Textos de Drummond, Clarice Lispector e Fernando Pessoa se cruzam para abordar a depressão.Seg, às 21h. Ingressos grátis ou a partir de R$ 10, por meio do Sympla(/espacodigitaldossatyros). 60 minutos. Livre. Até 15 dezembro.

20 hs – Fronteiras invisíveis em processo: texto – criação coletiva. Direção: Daniel Herz e Luiz Felipe Sá. Com Charles Fricks, Clarissa Pinheiro, Verônica Reis.Fronteira é o tema da peça da Cia Atores de Laura. O espetáculo é formado por esquetes que apresentam situações em que coletividade e intimidade estão entrelaçadas. Ingressos a partir de R$ 10 (vendas pelo Sympla). 65 minutos. Até 11 de outubro.

TERÇA-FEIRA

10 hs – Sombras no final da escadaria: Texto: Luiz Carlos Góes. Direção: Amir Haddad. Com Vannessa Gerbelli. Uma atriz realiza um projeto independente num Brasil que não privilegia a cultura. Após o fracasso da estreia, ela se questiona: como seguir? A peça é transmitida do Teatro Petra Gold. R$ 10, no site do Teatro Petra Gold. 60 minutos. 16 anos. Até 27 de outubro.

20 hs – Contrações: texto: Mike Bartlett. Tradução: Silvia Gomez. Direção: Grace Passô. Com Débora Falabella e Yara de Novaes.A gerente de uma corporação usa cláusulas para manipular uma funcionária. A montagem online celebra os 15 anos do Grupo 3 de Teatro.A transmissão acontece no Zoom, por meio do site www.itaucultural.org.br. 80 minutos. Até 20 de outubro.

QUARTA-FEIRA

17 hs – Diários do abismo: texto: Maura Lopes Cançado. Adaptação: Pedro Brício. Direção: Sérgio Modena. Com Maria Padilha. A trajetória da escritora mineira Maura Lopes Cançado, que ao longo da vida foi vítima de sessões de eletrochoque em instituições psiquiátricas. A peça é transmitida do Teatro Petra Gold. R$ 10, no site do Teatro Petra Gold. 60 minutos. 12 anos. Até 28 de outubro.

QUINTA-FEIRA

17 hs – Coisas de mãe: texto: Adília Belotti, Hilda Lucas, Regina Amaral, Suzete Capobianco e Vera Tarantino. Adaptação, direção e atuação: Clarice Niskier.Baseada no livro “Coisas de mãe para filha”, coletânea que reúne cartas sobre a maternidade, a peça se debruça sobre o R$ 10, no site do Teatro Petra Gold. 50 minutos. Até 19 de outubro.

20 hs – A lista: texto: Gustavo Pinheiro. Direção: Guilherme Piva. Com Lilia Cabral e Giulia Bertolli.Impossibilitada de sair de casa por causa da pandemia, uma senhora recebe a ajuda da jovem vizinha. A peça é transmitida do Teatro Petra Gold, no Leblon. A peça coloca Lilia Cabral ao lado da filha, Giulia Bertolli, no palco.R$ 10, no site do Teatro Petra Gold. 50 minutos. 12 anos. Até 25 de setembro. On line.

20h30 – Ser José Leonilson:texto e atuação: Laerte Késsimos. Direção: Aura Cunha.Com referências à biografia do artista plástico José Leonilson (1957-1993), o monólogo mescla experiências do ator em cena para levantar questões sobre temas como família, sexualidade e trabalho.A partir de R$ 10, por meio do Sympla (/serjoseleonilsonaudiovisual). 95 minutos. 16 anos. Até 19 de novembro. On line.

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012