6 de julho de 2022


ABI cobra prisão dos policiais rodoviários federais que assassinaram Genivaldo de Jesus Santos em Sergipe


13/06/2022


A Associação Brasileira de Imprensa (ABI), em sintonia com entidades e iniciativas da sociedade civil, considera inaceitável que, passado tanto tempo desde o assassinato sob torturas de Genivaldo de Jesus Santos, em 25 de maio, os policiais federais rodoviários que improvisaram uma câmara de gás para matá-lo permaneçam soltos.
Tampouco é admissível que as investigações estejam sendo guardadas pelo sigilo, omissão que prenuncia a impunidade.
Em qualquer país que não tivesse regredido tanto nos padrões civilizatórios, os algozes de Genivaldo estariam presos e submetidos a medidas compatíveis com a natureza do crime que praticaram – a necessária prisão preventiva prevista no Código Penal Brasileiro, como querem as Ouvidorias de Polícia de seis Estados e inúmeras entidades da sociedade civil, corroborando o pedido da família.
A ABI, coerente com a defesa dos valores democráticos que fazem parte da sua história centenária, seguirá somando forças com as entidades democráticas e exigindo: a) imediata decretação da prisão preventiva dos algozes de Genivaldo; b) o imediato fim do sigilo no Inquérito e total transparência na condução das investigações; c) acompanhamento das investigações, junto ao MP federal pelas entidades da sociedade civil, às quais a ABI se associa para exigir JUSTIÇA!
Basta de impunidade!
Chega de barbárie!
Rio de Janeiro, 13 de junho de 2022

COMISSÃO DE DEFESA DA LIBERDADE DE IMPRENSA E DOS DIREITOS HUMANOS

Siga a abi

© 2013 ABI - Associação Brasileira de Imprensa – todos os direitos reservados -Rua Araújo Porto Alegre, 71 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, Cep: 20030-012