104 anos de emoções no campeonato do RJ


08/02/2010


Supremacia tricolor nos quatro primeiros anos 

Os quatro primeiros títulos do futebol carioca (1906, 1907, 1908 e 1909) foram conquistados pelo Fluminense. Disputaram o campeonato carioca de 1906 as equipes do Bangu, Botafogo, Fluminense, Football Athetic, Paysandu e Rio Cricket. Na vitória do tricolor sobre o Paysandu por 7 a 1, Horácio Costa Santos marcou o primeiro gol da história dos campeonatos do Rio de Janeiro. O Fluminense obteve nove vitórias e sofreu apenas uma derrota (Paysandu 1 a 3) e Horácio foi o artilheiro com 18 gols. A expectativa otimista com relação ao campeonato carioca de 1907, em razão do sucesso do ano anterior, não se confirmou. Após a vitória do Botafogo sobre o Fluminense por 4 a 2, a diferença entre tricolores e alvinegros diminuiu para dois pontos. O regulamento do campeonato estabelecia que em caso de empate entre duas agremiações, ficaria com o título a que tivesse maior número de gols a favor no decorrer do certame. O Botafogo marcara 14 gols e o Fluminense fizera 16 até aquele momento. Na última partida do campeonato o Botafogo enfrentaria a fraca equipe da AA Internacional e teoricamente era grande a possibilidade dos botafoguenses superarem os tricolores na soma de gols. A AA Internacional, que não enfrentou o Fluminense no returno porque estava suspensa pela Liga, não compareceu para jogar com o Botafogo.
Enquanto o Fluminense exigia que o regulamento fosse cumprido, o Botafogo achava-se prejudicado por não ter jogado contra a AA Internacional, tirando-lhe a oportunidade de se igualar aos tricolores em pontos ganhos e superá-los na soma de gols. Os dois clubes não chegaram a um acordo e o título ficou sem dono. A Liga Metropolitana foi extinta e somente 89 anos depois a Federação Estadual de Futebol do Rio de Janeiro por ato administrativo, em 1996, declarou o Botafogo e o Fluminense campeões de 1907. 

Equipe do Fluminense campeã de 1907, juntamente com o Botafogo, cujo título só foi reconhecido 89 anos depois: sentados da esquerda para a direita, Marins, Sominsen, E. Cox, E. Etchegaray e Félix Frias; ajoelhados, na mesma ordem, Leal, Borgerth e Gulden; em pé, V. Etchegaray,Waterman e Salmond.

Surge o “Glorioso” 

Em 1910 o Botafogo quebrou a hegemonia do Fluminense e conquistou o quinto campeonato carioca em 1910. América, Fluminense, Haddock Lobo, Riachuelo e Rio Cricket foram os adversários alvinegros.
Foram nove vitórias e apenas uma derrota (América 1 a 4). Após cada triunfo, as mensagens recebidas pelo clube diziam sempre: “Ao Glorioso Botafogo FC”. Daí, o Botafogo ficou conhecido como “O Glorioso”. 

O Glorioso time do Botafogo campeão carioca de 1910: de cima para baixo, Coggin, Pullen e Dinorah; Rolando, Lulu e Lefévre; Emanuel, Abelardo, Décio, Mimi e Lauro.

Nasce o futebol do Flamengo 

No ano seguinte, após o tumultuado jogo diante do América, o Botafogo se retirou do campeonato. A diretoria alvinegra tomou a decisão antes mesmo da Liga suspender Abelardo Delamare por um ano pela agressão a Gabriel de Carvalho. O Fluminense voltou a ser campeão sob a direção técnica do inglês Charles Williams. Porém, depois do campeonato oito jogadores de seu elenco deixaram o clube para fundar a seção de futebol do Flamengo. 

Equipe tricolor campeã carioca de 1911- a partir da esquerda de baixo para cima: 1ª fila, Osvaldo Gomes, Borgeth, Carvalho e Calvert; na 2ª fila, Orlando Lawrence, Amarante e Galo; na 3ª fila, Píndaro, Baena e Nery.

Paysandu é campeão e os primeiros títulos rubros e rubros-negros 

O clube fundado por ingleses, que até hoje existe na Gávea, se sagrou campeão em 1912. 

Na foto, jogadores do Paysandu campeões cariocas de 1912: de cima para baixo, Robinson, Eric Pullen e C. Smart; Wood, Ron Robinson e Mac Intyre; Monk, L. Pullen, Harry Robinson, Sidney Pullen e Gillian. A metade do time era formada por integrantes das famílias Robinson e Pullen.

Com o famoso goleiro Marcos Carneiro de Mendonça e mais Belfort Duarte, Gabriel de Carvalho e o chileno Ojeda na equipe, o América chegou ao seu primeiro título carioca em 1913. 

Equipe rubra campeã carioca de 1913: de cima para baixo a partir da esquerda, Luiz Mendonça, Marcos e Belfort Duarte; ajoelhados, F. Mendes, Jonathas e Lincoln; sentados, Witte, J. Moreira, Ojeda, Gabriel e Osman.

Os anos de 1914 e 1915 foram do Flamengo. Os jogadores que saíram do Fluminense formavam a base do time bicampeão. Nas duas temporadas, o time rubro-negro sofreu apenas uma derrota (Botafogo 1 a 2). Depois do bicampeonato do Flamengo, o América conseguiu seu segundo título com a vantagem de cinco pontos sobre o Botafogo e o Bangu.

As sensacionais campanhas do Fluminense no tricampeonato. 

Praticamente com o mesmo time, o Fluminense chegou ao tricampeonato carioca de 1917, 18 e 19. Nos três anos, a equipe tricolor teve dois técnicos: o inglês Qiuncey Taylor e o uruguaio Ramon Platero. Os principais jogadores eram Marcos Carneiro de Mendonça, Chico Neto, Fortes, Mano, Zezé e Harry Walfare, o “tanque inglês”. Nas cinqüenta e quatro partidas jogadas nos três anos, o time das Laranjeiras obteve quarenta e quatro vitórias, cinco empates e cinco derrotas. 

No campeonato carioca de 1917, ano do bicampeonato, o Fluminense derrotou o América por 3 a 1. O atacante Celso gira o corpo, livra-se da marcação adversária e marca o 2º gol tricolor.

Em 1919, ano do tricampeonato, o Fluminense ganhou do Andarahy por 4 a 2. Marcos Carneiro de Mendonça, o primeiro grande goleiro da história do futebol brasileiro, observa a rebatida do zagueiro Chico Neto.

Flamengo é novamente bicampeão 

Dois gaúchos se destacavam no elenco rubro-negro: o goleiro Kutz e e ponta-esquerda Candiota. No ano do bicampeonato, Flamengo e América terminaram o campeonato em primeiro lugar com nove pontos perdidos. No dia 21 de setembro de 1921, rubros-negros e rubros pisaram o gramado do estádio do Fluminense para decidirem o título. O tempo normal de jogo terminou com o empate de 1 a 1 gols de Chiquinho (América) e Candiota (Flamengo). Aos 7 minutos da prorrogação Candiota marcou o gol da vitória e o Flamengo se sagrava bicampeão carioca.

O título histórico do Centenário da Independência 

O América apresentou ao público carioca em 1922 aquele que é considerado por muitos o melhor jogador americano de todos os tempos: Osvaldo Mello, o Osvaldinho, conhecido como “Divina Dama” pela elegância com que jogava futebol. O campeonato do Centenário da Independência do Brasil foi conquistado na penúltima rodada após o time rubro vencer o São Cristóvão por 3 a 1. 

A partir da esquerda, vemos os campeões carioca de 1922, ano do Centenário da Independência do Brasil: Barata, Miranda, Gonçalo, Perez, Oswaldinho, Ribas, Chiquinho, Matoso, Brilhante, Gilberto e Justo.

 

Oswaldinho, o “Divina Dama”, um dos grandes craques da história do futebol brasileiro.

“Os artigos do site não refletem, necessariamente, a opinião da Diretoria da ABI”